OFERTA FORMATIVA

Ref. 193C01T01 Inscrições abertas até 04-09-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-126537/24

Modalidade: Curso de formação - Colóquios; congressos; simpósios; jornadas ou iniciativas congéneres

Duração: 15.0 horas

Início: 10-09-2024

Fim: 11-09-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Emídio Garcia, Bragança

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

"É preciso dar passos concretos, apoiar iniciativas, construir redes, partilhar experiências, avaliar o que se fez e o que ficou por fazer. É preciso começar." (Nóvoa, 2007). Neste postulado, no início de mais um ano letivo, convocamos os professores a participar no V ENCONTRO DE BOAS PRÁTICAS EDUCATIVAS, destinado a criar espaços de reflexão questionamento sobre boas práticas educativas impactantes, no sucesso educativo. O evento configura uma excelente oportunidade de dar visibilidade a muitas atividades com resultados extremamente positivos, não raro, confinadas ao interior do próprio Agrupamento, constituindo uma forma não só de as melhorar através da partilha, mas também de sensibilizar outros docentes para desenvolver projetos de intervenção em contexto educativo.

Objetivos

- dar continuidade a uma atividade formativa promotora e valorizadora de boas práticas educativas; - potenciar o trabalho colaborativo continuado na promoção da qualidade e sucesso educativo, implicando e envolvendo alunos, docentes e parceiros na mesma causa; - aprofundar a reflexão sobre a natureza e âmbito de “boas práticas de educativas”; - divulgar o impacto de projetos e práticas pedagógicas dinamizadas por Professores e outros Técnicos de Educação; promover a discussão sobre metodologias diversificadas e inovadoras no processo de ensino e de aprendizagem; - criar oportunidades para o desenvolvimento da profissionalidade docente; - reforçar a cooperação institucional entre as escolas e entidades parceiras.

Conteúdos

10/09/2024 08:30 horas - Receção dos participantes 09:00 horas - Apontamento(s) de abertura: 09.30 horas - A arte do (im)possível: “Se eu mandasse na(s) Escola(s)!" - Aluno do 1.º Ciclo - - Aluno do 2.º Ciclo - - Aluno do 3.º Ciclo - Aluno do Secundário 10.00 horas - Sessão de abertura - Diretor do Agrupamento de Escolas Emídio Garcia - Diretor do Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte - Ministério da Educação (a confirmar) - Presidente da Câmara Municipal de Bragança (a confirmar) 10:30 horas - Intervalo 11:00 horas - Conferência "Escolas e professores: libertar o futuro” - António Nóvoa, Universidade de Lisboa Apresentação: Carlos Fernandes (Diretor do Agrupamento de Escolas Emídio Garcia, Bragança) 14:00 horas - Painel 1 - La formación permanente del profesorado y la innovación educativa- Sabela Fuertes Fernández – Diretora do CFIE de Benavente, Espanha e Antonio Luis García Morán. Diretor do CFIE de Zamora, Espanha - Ponte... nas Ondas! - Santiago Veloso - Vigo, Pontevedra, Espanha 15:30 horas – Debate 16:00 horas - Intervalo 16:30 horas - Workshops I W1) Maker Spaces – Liliana Fernandes e Cláudia Meirinhos W2) Técnica Vocal – Leonor Afonso (Serviço Educativo do Teatro Municipal de Bragança) W3) Avaliação digital W4) Inteligência Artificial W5) Experiências Low Cost: atividades experimentais para crianças do Pé-Escolar e alunos do 1.º Ciclo – António Velho W6) Castro de Avelãs: História, arte e cultura – Fernando Pereira W7) Modelação e pintura de pastas – António Meireles (ESE-IPB) W8) Pensamento computacional – Paulo Gonçalves W9) Cidadania no Secundário – DGE W10) Manuais Digitais – Irina Ribeiro (Leya Editora) 21:00 – Programa Cultural – … Local: Teatro Municipal de Bragança. 11/09/2024 08:45 horas – Receção dos participantes 09:10 horas – Conferência “O trabalho e a vida dos professores: O que diz a investigação?"- Assunção Flores, Universidade do Minho Apresentação: Mafalda Rocha (Diretora do Agrupamento de Escolas de Mogadouro) 10:00 horas – Debate 10:15 - Intervalo 10:45 horas - Painel 2 - Apresentação de práticas educativas dos agrupamentos 11:30 horas – Debate 11:45 horas - Painel 3 - Apresentação de práticas educativas dos agrupamentos 12:45 horas – Debate 14:30 horas - Workshops II W1) Maker Spaces – Liliana Fernandes e Cláudia Meirinhos W2) Técnica Vocal – Leonor Afonso (Serviço Educativo do Teatro Municipal de Bragança) W3) Avaliação digital W4) Inteligência Artificial W5) Experiências Low Cost: atividades experimentais para crianças do Pé-Escolar e alunos do 1.º Ciclo – António Velho W6) Castro de Avelãs: História, arte e cultura – Fernando Pereira W7) Modelação e pintura de pastas – António Meireles (ESE-IPB) W8) Pensamento computacional – Paulo Gonçalves W9) Cidadania no Secundário – DGE W10) Manuais Digitais – Irina Ribeiro (Leya Editora) 16:30 horas – Intervalo 17:00 horas – Conclusões – António Luís Ramos, diretor do CFAEBN 17:30 horas – Encerramento - Diretor do CFAE Bragança Norte - Vereadora da Cultura e Educação da Câmara Municipal de Bragança

Metodologias

As sessões a ministrar serão de cariz teórico e teórico/prático, essencialmente reflexivas, que incluem: 1. Abertura, com a clarificação da forma de funcionamento do Encontro (curso), dos respetivos conteúdos e objetivos, bem como do processo de avaliação. 2. Conferências 3. Mesa-redonda "A arte do (im)possível: “Se eu mandasse na(s) Escola(s)!”” 3. Painéis de boas práticas, com exemplos concretos e exequíveis de realização de projetos e atividades nas escolas, seguidos de momentos de debate e de reflexão. 4. As comunicações foram validadas pela Comissão Científica. 5. Workshops para exemplificação prática de exploração de conteúdos dentro e fora da sala de aula. 6. As sessões são sempre monitorizadas pela equipa formadora

Avaliação

Os formandos serão avaliados quantitativamente numa escala de 1 a 10 valores, de acordo com os critérios definidos pela Comissão Pedagógica do Centro de Formação, tendo em conta as orientações do Conselho Científico e Pedagógico da Formação Contínua de Professores, baseadas nos seguintes pressupostos/ponderação: • Nível de participação e interação dos formandos nos debates de ideias /reflexão pedagógica e nos workshops (40%); • Elaboração de um relatório individual temático, de acordo com os parâmetros de avaliação fornecidos aos formandos) (60%).

Bibliografia

Nóvoa, António. Professores: Libertar o futuro. São Paulo, Brasil: Diálogos. 2023.NÓVOA, António. Formação de professores e trabalho pedagógico. Lisboa: Educa, 2002.Azevedo, J. (2015). Nenhum aluno pode ser deixado para trás! É preciso renovar os processos pedagógicos eaorganização das escolas. In Comunicação apresentada na Conferência EPIS-Empresários pela Inclusão Social, sobotema “Escolas de futuro”, realizada na Fundação Calouste Gulbenkian, a 17 de março de 2015Flores, M. A..Flores, M. A.. Currículo, Avaliação e Profissão Docente . Conceções curriculares, autonomia e flexibilidade e o papeldo professor (E-book) [Curriculum, Assessment and Teaching: Curricular conceptions, autonomy, flexibility and teacher's role (vol. I)]. Braga, Portugal: CIEC, Universidade do Minho. 2020

Anexo(s)

Cartaz do Vebpe


Observações

Site do 5ebpe: https://sites.google.com/view/5ebpe

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-09-2024 (Terça-feira) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
2 10-09-2024 (Terça-feira) 14:00 - 18:30 4:30 Presencial
3 11-09-2024 (Quarta-feira) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
4 11-09-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

Não existem ações.

Ref. 195B37T01 Em avaliação

Registo de acreditação: CDCP11-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 17-07-2024

Fim: 17-07-2024

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas Miguel Torga

Formador

Margarida Peixoto Marques

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas Miguel Torga


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 17-07-2024 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

Ref. 192B36T01 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-125533/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 13.0 horas

Início: 08-07-2024

Fim: 09-07-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas de Macedo de Cavaleiros

Formador

Mercedes Prieto Martinez

Destinatários

Educadores de Infância e Professores do Grupo 110

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores do Grupo 110. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores do Grupo 110.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAE Bragança Norte/Plano Nacional das Artes/AGA KAN

Enquadramento

A Academia do Plano Nacional das Artes apresenta esta ação no domínio da Dança para educadores de infância e docentes do 1.º CEB. A sensibilidade estética e artística é uma competência legítima, reconhecida e fundamental na organização curricular e no desenvolvimento pessoal; próxima das artes e do processo criativo, incentiva a escola a dinâmicas transdisciplinares — promovendo a transformação. Por conseguinte, pretende-se a valorização da Educação Artística nas escolas, apresentando, renovando e dinamizando práticas pedagógicas adaptadas às exigências atuais. Para este propósito, este curso apresenta um conjunto de referentes, de conteúdos, de recursos pedagógicos e de processos criativos, através de atividades específicas da área da Dança, tendo em conta uma perspetiva transdisciplinar com as diferentes áreas do conhecimento. Com o objetivo de aumentar as competências profissionais e pessoais dos educadores de Infância e docentes do 1.º CEB, observando os princípios orientadores e o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, pretende-se fornecer ferramentas que o professor possa explorar em contexto de sala de aula, proporcionando aos seus alunos um entendimento conceptual da Dança nas suas diversas vertentes e possibilidades interdisciplinares.

Objetivos

• Observar o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, a Matriz Curricular em Educação Artística, as Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar e as Aprendizagens Essenciais para a Dança; • Promover metodologias de ensino inovadoras recorrendo a meios, materiais, dispositivos e instrumentos, com diversidade para a consciência de corpo e qualidade de movimento com expressividade; • Valorizar o papel da Educação Artística como forte potenciador do desenvolvimento pleno do sujeito e nas relações com os outros, relacionando a dança com as outras áreas do saber; • Desenvolver um conjunto de recursos pedagógicos, através de atividades especificas, que promovam uma pedagogia ativa centrada na criação, na experiência e na exploração do mundo envolvente, bem como na interpretação performativa, privilegiando o corpo e o movimento expressivo.

Conteúdos

Contextualização (1/2h) Missão e estratégias do Plano Nacional das Artes; Educação Pré-Escolar e 1.º ciclo do Ensino Básico. Documentos de referência: Perfil dos Alunos à saída da Escolaridade Obrigatória, Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar; Educação Artística no 1.º Ciclo do Ensino Básico — Matriz Curricular/Dança. Conteúdos específicos da Dança (1h30m) - Consciência de domínio do corpo. - Corpo e movimento. - Corpo e espaço. - Corpo, tempo e dinâmica. - Corpo e relações. - Sequência de movimentos, performance/coreografia. - Dança: estilos, formas e géneros. Recursos educativos (11h) Movimento e consciência corporal (4h30m) 1. O movimento dançado. 2. Conteúdos: consciência do corpo; corpo e movimento; corpo, tempo e dinâmica. 3. Percursos de contemplação e aprendizagem (exemplos de referência na Dança). 4. Discursos comparativos: trajetórias de abordagem transdisciplinar. 5. Atividade: mapear o corpo — as possibilidades de movimento e sua expressividade. Espaço pensado pelo corpo (4h30) 1. Onde o corpo dança. O corpo e o trajeto no espaço. Direções de movimento no espaço. Espaço partilhável. 2. Conteúdos: corpo e espaço; corpo e relações. 3. Percursos de contemplação e aprendizagem (exemplos de referência na Dança). 4. Discursos comparativos: trajetórias de abordagem transdisciplinar. 5. Atividade: desenhar com o corpo no espaço — projeção e progressão espacial do movimento. Reflexão e exposição de propostas de trabalho (2h) 1. Apresentação de proposta de um recurso pedagógico, com caráter transdisciplinar, que reflita os conteúdos abordados na ação.

Metodologias

Presencial: Sessões teórico-práticas. Os conteúdos são expostos no decurso da apresentação com uma sequência de recursos, materiais, dispositivos e instrumentos para a prática educativa. Simultaneamente, desenvolvem-se modelos pedagógicos diferenciados na área da Dança, centrados numa aprendizagem que potencie o desenvolvimento pleno do aluno. Neste enquadramento, a apresentação do conjunto dos recursos pedagógicos é acompanhada pelos procedimentos necessários à sua produção, manuseamento a aplicação em contexto escolar. Os formandos irão ser convidados a desenvolver propostas individuais de trabalho para a construção de um recurso pedagógico a apresentar e discutir com os colegas na última sessão.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua, de acordo com os seguintes critérios: Participação/Contribuição: 50%; Trabalho de aplicação de Conteúdos (Projeto e reflexão crítica): 50%.

Bibliografia

BATALHA, A. P. (2004). Metodologia do Ensino da Dança. Cruz - Quebrada, Edições FMHLABAN, R. (1975). Modern Educacional Dance. Plymouth: Nothecote House PublishersFAZENDA, M. J. (2012). Dança Teatral: Ideias, Experiências, Ações. Lisboa: ColibriNETO, C. (2004). Desenvolvimento da Motricidade e as Culturas da Infância. Faculdade de Motricidade Humana, Universidade Técnica de LisboaUNESCO (2006). Roteiro para a Educação Artística. Desenvolver as Capacidade Criativas para o Século XXI. Lisboa: Comissão Nacional da UNESCO

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-07-2024 (Segunda-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
2 08-07-2024 (Segunda-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial
3 09-07-2024 (Terça-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
4 09-07-2024 (Terça-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial

Ref. 190B35T01 Em avaliação

Registo de acreditação: CDCP10-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 17-04-2024

Fim: 10-07-2024

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Carla Alexandra Jorge Machado Rodrigues Cid Moreno

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Bragança Norte / Agrup. de Escolas de Mogadouro/Biblioteca Municipal de Mogadouro/Rede de Bibliotecas Escolares

Enquadramento

Ação com a duração de três horas, realizada online (plataforma ZOOM), integrada num ciclo de webinars que decorre ao longo do ano letivo. O ciclo de webinars “As bibliotecas (in)formam é promovido pela Biblioteca Municipal Trindade Coelho (Mogadouro) em colaboração com as Bibliotecas Escolares do Agrupamento de Escolas de Mogadouro e a Rede de Bibliotecas Escolares (coordenação interconcelhia). Os webinars constituem espaços de informação e formação de docentes sobre temas ligados à sua atividade profissional, nomeadamente ao nível da educação para a cidadania e de abordagens metodológicas na educação.

Objetivos

- Afirmar o papel informativo e formativo das bibliotecas. - Desenvolver hábitos de frequência das bibliotecas para aceder à informação e à cultura. - Informar e formar os docentes sobre temas ligados à sua atividade profissional.

Conteúdos

- Identidade e património da CIMTTM. - Inteligência Artificial. - Leitura e inteligência emocional.

Metodologias

- A ACD revestirá o formato de Webinar, dividido em 3 sessões.

Modelo

Preenchimento de um formulário on-line

Anexo(s)

Cartaz


Observações

Para obtenção do certificado da Ação de Curta Duração (ACD), os docentes têm de estar presentes nos 3 webinars realizados no 3.º período, por forma a completarem as 3 horas de frequência obrigatória que são requeridas. Em cada webinar os docentes terão de assinalar a sua presença através do preenchimento de um formulário que será disponibilizado durante o mesmo.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 17-04-2024 (Quarta-feira) 20:45 - 21:45 1:00 Online síncrona
2 15-05-2024 (Quarta-feira) 20:45 - 21:45 1:00 Online síncrona
3 10-07-2024 (Quarta-feira) 20:45 - 21:45 1:00 Online síncrona

Ref. 187B32T01 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122521/24

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 30.0 horas (15.0 horas presenciais + 15.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 10-04-2024

Fim: 19-06-2024

Regime: b-learning

Local: em regime b-Learning/Agrupamento com mais formandos inscrito

Formador

Ana Sofia Coelho Carvalho

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte/ULSNE

Enquadramento

De acordo com o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, “O aprender a conhecer, o aprender a fazer, o aprender a viver juntos e a viver com os outros e o aprender a ser constituem elementos que devem ser vistos nas suas diversas relações e implicações”. O saber está no centro do processo educativo. É responsabilidade da escola desenvolver nos/as alunos/as a cultura científica que permite compreender, tomar decisões e intervir sobre as realidades naturais e sociais no mundo, contribuir para formar nos alunos a consciência de sustentabilidade, da qual depende a continuidade da vida na Terra, envolvendo os sistemas social, económico e tecnológico. Dado que a Plataforma eBug foi criada recentemente e foi concebida para uma utilização transdisciplinar e ao longo de todos os ciclos de ensino, há que preparar os docentes para essa Plataforma, capacitando-os e potenciando o uso dessa mesma Plataforma.

Objetivos

Ao encontro dos objetivos da Educação para a Cidadania definidos pela Direção-Geral da Educação, nomeadamente no que diz respeito, à Educação para a Saúde e Educação para a Sexualidade, com base no referencial de educação para a saúde, importa: • fomentar o interesse pela ciência • melhorar o conhecimento e perceção dos jovens sobre o que são microrganismos, a prevenção e controlo de infeções, bem como o uso prudente e adequado dos antibióticos • habilitar para uma atitude proativa no que diz respeito a cuidar da sua própria saúde e a dos outros • expressar respeito por si, pelo outro e pelo meio • identificar as infeções de transmissão sexual e as formas de prevenção primária e secundária • conhecer os direitos à informação, proteção e integridade corporal • desenvolver atitudes proativas de cidadania responsável • conhecer o impacto das atitudes e comportamentos na utilização de antibióticos

Conteúdos

A. ENQUADRAMENTO (3 h) Introdução ao eBug; Objetivos do Programa -Bug; Exploração da Plataforma e-Bug Portugal; Conceitos teóricos que estão na base da plataforma; Importância da articulação entre conteúdos Ebug, Aprendizagens Essenciais e o Perfil do Aluno à Saída da Escolaridade Obrigatória B. O Mundo dos Microrganismos (2,5 horas) 1. Introdução aos Microrganismos (fungos, vírus e bactérias) 2. Microrganismos Úteis (uso industrial e alimentar e saúde) 3. Microrganismos Nocivos 4. Exploração de atividades práticas passíveis de desenvolver em cada nível de educação/ensino C. Importância da Higiene (2,5 horas) 1. Higiene das Mãos 2. Higiene Respiratória 3. Higiene Oral 4. Higiene Alimentar 5. Higiene Animal e Agrícola 6. Exploração de atividades práticas passíveis de desenvolver em cada nível de educação/ensino D. Importância da Vacinação (1 hora) 1. Vacinação 2. Exploração de atividades práticas passíveis de desenvolver em cada nível de educação/ensino E. Antibióticos e Resistência Antimicrobiana (2 horas) 1. Antibióticos 2. Resistência antimicrobiana 3. Reconhecimento da importância da reflexão sobre o impacto do uso de antibióticos na multiplicação de microrganismos resistentes 4. Exploração de atividades práticas passíveis de desenvolver em cada nível de educação/ensino F. Infeções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) (2 horas) 1. Causas e contactos de risco 2. Exemplos de ISTs 3. Regras básicas para a prevenção 4. Exploração de atividades práticas passíveis de desenvolver em cada nível de educação/ensino G. Apresentação dos trabalhos (2h)

Avaliação

Participação (participação ativa nas sessões presenciais e iniciativa) A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final elaborado pelos formandos. A avaliação contempla a realização de um trabalho crítico-reflexivo, refletindo uma abordagem global e integradora dos temas abordados durante a formação, relacionando os temas/sessões assistidas em que seja focado o seu impacto nas práticas de ensino e/ou na formação pessoal e no seu desenvolvimento profissional. A avaliação do trabalho incidirá sobre o conteúdo e pertinência da análise, identificando ganhos pedagógicos, a coerência textual e a correção formal.

Bibliografia

Referencial de Educação para a Saúde, disponível em http://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Esaude/referencial_educacao_saude_original_4julho2017_horizontal.pdfEstratégia Nacional de Educação para a Cidadania, disponível em: http://www.dge.mec.pt/sites/default/files/ECidadania/Docs_referencia/estrategia_cidadania_original.pdfPerfil dos alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, disponível em: http://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Projeto_Autonomia_e_Flexibilidade/perfil_dos_alunos.pdfThe European Union Summary Report on Antimicrobial Resistance in zoonotic and indicator bacteria from humans, animals and food in 2019–2020, disponível em: https://www.ecdc.europa.eu/sites/default/files/documents/efs2_7209_Rev2.pdfAntimicrobial Resistance in the EU/EEA - A One Health Response, disponível em https://www.ecdc.europa.eu/sites/default/files/documents/antimicrobial-resistance-policy-brief-2022.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-04-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
2 24-04-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 16:30 2:30 Online síncrona
3 08-05-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 16:30 2:30 Online síncrona
4 22-05-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona
5 12-06-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 16:00 2:00 Online síncrona
6 19-06-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 16:00 2:00 Presencial

Ref. 186B31T01 Concluída

Registo de acreditação: CDCP08-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 29-05-2024

Fim: 29-05-2024

Regime: e-learning

Local: em regime on-line/Webinar

Formador

Nuno Miguel Taborda Cid Dorotea

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte/Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Enquadramento

A Inteligência Artificial emerge como força transformadora no panorama educativo, redefinindo a abordagem tradicional ao ensino e à aprendizagem tornando-a mais personalizada, envolvente e eficaz. Criando ambientes de aprendizagem interativos e envolventes, através de simulações realistas e atividades adaptativas, aumenta o interesse dos alunos, mas também promove a aplicação prática do conhecimento. Neste sentido, pela sua capacidade para analisar dados, para criar ou adaptar conteúdos e para oferecer feedback individualizado, oferece oportunidades inovadoras para personalizar a aprendizagem, adaptando-se às necessidades individuais dos alunos. Nas múltiplas aplicações de acesso livre, os professores encontram um aliado para o planeamento e conceção de, por um lado, atividades pedagógicas adequadas a diversas metodologias e estratégias e, por outro, atividades avaliativas diferenciadas e inovadoras. Importa salientar que a IA se configura como uma ferramenta que complementa e potencia o trabalho do professor, considerando uma integração consciente e responsável no processo educativo. Contudo, é igualmente crucial abordar junto dos professores os desafios éticos que esta integração envolve, para que se garanta uma utilização responsável e eficaz.

Objetivos

- Proporcionar o conhecimento do é, como funciona e onde se encontra atualmente integrada na sociedade a IA. - Sensibilizar os docentes para a importância de considerar a IA em contexto escolar. - Refletir sobre os desafios e oportunidades da IA em educação. - Partilhar ideias e ferramentas de IA para uso pedagógico.

Conteúdos

- Em que consiste a Inteligência Artificial (IA) - IA em contexto educativo: desafios e oportunidades - IA e avaliação da aprendizagem - Aplicações de IA no apoio ao planeamento e às atividades pedagógicas

Metodologias

- A ACD revestirá o formato de Webinar

Modelo

A avaliação da ação será feita pelos formandos através do preenchimento de um questionário, disponibilizado on-line.

Anexo(s)

Cartaz


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 29-05-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. 191B28T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-125407/24

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 11-05-2024

Fim: 21-06-2024

Regime: b-learning

Local: em regime b-Learning/Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Formador

Elsa Carina da Silva Escobar

Destinatários

Professores dos grupos de recrutamento 120, 210, 220, 300, 310, 320, 330, 340, 350

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos de recrutamento 120, 210, 220, 300, 310, 320, 330, 340, 350. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos de recrutamento 120, 210, 220, 300, 310, 320, 330, 340, 350.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

A publicação do Decreto-Lei n.º 55/2018, de 6 de julho, que assume a “afirmação da avaliação das aprendizagens como parte integrante da gestão do currículo enquanto instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens” como um dos seus princípios orientadores, e a subsequente implementação do Projeto MAIA, a partir de setembro de 2019, com o intuito de contribuir para melhorar as práticas de avaliação e de ensino, vieram transformar a “Avaliação” numa dos temas mais ubíquos nos debates atuais nas escolas. Consequentemente, e atendendo a que:  A avaliação pedagógica assume, na escola atual, uma centralidade inegável, com efeitos concretos nas práticas de ensino e aprendizagem, nomeadamente como promotora do “sucesso escolar”;  O domínio das línguas maternal e estrangeira se constitui indispensável para uma comunicação perspícua no mundo hodierno;  As Aprendizagens Essenciais das Línguas Estrangeiras devem ser perspetivadas em conformidade com o QECRL, que, sofreu, em 2020, alterações; Considerou-se pertinente desenvolver uma oficina de formação que contribua para que os/as professores/as de língua estrangeira consolidem a mudança de modo contextualizado, aprofundem competências e conhecimentos inerentes ao processo de avaliação das e para as aprendizagens, designadamente, através de desenvolvimento de recursos pedagógicos e didáticos a aplicar nos seus contextos educativos.

Objetivos

- Contribuir para o desenvolvimento de competências e conhecimentos no domínio da avaliação, designadamente da avaliação pedagógica, congruentes com as orientações constantes nos documentos legais e com o QECRL (níveis de língua e seus descritores, no que diz respeito às Competências Linguísticas e de Mediação); Explicitar e contextualizar o conceito de mediação no QECRL; Identificar os diferentes tipos de mediação nas línguas; - Realçar a mediação nos documentos curriculares de referência (PASEO e AE); - Analisar os mecanismos de avaliação das competências comunicativas utilizados pelos participantes; - Analisar critérios, parâmetros e descritores de avaliação dos Departamentos de Línguas Estrangeiras à luz do QECRL, tentando identificar processos de recolha de informação adequados às competências em apreço; - Desenvolver processos de recolha de informação das competências comunicativas de acordo com o QECRL; - Conhecer modelos de tarefas para os vários níveis de ensino que incluem a mediação; - Promover a melhoria da qualidade do processo de ensino-aprendizagem-avaliação; - Fomentar a partilha de atividades e estratégias.

Conteúdos

1. Apresentação, informações e enquadramento teórico – 3 horas 2. Conceitos estruturantes da avaliação pedagógica – 3 horas 3. Familiarização com os descritores das competências e subcompetências do QECRL. Análise de critérios, parâmetros e descritores de avaliação dos Departamentos de Línguas Estrangeiras à luz do QECR – 3 horas 4. Avaliação e feedback de qualidade: diferentes tipos de avaliação nas LE; avaliação formativa; feedback – 3 horas 5. Avaliação para as aprendizagens e Avaliação das Aprendizagens: atividades/tarefas – 3 horas 6. Avaliação enquanto aprendizagem: o uso de rubricas – 3 horas 7. Apresentação, discussão e avaliação dos planos de aula e materiais desenvolvidos no âmbito da oficina - 7 horas.

Avaliação

De acordo com o RJFCP – Decreto-Lei n.º 22/2014, de 11 de fevereiro - e nos termos dos n.ºs 5 e 6, do artigo 4.º do Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, valorizando-se uma lógica formativa e de acompanhamento. Assim, a avaliação dos/as formandos/as incidirá sobre: 1. A participação e o trabalho contínuo realizado ao longo das sessões presenciais – 25% 2. A componente de trabalho individual, tendo em conta a qualidade dos planos de aula e materiais produzidos; A apresentação dos trabalhos. – 75%

Bibliografia

Brookhart, Susan M. Classroom Assessment Essentials. ASCD, Alexandria.2024Cooper, Damian e Jeff Catania. Rebooting Assessment: A Practical Guide for Balancing Conversations, Performances, and Products (How to Establish Performance-Based, Balanced Assessment in the Classroom). Solution Tree Press, Bloomington, 2022.Greenstein, Laura M. Assessing 21st Century Skills: A Guide to Evaluating Mastery and Authentic Learning. Corwin, Thousand Oaks, 2012.Guskey, Thomas R. e Susan M. Brookhart (eds). What We Know About Grading: What Works, What Doesn't, and What's Next. ASCD, Alexandria, 2019.Szczepanski, Amy. “I Let Students Choose Their Grading Criteria, and Here’s How It Went”. www.edutopia.org/article/letting-students-choose-their-grading-criteria. Acedido em 28/02/2024

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-05-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
2 14-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 22-05-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 27-05-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 04-06-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 11-06-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 20-06-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
8 21-06-2024 (Sexta-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial

Ref. 146B23T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122766/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 10-05-2024

Fim: 18-05-2024

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Formador

Clara Isabel Calheiros da Silva de Melo Serrano

Destinatários

Professores dos Grupos 200 e 400

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 200 e 400. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 200 e 400.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

A historiografia versando a Época Contemporânea tem conhecido um desenvolvimento apreciável nos últimos anos, girando em torno de elementos e temáticas cada vez mais próximos do tempo presente. Umas vezes tomando um rumo mais comemoracionista, como tem sucedido com o centenário da Primeira Guerra Mundial, outras vezes chamando à colação processos históricos menos visitados – pelo menos de um ponto de vista distanciado – como tem ocorrido com a questão da descolonização. É, pois, possível afirmar que se impõe uma reflexão propensa a relacionar mudanças territoriais, políticas, sociais, económicas e culturais do “longo” século XX com a atualidade. De resto, o papel do docente de História deve hoje assentar no permanente jogo temporal passado/presente, empregando novas abordagens científicas (História do Tempo Presente e análise contra factual) e didáticas (uso de fontes primárias já disponíveis na Internet e as “ficções” históricas fundadas em experiências reais). Assim, esta ação pretende passar em revista alguns dos acontecimentos mais notáveis dos finais do século XIX e de todo o século XX, recorrendo à experiência do público-alvo, e conjugando a análise de fontes e materiais dos mais diversos, procurando enriquecer a prática docente, através da elaboração de trabalhos/exercícios, que possam ser canalizados para as aulas e explorados pelos alunos.

Objetivos

- Proceder à análise crítica das fontes primárias e periodísticas existentes na Internet e da sua possível conversão em material didático (pelos docentes e pelos alunos, em contexto de trabalho individual ou de grupo). - Explorar diverso tipo de documentação (mapas, fotografias, “imagens em movimento”) e seu consequente emprego em materiais didáticos. - Redigir (e/ou estratégias para que os alunos venham a redigir) curtas “ficções” históricas, para posterior análise interpretativa em contexto de sala de aula. - Problematizar o emprego de estratégias mais ou menos recentes da historiografia, nomeadamente a Micro- História, a História do Tempo Presente a análise contra factual (no que respeita a esta última, baseando-se na experiência dos alunos em jogos de vídeo versando temáticas históricas).

Conteúdos

 As fontes - Problematizar (de novo) a fonte histórica - O livro, o diário, a carta - Mapas, jornais e revistas - A fonte oral como experiência. Que experiência?  As tendências e os métodos - História, memória e jornalismo - A Micro-História - A História do Tempo Presente - A Análise contra factual  A escrita - Narrativa e problema - A verdade histórica - A escrita do tempo e a sua verdade - Ficção histórica vs. fabricação histórica e revisionismo

Metodologias

As sessões serão essencialmente teórico-práticas e práticas. Serão utilizados os métodos expositivo, interrogativo e ativo, recorrendo às seguintes metodologias: dinâmica de grupo; debate; exposição oral; trabalho cooperativo; trabalho individual; reflexão e descoberta. Pretende-se criar um contexto de aprendizagem em que cada formando seja convidado a analisar e refletir sobre a sua área científica e a prática com as suas turmas.

Avaliação

A avaliação será feita com base nas tarefas realizadas ao longo das sessões presenciais conjuntas e na produção de um trabalho individual, que inclua uma componente de análise, em articulação com uma componente de reflexão crítica sobre o impacto da ação na atividade profissional do docente (no início da ação serão dadas outras indicações relativamente ao trabalho a realizar). A avaliação final por formando é de carácter obrigatório e individual. A avaliação quantitativa de cada formando expressa numa escala de 1 a 10 valores, nos termos do Despacho 4595/2015, com base nos seguintes parâmetros e ponderação: • Participação nas sessões presenciais - 20% • Trabalho produzido durante a ação de Formação: Planificação e Contribuições em geral - 50% • Relatório Final - 30% 9.

Bibliografia

ARRIFES, Marco Fortunato, A Primeira Guerra Mundial na África Portuguesa: Angola e Moçambique (1914-1918). Lisboa: Edições Cosmos, Instituto da Defesa Nacional, 2004.CORRAL, José Luis, GARCÍA HERRERO, Carmen, NAVARRO, Germán, Taller de Historia: el oficio que amamos. Barcelona: Edhasa, 2006.HOBSBAWM, E. J., A Era dos Extremos. História Breve do Século XX (1914-1991). Lisboa: Presença, 2008.PIRES, Leonor Martins, Um império de papel: imagens do colonialismo português na imprensa periódica ilustrada (1875-1940). Lisboa: Edições 70, 2012.TORGAL, Luís Reis, Estados novos, estado novo: ensaios de história política e cultural. Vols. I e II. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2009.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-05-2024 (Sexta-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial
2 11-05-2024 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
3 11-05-2024 (Sábado) 14:00 - 18:30 4:30 Presencial
4 17-05-2024 (Sexta-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial
5 18-05-2024 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
6 18-05-2024 (Sábado) 14:00 - 18:30 4:30 Presencial

Ref. 189B29T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123708/24

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 16-04-2024

Fim: 11-06-2024

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Formador

Luísa Maria Fernandes

Destinatários

Professores dos Grupos 230, 510, 520

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 230, 510, 520. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 230, 510, 520.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

Com a generalização das redes e da Internet, os professores podem partilhar os recursos produzidos com outros colegas de diferentes escolas. Mas a percepção é que existem poucos recursos em lingua portuguesa na àrea das ciências experiementais. Os professores precisam de meios e de recursos de qualidade que os ajudem a satisfazer as necessidades de ensino, de avaliação e de desenvolvimento profissional, num mundo tecnologicamente cada vez mais avançado e complexo. A utilização de recursos educativos na escola e na sala de aula implica, por isso, a existência de uma cadeia ou sequência de processos que correspondam a diferentes fases, desde a concepção e a criação dos recursos, à sua utilização por professores e por alunos em contexto de aprendizagem e, finalmente, à avaliação dos resultados de aprendizagem. Tchounikine ( 2011) considera os recursos educativos digitais como entidades digitais produzidas especificamente para fins de suporte ao ensino e à aprendizagem. Neste conceito, podem ser considerados recursos educativos digitais um jogo educativo, um programa informático de modelação ou simulação, um vídeo, um programa tutorial ou de exercício prático, um ambiente de autor ou recursos mais simples na sua dimensão de desenvolvimento uma página web, ou uma apresentação eletrónica multimédia, etc. desde que armazenados em suporte digital e que “levem em linha de conta, na sua conceção, considerações pedagógicas"

Objetivos

Conscencializar da importância da utilização de RED como recurso pedagógico; Conhecer repositórios de Recursos Educativos Digitais passiveis de serem usados nas ciências experimentais ; - Conhecer as potencialidades de várias aplicações para a criação de recursos que permitam concretizar as aprendizagens essenciais; - Construir recursos educativos digitais com distintas finalidades: disponibilização de conteúdo, desenvolvimento de trabalho prático, gamificação, colaboração e avaliação; - Formar professores para a integração dos RED em sequências de aprendizagem desenvolvidas em LMS; - Partilhar os recursos criados.

Conteúdos

Sessões teóricas: a) Definição de recurso educativo digital; b) Exploração de repositórios de recursos educativos digitais ( ex: simuladores); c) Exploração de aplicações de produção de RED de disponibilização de conteúdos: Video aulas, infográficos e livros digitais; d) Exploração de aplicações de produção de RED de consolidação de conteúdos: Genial.ly;Quizelet; Flipgrid; e) Exploração de aplicações de produção de RED de gamificação: breackoutrooms, Quizizz; Kahoot, f)Exploração de aplicações de produção de RED de avaliação de conceitos: Quizlet, Forms Sessões práticas f) Contrução de um recurso digital em cada uma das aplicações estudadas f) Construção de uma sequência de aprendezagem que integre RED g) Utilização de recursos digitais em sala de aula: integração numa LMS ;

Avaliação

Os formandos serão avaliados na escala de 1 a 10, de acordo com o despacho nº 4595/2015, do Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar. A avaliação dos formandos depende da frequência mínima de 2/3 das horas de formação presencial. Critérios de avaliação: ­ Empenho e participação nas sessões – 25% - Trabalhos realizados ao longo das sessões - 25% ­ Trabalho final individual ( construção de um recurso, um plano para a sua utilização em sala de aula e o relatório da sua implementação) – 50%

Bibliografia

Ramos, J. L., Teodoro, V. D., Maio, V. M., Carvalho, J. M. e Ferreira, F. M. ( 2005). Sistema de Avaliação, Certificação e Apoio à Utilização de Software para a Educação e Formação. Cadernos SACAUSEF I. DGIDDC/ME.Ramos, J. L., Teodoro, V. D., Fernandes, J. P. S., Ferreira, F. M. e Chagas, I. (2010). Portal das Escolas. Recursos Educativos Digitais para Portugal. Estudo Estratégico. GEPE/Ministério da Educação.Tchounikine, P. (2011). Computer Science and Educational Software Design. A Resource for Multidisciplinary Work in Technology Enhanced Learning. Springer

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 16-04-2024 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 23-04-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
3 30-04-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
4 07-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 14-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
6 21-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
7 28-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
8 11-06-2024 (Terça-feira) 16:30 - 20:30 4:00 Presencial

Ref. 184B27T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123453/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 15-04-2024

Fim: 31-05-2024

Regime: b-learning

Local: em regime b-Learning/Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Formador

Luísa Maria Afonso Fernandes Diz Lopes

Destinatários

Professores dos grupos 200, 210, 220, 300 e 320

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 200, 210, 220, 300 e 320. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 200, 210, 220, 300 e 320.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

Os diferentes domínios e a as diversas competências que estruturam a aprendizagem das línguas exigem que se procurem estratégias e atividades mobilizadoras de diferentes saberes e capacidades abordados de forma integrada. As atividades baseadas na gamificação têm sido usadas como forma de motivação dos alunos e de relação das aprendizagens específicas com as situações do mundo real, permitindo alterar as dinâmicas na sala de aula e melhorar as aprendizagens, porque são orientadas para um objetivo, organizadas por regras que têm de ser seguidas, apresentam um sistema de feedback e incorporam uma componente competitiva. Finalmente, a existência de um número de ferramentas digitais cada vez maior e a disponibilidade da Inteligência Artificial generativa permite agilizar a criação de jogos de fuga educativos digitais, que integrem desafios que impliquem os diversos domínios da disciplina, promovendo a motivação, o envolvimento, a criatividade e o espírito de cooperação dos alunos no processo de resolução de problemas, bem como processos de autorregulação, o que desenvolve as suas competências e melhora as suas aprendizagens. Nesta formação, pretende-se capacitar os docentes para a adaptação e construção de jogos de evasão digitais através da análise e discussão de algumas propostas, dos princípios estratégicos que as enformam, e do design das narrativas subjacentes aos mesmos, seguida da planificação (construção de uma narrativa, objetivos de aprendizagem, conteúdos a explorar, competências a desenvolver e processos de monitorização das aprendizagens) construção, aplicação, partilha e avaliação do recurso educativo digital construído.

Objetivos

- Compreender os princípios inerentes à conceção de um Jogo de Evasão Educativo; - Incentivar a criatividade e o trabalho colaborativo; - Capacitar e apoiar os professores na utilização de estratégias de aprendizagem ativa baseadas em jogos; - Desenhar e conceber um jogo de fuga para estimular e consolidar aprendizagens dos diferentes domínios da disciplina e desenvolver a autonomia; - Criar, aplicar e monitorizar experiências de aprendizagem diversificadas de aplicação de conteúdos gramaticais, produção de discursos orais e escritos, compreensão e interpretação de textos; – Promover momentos de autoaprendizagem, autorreflexão e “feedback”, através da experimentação de ferramentas e aplicativos digitais que contribuam para as aprendizagens de português; – Planear atividades de acordo com os documentos de referência para o ensino e a aprendizagem do Português; – Refletir acerca das potencialidades do uso de ferramentas digitais nas aprendizagens do Português; – Estimular a criação de redes de partilha de conhecimento, através da avaliação por pares de propostas de trabalho.

Conteúdos

Módulo 1: Pressupostos teóricos subjacentes aos jogos de fuga Sessão 1 - online síncrona - 3 horas – (2 teóricas + 1 prática) Apresentação da ação de formação. Do jogo na educação à gamificação com apresentação de estudos de caso. Exploração de exemplos de jogos de evasão aplicados na disciplina de português Sessão 2 – online síncrona - 3 horas - (1 teórica + 2 práticas) Elementos chave dos Jogos de Evasão Educativos; Objetivos de aprendizagem; Competências pedagógicas, sociais, técnicas e digitais dos educadores; monitorização e feedback. Modelo Octalysis. Princípios estratégicos no design de narrativa para Jogo de Evasão Educativo. Idealização de uma narrativa para o aluno compreender, identificar e aplicar conceitos. Atividade prática de exploração de ferramentas digitais que contemplem o desenvolvimento das competências associadas aos vários domínios da disciplina de Português e que possam ser integradas num jogo de evasão ancorado na aplicação Genially. Módulo 2: Desenho, modificação e partilha de recursos digitais lúdicos Criação de um jogo de evasão, experimentação na sala de aula e aperfeiçoamento do recurso Sessão 3 – online síncrona - 3 horas (práticas) Modelo de referência para estruturar um jogo de evasão literário. Geração de ideias. O ChatGPT. Criação da narrativa subjacente à atividade e planificação do jogo de evasão. Plataformas e ferramentas digitais para criar jogos de evasão. Sessão 4 – presencial - 3 horas (práticas) Construção das tarefas de aprendizagem que enformam a atividade gamificada, que contemplem sistemas de monitorização, feedback e feedforward. Sessão 5 - presencial - 3 horas (práticas) Criação e organização dos recursos digitais que constituem a sequência de aprendizagem gamificada criada. Sessão 6 – online síncrona - 3 horas (teórico-práticas) Apresentação/discussão e avaliação dos recursos produzidos pelos pares numa perspetiva de aperfeiçoamento: objetivos de aprendizagem; processo; experiências e necessidades; avaliação e feedback. Sessão 7 - online síncrona - 3 horas (práticas) Aperfeiçoamento dos recursos e componentes produzidos e preparação para aplicação em sala de aula. Criação da rubrica de avaliação da tarefa realizada em sala de aula. Módulo 3 - Partilha, avaliação e aperfeiçoamento do RED. Encerramento e avaliação da formação e dos formandos. Sessão 8 – online síncrona - 4 horas (teórico-práticas) Partilha e reflexão sobre a experiência didática resultante da utilização do jogo de fuga na sala de aula: processo; objetivos e resultados de aprendizagem. Possíveis percursos. Avaliação dos formandos e da formação e sugestões para futura formação.

Metodologias

A ação decorre ao longo de 25 horas num regime híbrido, com 6 horas presenciais e 19 síncronas online, recorrendo-se a uma metodologia teórico-prática, com claro predomínio para a última. No que diz respeito à teórica, os momentos expositivos serão intercalados com etapas demonstrativas e de interação entre todos os presentes, sendo analisados e discutidos pressupostos relacionados com a construção de jogos de fuga educativos. Na componente prática, será privilegiada uma aprendizagem ativa, através da execução de tarefas de exploração das funcionalidades das plataformas, aplicações e ferramentas que poderão contribuir para o desenvolvimento das diferentes competências da aula de língua materna, planificação e construção de um artefacto educativo digital, com a orientação do formador. Haverá sessões de partilha do progresso realizado e os jogos serão testado em ambiente de formação numa perspetiva de aperfeiçoamento. Finalmente, os resultados da aplicação do recurso em sala de aula serão apresentados, analisados em grande grupo, numa perspetiva de auto e heterorregulação conducente ao aperfeiçoamento dos recursos produzidos.

Avaliação

Os formandos serão avaliados na escala de 1 a 10, de acordo com o despacho n.º 4595/2015, do Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar. A avaliação alcançada pelos formandos depende da frequência mínima de 2/3 das horas de formação presencial. Critérios de avaliação: Empenho e participação nas sessões – 40% Recurso produzido – 45% Reflexão crítica: 15%

Modelo

Questionário de avaliação da ação através de formulário disponibilizado on-line.

Bibliografia

Kapp, K. M. (2012). The gamification of learning and instruction: Game-based methods and strategies for training and education. San Francisco: Pfeiffer.Dichev and Dicheva International Journal of Educational Technology in Higher Education (2017) 14:9 DOI 10.1186/s41239-017-0042-5Walsh, A. (2017). Making Escape Rooms for Educational Purposes: A Workbook. Huddersfield: Innovative Libraries.Michael, D. and Chen, S. 2005. Serious Games: Games That Educate, Train, and Inform. Cengage Learning, Mason, OH, USA.Ferreira,M., Morgado,D., Miranda, G. (2018).Análise das funcionalidades de gamificação nos ambientes de aprendizagem Classcraft e Moodle à luz da framework Octalysis https://repositorioaberto.uab.pt/bitstream/10400.2/7294/1/Ferreira%20et%20al.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-04-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 18-04-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 23-04-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 30-04-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 07-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
6 13-05-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 21-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 31-05-2024 (Sexta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona

Ref. 182B25T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120853/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 08-04-2024

Fim: 27-05-2024

Regime: b-learning

Local: em regime b-Learning/Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Formador

Mónica Augusta Rodrigues Fernandes Moreira

Lurdes Fernandes Nicolau

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

O tema da interculturalidade está cada vez mais presente nas escolas, devido à evolução e diversificação cultural que se verifica na sociedade portuguesa, na atualidade. Apesar da coexistência de diversas culturas no mesmo espaço, por vezes, não se verifica convivência entre elas, sendo necessário desenvolver uma nova consciência no sentido de aceitar e respeitar a cultura do “outro”. Desta forma, torna-se pertinente criar espaços para a educação intercultural e a escola surge como um local privilegiado, pois promove a socialização e aquisição da própria cultura e simultaneamente interage com o “outro” e a sua cultura. A educação intercultural deve promover o reconhecimento e a valorização da diversidade como oportunidade e aprendizagem para todos e desenvolver a capacidade de comunicar e incentivar a interação social para a construção de uma sociedade verdadeiramente intercultural.

Objetivos

- Promover uma melhor compreensão da diversidade cultural; - Sensibilizar para o acolhimento e integração de imigrantes e minorias étnicas nas escolas e na sociedade; - Conhecer normativos e documentos orientadores do Português Língua Não Materna (PLNM); - Promover atitudes assertivas em contexto de diversidade cultural; - Formar para a interculturalidade; - Refletir sobre a importância dos processos de educação e aprendizagem intercultural; - Formular e partilhar estratégias pedagógicas inovadoras relativamente à temática a trabalhar.

Conteúdos

(Sessão síncrona: 1.30 h) - Apresentação dos formadores/formandos, perspetivas sobre a ação e partilha de experiências em contextos de diversidade cultural nas escolas. Conteúdos, metodologia e avaliação; (Sessão presencial: 2 h) - Interculturalidade/Multiculturalidade e educação intercultural: perspetiva de vários autores e enquadramento; (Sessão presencial: 2 h) - Português Língua Não Materna (PLNM): documentos curriculares de referência e documentos de apoio; (Sessão assíncrona: 2 h) - Elaboração de respostas educativas que promovam a integração dos alunos que frequentam PLNM; (Sessão presencial: 2 h) - Partilha dos trabalhos realizados. Compreensão das culturas e identidades das sociedades modernas; (Sessão presencial: 2 h) - Capacidade de comunicação entre pessoas e grupos socioculturais diferentes (estereótipos e estigmas sociais); (Sessão síncrona: 3 h + assíncrona: 3 h) - Conhecimento de diferentes sociedades. Recolha de informação sobre aspetos culturais de diferentes países e partilha da mesma; (Sessão síncrona: 1h + assíncrona: 4 h) - Estratégias de promoção da educação intercultural; Práticas interculturais: elaboração de um Plano com estratégias que promovam a inserção de alunos estrangeiros; (Sessão presencial: 2.30 h) - Partilha dos Planos realizados; Reflexão final/avaliação.

Metodologias

A ação realizar-se-á com uma componente teórico-prática em regime b-learning. Nas sessões presenciais, para além da apresentação de conceitos baseados na perspetiva de vários autores recorrer-se-á a outras metodologias como o role-play, brainstorming, considerações individuais e/ou em grupo, no sentido de se promover a reflexão sobre as temáticas trabalhadas. Nas sessões síncronas as formadoras deverão proporcionar conhecimentos e promover a reflexão em torno das questões abordadas. Nas sessões assíncronas pretende-se que os formandos realizem as tarefas propostas recorrendo à bibliografia e documentação disponibilizada, tendo também em conta as suas vivências profissionais e o contexto escolar onde se encontram a exercer funções, de forma a tornar-se um possível instrumento de trabalho. Os formandos deverão partilhar os resultados dos trabalhos realizados de forma autónoma individual e/ou em grupo, em sessões síncronas e também presenciais.

Avaliação

A avaliação dos formandos será feita de acordo com o regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. Aplicar-se-á a escala de 1 a 10 como determinado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. Serão tidos em conta os seguintes critérios: 40% - Participação nas sessões 60% - Trabalhos individuais/grupo realizados.

Bibliografia

SOUTA, L. (1997). Multiculturalidade e Educação. Porto: Profedições.STOER, S. e CORTESÃO, L. (1999). Levantando a Pedra – Da Pedagogia Inter/Multicultural às Políticas Educativas numa Época de Transnacionalização. Porto: Edições Afrontamento.FERREIRA, M. (2003). Educação Intercultural. Lisboa: Universidade Aberta.ROMERO, C. (2010). “Interculturalidade e Mediação”, in Cadernos de Apoio à Formação 4, ACIDI, I.P.MARQUES, R. (2002). Valores Éticos e Cidadania na Escola. Barcarena: Editorial Presença.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Online síncrona
2 15-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Presencial
3 22-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Presencial
4 23-04-2024 (Terça-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online assíncrona
5 29-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Presencial
6 06-05-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Presencial
7 09-05-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 19:00 1:00 Online síncrona
8 13-05-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
9 16-05-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
10 20-05-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 19:00 1:00 Online síncrona
11 21-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online assíncrona
12 27-05-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial

Ref. 185B30T01 Concluída

Registo de acreditação: CDCP07-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 20-03-2024

Fim: 20-03-2024

Regime: Presencial

Local: na Biblioteca do Agrupamento de Escolas Miguel Torga

Formador

Ana Cristina Falcão Escorrega

Silvia Paula Vasco Gonçalves da Costa Fernandes

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte/Agrupamento de Escolas Miguel Torga

Enquadramento

Esta ação constitui a disseminação de dois cursos estruturados no âmbito do Programa Erasmus+, do Consórcio do CFAE Bragança Norte. Curso 1 - The social, the emotional and the digital approach Num ambiente educativo diversificado, a escola é desafiada em diversas frentes, nomeadamente, na promoção da inclusão, da igualdade de oportunidades e de participação para todos os estudantes. Pretende-se desafiar os formandos para uma reflexão sobre as implicações da diversidade, apresentando exemplos de ferramentas educativas, emocionais e digitais eficazes que poderão ajudar a responder ao desafio de trabalhar num ambiente diversificado. Curso 2 - Greener school for a sustainable future: climate change education Este curso relaciona-se com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, de acordo com a Agenda 2030, visando garantir que todas as pessoas tenham as mesmas oportunidades e possam levar uma vida melhor sem comprometer o planeta. A contribuição para o desenvolvimento sustentável começa com um processo de sensibilização através do cálculo da pegada de carbono pessoal. São trabalhados diversos materiais que permitem orientar os docentes nesta importante missão. As alterações climáticas não só colocam desafios ambientais, mas também estão relacionadas com os aspectos económicos, sociais e culturais das nossas vidas, afetando, por exemplo, as paisagens, a água potável e o abastecimento de alimentos. Ensinar apenas ciência não é suficiente, devemos envolver todos os temas numa abordagem multidisciplinar para aumentar a sensibilização e enfrentar as alterações climáticas, educando para um futuro sustentável.

Objetivos

- Refletir sobre as noções de diversidade, multiculturalismo, discriminação, inclusão e igualdade de oportunidades na escola; - Conhecer métodos e estratégias para abordar as questões acima mencionadas; - Aumentar a confiança na gestão das necessidades emocionais e relacionais dos alunos; - Conhecer ferramentas digitais para uma variedade de objetivos educacionais; - Conhecer diferentes formas de contribuir para o desenvolvimento sustentável; - Sensibilizar para o impacto da pegada de carbono; - Desenvolver ações reais que ajudem os alunos a reduzir a sua pegada ecológica; - Integrar os conhecimentos de educação ambiental nas aprendizagens essenciais das diferentes disciplinas do currículo.

Conteúdos

1. Salas de aula inclusivas 2. Ambiente de aprendizagem positivo 3. Teoria VARK dos diferentes estilos de aprendizagem 4. Conteúdos e competências docentes do século XXI 5. Estratégias de aprendizagem cooperativa e escuta ativa para inclusão 6. Rotinas de pensamento artístico e dramatizações na educação 1. Alterações Climáticas 1.1. O que são? 1.2. Diferença entre clima e tempo 1.3. Efeito de estufa 1.4. Ciclo do carbono 1.5. Pegada Ecológica 2. Energia e Água 3. Alimentação e desperdício 4. Cidades sustentáveis 5. Atividades de sala de aula

Metodologias

Os docentes são envolvidos ativamente na reflexão sobre os conteúdos apresentados, na proposta e discussão de estratégias/atividades.

Modelo

Os formandos farão a avaliação da formação através do preenchimento de um questionário disponibilizado on-line.

Bibliografia

https://vark-learn.com/introduction-to-vark/the-vark-modalities/ https://teaching.resources.osu.edu/teaching-topics/shaping-positive-learning https://www.footprintcalculator.org/home/en https://www.youtube.com/watch?v=gcStpg3i5V8 https://www.youtube.com/watch?v=OL26yYFmDHU https://planetbaseddiets.panda.org/ https://www.un.org/en/site-search?query=WATER

Anexo(s)

Cartaz


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 20-03-2024 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Presencial

Ref. 188B33T01 Concluída

Registo de acreditação: CDCP09-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 19-03-2024

Fim: 19-03-2024

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas Miguel Torga

Formador

Ana Sofia Coelho Carvalho

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte/Agrupamento Miguel Torga/Saúde Escolar

Enquadramento

A Organização Mundial de Saúde define a sexualidade como “uma energia que nos motiva para encontrar amor, contacto, ternura e intimidade; ela integra-se no modo como sentimos, movemos, tocamos e somos tocados, é ser-se sensual e ao mesmo tempo ser-se sexual. A sexualidade influencia pensamentos, sentimentos, ações e interações e, por isso, influencia também a nossa saúde física e mental” (OMS, 2001). A educação da sexualidade é uma ferramenta essencial à promoção da saúde, contribuindo para o aumento da literacia em saúde e do pensamento crítico, motivando o desenvolvimento de valores éticos e de competências necessárias à tomada de decisões conscientes, saudáveis e responsáveis na área da sexualidade e das relações interpessoais. Sendo a escola um lugar habitado por crianças e jovens, cujas idades são atravessadas pelos fenómenos de transformação corporal e psicológica ligados ao crescimento natural, é nela que se vivem alguns dos primeiros e mais impressivos sentimentos e emoções decorrentes do desenvolvimento sexual. A sexualidade é vivida pelas crianças e jovens de formas diversas, de acordo com a vivência familiar, escolar e enquadramento socioeconómico. Nos vários ambientes que a escola proporciona os alunos experimentam a sua sexualidade, quer seja nas suas brincadeiras, no estudo e nos namoros, mas também na relação com os docentes e trabalhadores da escola. Ela está presente nas conversas, nos jogos, nas quezílias, mas também nos conhecimentos científicos. (DGE & DGS, 2017). Promover uma expressão positiva da sexualidade assume uma importância significativa pois, depende das ligações afetivas, positivas ou negativas, uma melhor ou pior aprendizagem, relações interpessoais mais ou menos satisfatórias e em consequência atitudes e comportamentos mais ou menos positivos. A Abordagem e capacitação para uma sexualidade saudável e responsável na escola será uma alavanca importante para o sucesso escolar dos seus alunos. (DGE & DGS, 2017) A educação da sexualidade tem um papel central na preparação de crianças e jovens para uma vida segura, produtiva e plena, contribuindo para a aquisição de atitudes e valores que os capacitará para, ao longo da vida: • Desenvolver relações sociais e sexuais baseadas no respeito e na igualdade de género; • Expressar a individualidade na sexualidade, baseando-se em valores de igualdade, dignidade, respeito e responsabilidade • Fazer escolhas promotoras da saúde e do bem-estar bem-estar individual e social Para a prossecução das finalidades da educação sexual previstas no artigo 2.º da Lei n.º60/2009, de 6 de Agosto, a educação sexual é aplicada nos ensinos básico, secundário e profissional, no âmbito da educação para a saúde. Os conteúdos da educação sexual são desenvolvidos no quadro das áreas curriculares não disciplinares e devem respeitar a transversalidade inerente às várias disciplinas, integrando -se igualmente nas áreas curriculares disciplinares. O referencial de Educação para a Saúde, da responsabilidade da DGE, constitui um instrumento em que se apresentam os temas, objetivos e conteúdos a abordar nas iniciativas de promoção e educação para a saúde dirigidas a crianças e jovens. Neste referencial, foca-se a importância dos afetos e educação para a sexualidade, salientando que “A educação para a sexualidade para ter os resultados desejáveis terá de dirigir-se à escola como um todo, penetrar em todos os seus ambientes, envolver todos os seus membros, aproveitar todos os momentos para, através de acontecimentos emocionais estruturados, construir modelos que promovam os valores e os direitos sexuais, sobre os quais os jovens possam desenvolver a sua própria identidade e o respeito para com os outros” (2017: 14). A execução desta ação contribui ainda para o desenvolvimento das literacias múltiplas defendidas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória (Despacho n.º 6478/2017), respondendo em concreto às áreas de competências relacionamento interpessoal e Bem-estar, Saúde e Ambiente (página25 e página 27 do referido documento).

Objetivos

Os participantes desta ação de curta duração terão a oportunidade de:  Atualizar conceitos sobre a abrangência da sexualidade e a sua multiplicidade de expressão, respeitando o pluralismo das conceções existentes na sociedade portuguesa;  Valorizar a sexualidade como componente positiva do desenvolvimento pessoal e das relações interpessoais;  Aumentar a segurança e a capacidade individual na área da educação e promoção da saúde no domínio da educação sexual;  Compreender a importância da integração da educação para a sexualidade e da (S) identidade (S) de género de forma transversal aos currículos escolares;  Responder a desafios no âmbito da sexualidade, interação e identidade/papel de género, que poderão ocorrer em algumas comunidades (ex.: turmas):  Refletir sobre as formas através das quais as normas de género podem influenciar a desigualdade e como essas desigualdades podem afetar a saúde e o bem-estar geral de crianças e jovens;  Desenvolver estratégias de intervenção, literacia e capacitação dos alunos que permitam: • A criação de relações respeitosas, responsáveis e igualitárias; • Escolhas informadas e seguras no campo da sexualidade; • A proteção face a comportamentos baseados na discriminação sexual ou na violência em função do sexo ou orientação sexual; • O respeito pela diferença entre as pessoas, pelas diferentes orientações sexuais e pelas diferentes opções individuais face à sexualidade; • A promoção da igualdade entre os sexos; • A valorização de uma sexualidade responsável e informada;

Conteúdos

 Conceito e abrangência da sexualidade  Sexualidade como componente positiva do desenvolvimento pessoal e das relações interpessoais;  Sexo biológico; identidade de género, papel de género, expressão de género, orientação sexual: conceitos, abordagem contextual e implicações na saúde e bem-estar  Desmistificação de estereótipos de género  Complexidade do processo de construção da identidade (S) de género;  Valores transversais à expressão da sexualidade humana  Expressão da Sexualidade: somatório de experiências  A sexualidade e mundo digital: benefícios, riscos e estratégias de uso responsável;  Fatores de sucesso na educação sexual  Perfil desejável do profissional promotor da educação sexual

Metodologias

A ação terá um formato de palestra.

Modelo

Brainstorming com discussão de intervenções

Bibliografia

• Direção Geral da Educação [DGE] & Direção-Geral da Saúde [DGS]. (2017). Referencial de Educação para a Saúde. Lisboa: Ministério da Educação de Portugal. • Direção-Geral da Saúde [DGS]. (2015). Programa Nacional de Saúde Escolar. Lisboa: Ministério da Saúde de Portugal • UNESCO (2009). Internacional technical guidance on sexuality education: an evidence-informed approach for schools, teachers and health educators. Paris, 2009. • UNESCO (2014) Comprehensive Sexuality Education: the challenges and opportunities of scaling-up. Paris, 2014. • UNESCO (2015). Emerging evidence, lessons and practice in comprehensive sexuality education, 2015: a global review. Paris, 2015. • UNESCO (2016) Women. Global guidance on addressing schoolrelated gender-based violence. Paris, 2016. • UNESCO (2019). Orientações técnicas internacionais de educação em sexualidade. Uma abordagem baseada em evidências. UNESCO: França.  LEI N.º 60/2009 DE 6 DE AGOSTO - Estabelece o regime de aplicação da educação sexual em meio escolar.  PORTARIA N.º 196-A/2010 DE 9 DE ABRIL – procede à regulamentação da Lei n.º 60/2009, de 6 de Agosto, nas matérias e nos termos nela previstos.  Despacho n.º 6478/2017, 26 de julho, O Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória.

Anexo(s)

Cartaz


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 19-03-2024 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial

Ref. 181B24T01 Concluída

Registo de acreditação: CDCP05-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 15-03-2024

Fim: 15-03-2024

Regime: Presencial

Local: Auditório Eng.º Alcino Miguel, ESTiG, IPB - Bragança

Formador

Ana Sofia Coelho Carvalho

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte/ULSNE/IPB

Enquadramento

As 1as Jornadas Alerta Sono surgem como uma oportunidade de enriquecimento curricular e profissional. Tem como destinatários profissionais, docentes e estudantes ou outros interessados nas temáticas abordadas no âmbito do Sono. O projeto “Alerta Sono” visa a promoção da qualidade do sono de crianças e adolescentes do distrito de Bragança, estimulando a adoção de rotinas e padrões de sono saudáveis e ajustados à faixa etária, procurando assim a obtenção de ganhos em saúde, qualidade de vida e bem-estar. Encontramo-nos atualmente na fase de aplicação do projeto ao nível das comunidades escolares, tal como aprovado anteriormente pelo Conselho de Administração da ULSNE. No biénio letivo 2022/2024 temos nove Agrupamentos de Escolas do distrito de Bragança e duas Escolas Profissionais (Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural e Escola Profissional de Arte e Música) que aderiram ao projeto Alerta Sono, com a respetiva carta de compromisso de aplicação efetiva do projeto. No âmbito do plano de atividades do projeto pretendemos realizar no dia 15 de março de 2024, Dia Mundial do Sono, as I Jornadas Alerta Sono, com a finalidade de contribuir para a noção de sono como estilo de vida e de debate científico do sono como um dos determinantes de saúde, de desenvolvimento saudável e de qualidade de vida.

Objetivos

Os participantes nas I Jornadas Alerta Sono terão a oportunidade de: • Atualizar conhecimentos e fornecer evidências científicas da relevância do sono na saúde, desempenho global e qualidade de vida; • Contribuir para aumentar a conscientização sobre a importância de hábitos de sono saudáveis e seus efeitos na saúde, na dinâmica escolar, no sucesso escolar e no bem-estar; • Promover a partilha de conhecimento científico e boas práticas relacionadas com a promoção de padrões de sono saudáveis, • Apresentar a mais recente investigação na área do sono a nível nacional; • Partilhar os dados de investigação e implementação do Projeto Alerta Sono; • Fornecer uma base sólida de evidências para a tomada de decisões informadas, fomentando a implementação de intervenções e programas efetivos na promoção da qualidade do sono; • Estimular a colaboração interdisciplinar e a cooperação entre diferentes áreas de conhecimento, visando abordagens integradas e efetivas na promoção do sono saudável em crianças e adolescentes. • Incentivar a investigação e o desenvolvimento contínuo na área do sono; • Proporcionar a investigadores, profissionais de saúde e docentes a partilha de estudos, pesquisas e intervenções no campo do sono, promovendo a troca de informações e a e validação do trabalho desenvolvido. • Contribuir para a promoção da saúde na escola, assente em intervenções estruturadas e contínuas de promoção da qualidade do sono ao longo da infância e adolescência.

Conteúdos

- O Sono é o Nosso Super Poder - Modelos de Intervenção em Educação do Sono - Projeto AlertaSono - Desafios do Sono da Infância - Sono e a crise da identidade da adolescência - Sono, do jovem adulto ao idoso - Ingredientes para um sono saudável - Alimentação e a importância no sono - Sono e saúde mental – uma relação bidirecional - Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), do diagnóstico ao tratamento

Metodologias

A ação decorrerá no formato de Jornada, com a realização de uma "conferência magistral", painéis de discussão, Comunicações científicas e atividades como o "Minuto Saudável" e "Merenda Promotora da Qualidade do Sono".

Modelo

Os formandos preencherão um questionário de avaliação da ação de formação.

Anexo(s)

Cartaz

Programa


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-03-2024 (Sexta-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
2 15-03-2024 (Sexta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial

Ref. 183B26T01 Concluída

Registo de acreditação: CDCP06-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 11-03-2024

Fim: 11-03-2024

Regime: Presencial

Local: no Auditório Paulo Quintela, Bragança

Formador

Carlos Fernando Roxo Tavares dos Santos

Destinatários

Docentes de Educação Física (Grupo 260 e 620)

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte/Agrup. de Escolas Abade de Baçal

Enquadramento

O desenvolvimento do praticante desportivo requer a participação de vários agentes na sua formação de modo a integrá-los na problemática da antidopagem desde a formação até à alta competição. Tendo em consideração o papel essencial dos professores na formação integral do praticante desportivo, é fundamental fornecer-lhes todos os meios para que possam sensibilizá-los para os perigos e a deslealdade da dopagem

Objetivos

1. Aprofundar os conhecimentos sobre antidopagem; 2. Entender a importância do papel do treinador e /ou do professor na defesa da saúde do praticante desportivo e na criação de um desporto limpo de substâncias dopantes.

Conteúdos

1. Organizações de luta antidopagem – WADA / ADoP 2. Violações de Normas Antidopagem 3. Razões da dopagem 4. Objetivos da luta contra a dopagem 5. Lista de Substâncias e Métodos proibidos 6. Autorizações de Utilização Terapêutica (AUT) 7. Suplementos 8. Controlos de dopagem (em competição e fora de competição) 9. Grupos de Risco e Grupo Alvo 10. Sistema de Localização (Whereabout) 11. Passaporte biológico 12. Consequências da dopagem 13. Simulação de um controlo de dopagem 14. Direitos e Responsabilidades dos praticantes desportivos

Metodologias

A metodologia a utilizar será a de colóquio/expositiva.

Modelo

Os formandos preencherão uma Ficha de Avaliação da Ação.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-03-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial

Ref. 179B20T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122613/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 27-02-2024

Fim: 09-04-2024

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Miguela Gomes Fernandes

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

Os atuais impactos da forte transformação digital que atinge todos os componentes das nossas vidas, impulsionado sobretudo pela Inteligência Artificial, exige da Educação a capacidade desta se adaptar e reinventar em tempos de fortes mudanças. Para que tal possa acontecer é imperioso que educadores e professores percebam estas mudanças. No que consistem, quem as suporta e quais os tremendos impactos que as mesmas têm, e terão, a nível social, económico e cultural. Só, assim educadores e professores poderão de acordo com o definido no Perfil dos Alunos, e em articulação com as Aprendizagens Essenciais, desenvolver novas abordagens pedagógicas, pelo que este curso surge da necessidade de partilhar experiências no âmbito dos desafios e oportunidades criados pela Inteligência Artificial, que novas competências são exigidas, como desenvolver contextos pedagógicos que facilitem o seu desenvolvimento?

Objetivos

1 - Compreender os desafios e as oportunidades da Inteligência Artificial com associação ao desenvolvimento de competências fundamentais para o século XXI, previstas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, nas Aprendizagens Essenciais e no Digital Education Action Plan apresentado pela Comissão Europeia; 2 - Executar procedimentos subjacentes à criação de ambientes pedagógicos que facilitem o desenvolvimento das competências fundamentais à luz dos fortes impactos provocados pela IA. 3 Compreender que estas mudanças exigem que se redefinam os métodos e estratégias pedagógicas de modo a facilitar aos alunos os estudantes os contextos para prosperar num mundo cheio de incertezas. 4 - Promover a utilização de estratégias com o objetivo de incrementar o envolvimento dos alunos no âmbito desta temática e com o objetivo de melhorar a qualidade das suas aprendizagens.

Conteúdos

Tópico 1 - O que é Inteligência Artificial (3 h síncronas) Neste tópico os formandos irão explorar os principais conceitos e definições do que é a IA e o que torna a IA real: um produto, uma solução, uma plataforma. Assistirão a vídeos e irão consultar artigos relacionados com este tópico. Uma breve história de Inteligência Artificial será apresentada. Os participantes serão convidados a dar a sua opinião sobre a IA através de uma ferramenta online de brainstorming. Tópico 2 - IA nas nossas vidas (3 h síncronas) Serão apresentados a diferentes aplicações práticas da IA nas nossas vidas. Exemplos de IA nos cuidados de saúde, financeiros, cibersegurança, aplicações, arte e cultura, automóveis, marketing, energia, fabrico, meios de comunicação, retalho e educação. Os formandos serão desafiados a: onde é está a Inteligência Artificial nas nossas vidas? Os impactos e oportunidades da IA. Os formandos serão convidados a discutir se já sentem que a IA está presente nas suas vidas e ser-lhes-á solicitado que partilhem alguns desses exemplos e experiências. Tópico 3 - IA e as Questões Éticas (3 h síncronas) Um dos tópicos mais críticos da IA é a ética e os problemas associados a esta, tais como os preconceitos da IA e os dados que são utilizados pela IA. Vamos viver num mundo em que os algoritmos de IA irão tomar decisões, nós como cidadãos temos a obrigação de perguntar como funciona e como as decisões são tomadas e como as decisões sobre IA são controladas. Importa discutir esta temática com os nossos alunos e fazê-los estar conscientes destes desafios. Neste tópico, os participantes debaterão: Quais os riscos associados à IA? Que dados são utilizados para alimentar os algoritmos da IA? Quem é responsável pelas decisões relativas à IA? Podemos confiar na IA? Tópico 4 - IA na Educação (3 h síncronas) Neste tópico apresentam-se vários exemplos sobre como a IA pode ajudar professores e alunos a desenvolverem contextos de aprendizagem, mais inovadores e contextualizados. Abordagens pedagógicas tais como aprendizagem personalizada e aprendizagem adaptativa, soluções como tutores de IA e plataformas de IA que possam adaptar-se às necessidades da aprendizagem dos alunos no futuro. Os formandos serão convidados a partilhar a sua opinião sobre como a IA poderia ser uma ajuda não só em termos de questões pedagógicas, mas também para ajudar os professores no que diz respeito a tarefas burocráticas. As seguintes questões serão exploradas: Quão importante é para os agentes educativos estarem atentos aos contextos da Inteligência Artificial? Como integrar a inteligência artificial na educação? Exemplos de ferramentas e plataformas. Os formandos serão convidados a identificar e partilhar ideias de aprendizagem para integrar a IA na Educação. Tópico 5 - IA na minha sala de aula (3 h síncronas) No último tópico desta ação, os formandos terão contacto com vários exemplos sobre como introduzir a IA na sala de aula. Serão convidados a experimentar algumas ferramentas e a partilhar com o grupo a sua opinião sobre elas. Serão desafiados a procurar ferramentas, plataformas e soluções que possam ser utilizadas na sala de aula e, ao mesmo tempo, dar uma opinião sobre elas. A atividade final será a criação de um cenário de aprendizagem em torno da IA que será partilhado, apresentado e discutido com o grupo.

Metodologias

Sessões síncronas online, realizadas em videoconferência, onde serão apresentados os conteúdos de referência através de: - uma componente mais teórica que adotará uma metodologia mais expositiva, centrada na transmissão de conteúdos, e uma metodologia demonstrativa e interrogativa, assumindo uma abordagem dialógica e de interação entre formador e formandos; - uma componente prática que irá privilegiar uma dinâmica ativa, centrada na simulação e metodologia de aprendizagem por execução de tarefas, promovendo um ambiente de partilha e colaboração entre os formandos. Sessões síncronas nas quais, com orientação do formador, os formandos realizarão as tarefas propostas e aprofundarão os temas abordados e as funcionalidades das plataformas, aplicações e ferramentas no âmbito da Inteligência Artificial e Educação. Descrição das metodologias a utilizar: - Apresentação dos conteúdos através de vídeos e documentos - Promover a discussão - Webinar ao vivo com especialistas na matéria - Ferramentas de colaboração para a partilha de ideias e opiniões - Construção de cenários de aprendizagem para integrar a discussão sobre a IA na sala de aula

Avaliação

A avaliação traduz-se numa classificação final quantitativa, na escala de 1 a 10, expressa através do referencial de menções qualitativas previstas no nº 2 do artigo 46º do ECD e de acordo com a Carta Circular CCPFC-3/2007. A aprovação no curso dependerá da obtenção de classificação igual ou superior a 5 valores e da frequência mínima de 2/3 do total de horas da ação. Avaliação contínua baseada nos seguintes itens gerais: - Participação nas sessões síncronas (15%); - Diário de aprendizagem (15%); - Conteúdos produzidos (50%); - Relatório de reflexão crítica (20%).

Bibliografia

Charles Fadel, Wayne Holmes, Maya Bialik - Artificial Intelligence In Education: Promises and Implications for Teaching and LearningFlynn Coleman - A Human Algorithm: How Artificial Intelligence Is Redefining Who We AreMartin Ford - Architects of Intelligence: The truth about AI from the people building itMichelle Zimmerman - Teaching AI: Exploring New Frontiers for LearningHolmes, W., Neves, Marco et al - “Formação no contexto do pensamento computacional, da robótica e da inteligência artificial na educação.”

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 27-02-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 05-03-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 12-03-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 19-03-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 09-04-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona

Ref. 170B10T02 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118973/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 12.0 horas

Início: 26-02-2024

Fim: 18-03-2024

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Maritza Pinto Ferreira Dias

Nelson Manuel dos Santos Barradas

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte \ RBE

Enquadramento

Em 2021, a Rede de Bibliotecas Escolares apresentou publicamente o quadro estratégico para o período entre 2021 e 2027, numa sessão pública online em que divulgou igualmente o seu portal reformulado, com novas valências e recursos e ajustado a esta nova estratégia. Desde então, o mesmo tem continuado a ser aperfeiçoado, tem agregado recursos que se encontravam dispersos por outras plataformas, constituindo-se presentemente como um auxiliar bastante relevante para todos os que desempenham as funções de professor bibliotecário, disponibilizando orientações e recursos de apoio. Assim, torna-se fundamental para os que exercem essas funções conhecerem bem esta ferramenta, de modo a poderem rentabilizar todo o seu potencial nas suas práticas diárias nas bibliotecas escolares.

Objetivos

• Conhecer a estratégia da Rede de Bibliotecas Escolares e o seu portal; • Compreender a arquitetura do portal, localizando agilmente os conteúdos disponibilizados; • Conhecer os princípios e organização das secções específicas do portal RBE; • Usar o portal RBE para fundamentar e apoiar a ação da biblioteca escolar.

Conteúdos

Sessão 1 – O Portal da RBE – arquitetura, Pesquisa e Secções - 3 horas online síncronas - O portal RBE – Arquitetura - O Portal RBE – Pesquisa global - O Portal RBE – Secções: - Projetos - Iniciativas - Suporte > Recursos: “Artes e património com a biblioteca escolar”: Enquadramento/ Bibliografia sugerida/ Propostas de trabalho. Colaboração. - Elaboração de recurso educativo sobre artes e património, fundamentado nos recursos disponibilizados. Sessão 2 – O Portal da RBE: Secções I - 3 horas online síncronas - O Portal RBE – Secções: - Suporte > Recursos: “Aprender com a biblioteca escolar: atividades e recursos”: Crescer com a leitura/ Dominar a informação/ Saber usar os media. Organização. Termos e modos de pesquisa. Colaboração. - Seleção de uma proposta de atividade disponíveis no portal RBE em cada uma das áreas (leitura, media e informação), tendo em conta a sua adequação ao PAA da biblioteca e da escola/ agrupamento. Sessão 3 – O Portal RBE: Secções II - 3 horas online síncronas - O Portal RBE – Secções: - Suporte > Recursos: “Cidadania e Biblioteca Escolar: Pensar e intervir”: Dinâmicas educativas/ Notas das escolas/ Recursos/ Racismo/ Discriminação. Organização. Termos e modos de pesquisa. Colaboração. - Elaboração de uma proposta de atividade na área da cidadania, com base nos recursos disponibilizados em “Cidadania e Biblioteca Escolar: Pensar e intervir”. Sessão 4 – O Portal RBE: Secções III - 3 horas online síncronas - O Portal RBE – Secções: - Suporte > Recursos: Secção “Biblioteca Escolar Digital”: Serviços/ Curadoria de conteúdos/ Instrumentos/ Tutoriais informação e Media/ Práticas/ Organização. Termos e modos de pesquisa. - Seleção de recursos disponibilizados na “Biblioteca Escolar Digital“ que possam ser utilizados ou servir de suporte a uma atividade do PAA da biblioteca ou à proposta de atividade elaborada para a sessão anterior. - Avaliação - apresentação de um dos trabalhos realizados ao longo das sessões de formação, à escolha do formando.

Metodologias

O Curso tem 12h online síncronas. Em cada sessão haverá momentos com um caráter sobretudo expositivo, complementados com vários momentos de interação, tendo como base a pesquisa e exploração, individual ou em grupo, do portal RBE. Promover-se-á ainda a reflexão crítica e a discussão.

Avaliação

- Avaliação contínua. Participação dos formandos ao longo das sessões. - Avaliação dos trabalhos produzidos pelos formandos individualmente e em grupo. - Relatórios críticos individuais dos formandos. A avaliação expressa-se de acordo com a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado na Carta Circular CCPFC-3/2007, de 26 de setembro, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua de professores, e pelos critérios da DGE.

Bibliografia

Portugal. Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Programa Rede de Bibliotecas Escolares: Quadro estratégico: 2021-2027. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdfPortugal. Rede de Bibliotecas Escolares (2017) Aprender com a biblioteca escolar. Referencial de aprendizagens associadas ao trabalho das bibliotecas escolares na educação pré-escolar e nos ensinos básico e secundário. https://www.rbe.mec.pt/np4/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=99&fileName=referencial_2017_impres.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-02-2024 (Segunda-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Online síncrona
2 04-03-2024 (Segunda-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Online síncrona
3 11-03-2024 (Segunda-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Online síncrona
4 18-03-2024 (Segunda-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Online síncrona

Ref. 138B13T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115608/22

Modalidade: Círculo de Estudos

Duração: 38.0 horas (25.0 horas presenciais)

Início: 24-02-2024

Fim: 29-06-2024

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas de Miranda do Douro

Formador

Fernanda Monteiro Vicente

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

No âmbito do Projeto MAIA, e ao longo dos anos letivos de 2019/2020 e 2020/2021, realizaram-se centenas de Oficinas de Formação (OF), que ocorreram em praticamente todos os CFAE e cujo principal produto foi a conceção e a elaboração de um Projeto de Intervenção (PI) no domínio da avaliação pedagógica. Este PI, definia um conjunto de Princípios de Avaliação Pedagógica que enquadrava quer a definição de uma Política de Avaliação, quer a definição de uma Política de Classificação. A ideia que presidiu à elaboração dos PI era a de o concretizar nos AE/ENA dos formandos que os conceberam e elaboraram, tendo em conta as condições concretas de cada instituição, bem como o respetivo Projeto Educativo Como seria expectável, atendendo às condições existentes em cada AE/ENA, há diferentes graus de apropriação dos propósitos do Projeto MAIA e, consequentemente, o mesmo sucede com a concretização e desenvolvimento dos PI. Assim, há dificuldades que têm sido recorrentemente sinalizadas por diversos intervenientes neste processo. Reconheceu-se, assim, a necessidade de se conceber e desenvolver o presente Círculo de Estudos de modo a contribuir para que dificuldades possam ser ultrapassadas e para que as instituições que estão envolvidas neste processo possam concretizar e desenvolver os seus PI. Através desta modalidade de formação, os formandos terão a oportunidade ultrapassar as dificuldades reportadas de através da reflexão e discussão das experiências das suas unidades orgânicas.

Objetivos

• clarificar os conceitos estruturantes que deverão fundamentar e enquadrar os PI. • aprofundar a conceção e a elaboração dos PI. • analisar materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • produzir materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • delinear estratégias destinadas a promover a concretização e desenvolvimento dos PI atendendo às condições concretas de cada instituição. • contribuir para integrar os PI no desenvolvimento dos Projetos Educativos das instituições. • desenvolver hábitos de trabalho colaborativo e de reflexão em torno de situações vividas nas escolas, visando melhorar a qualidade do ensino, da aprendizagem e da avaliação. • partilhar ideias, experiências, materiais e métodos que contribuam para a concretização e desenvolvimento dos PI em cada instituição. • conceber uma Ação de Curta Duração visando a criação de uma oportunidade para que os professores possam discutir a consecução e o desenvolvimento dos PI.

Conteúdos

O desenvolvimento deste Círculo de Estudos será baseado no estudo, na discussão e na análise dos seguintes conteúdos principais: • Análise e reflexão acerca do Currículo vigente atualmente em Portugal. • Relações entre o Currículo, a Pedagogia e a Avaliação e suas implicações para a concretização e desenvolvimento dos PI. • Conceitos estruturantes da avaliação pedagógica tais como avaliação formativa, avaliação sumativa, feedback, critério, indicador ou descritor, autoavaliação, avaliação entre pares, avaliação holística, avaliação analítica, processos de recolha de informação e processos de classificação. • Conceção de materiais, processos e estratégias que integrem os conceitos e ideias da avaliação pedagógica e que suscitem a sua utilização nas práticas pedagógicas. • Análise e discussão de PI: reformulação, aprofundamento, ajustamento. • Processos de formação ativa de professores: fundamentos, processos e dinâmicas.

Avaliação

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. A avaliação dos formandos decorre ao longo de todas as sessões com base nas interações que se forem estabelecendo a partir das intervenções realizadas nas suas instituições. Os PI reformulados assim como os Planos de Formação serão objeto de apresentação e discussão nas sessões presenciais e constituirão processos e produtos fundamentais.

Bibliografia

Fernandes, D. (2021). Para uma fundamentação e melhoria das práticas de avaliação pedagógica no âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Fernandes, D. (2021). Para a Conceção e Elaboração do Projeto de Intervenção no Âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Fernandes, D. (2021). Para um enquadramento da formação de professores. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Machado, E. A. (2021). Feedback. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Wenger, E. (1998). Communities of practice: Learning, meaning, and identity. Cambridge University Press.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-02-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
2 24-02-2024 (Sábado) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial
3 16-03-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
4 16-03-2024 (Sábado) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial
5 20-04-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
6 20-04-2024 (Sábado) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial
7 25-05-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
8 25-05-2024 (Sábado) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial
9 29-06-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
10 29-06-2024 (Sábado) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial

Ref. 172B11T02 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121464/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 21-02-2024

Fim: 15-05-2024

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas de Miranda do Douro

Formador

Marisa Luciana Gomes Alves Teixeira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

Tendo por base a Acreditação Erasmus+ dos agrupamentos e o maior número de projetos internacionais, Erasmus+ e eTwinning, que têm vindo a ser desenvolvidos na área de influência do CFAE Bragança Norte, e verificando-se uma crescente procura por parte dos docentes e dos agrupamentos de formação em língua inglesa, propõe-se esta formação que visa dotar os docentes de competências linguísticas que lhes permitam planificar, desenvolver e participar em projetos de índole internacional que contribuem para a consecução dos objetivos previstos nos Projetos Educativos dos Agrupamentos. As competências adquiridas nesta formação possibilitarão o incremento da capacidade de comunicação em língua inglesa e do trabalho colaborativo, o que favorecerá a implementação de estratégias de autonomia e flexibilização curricular nos agrupamentos, contribuindo desta forma para uma formação mais integral dos alunos e para o seu sucesso escolar e pessoal.

Objetivos

- Promover a participação dos docentes em projetos internacionais; - Otimizar a participação da comunidade educativa nas atividades desenvolvidas pela Escola / Agrupamento/CFAEBN; - Potenciar projetos inovadores na área de influência do CFAEBN; - Melhorar os canais de comunicação existentes; - Participar em projetos conjuntos de agrupamento; - Promover a utilização das tecnologias e do trabalho colaborativo; - Promover/otimizar a articulação vertical e horizontal entre os docentes dos agrupamentos; - Promover a aprendizagem da língua inglesa; - Dotar os participantes de competências linguísticas que lhes permitam comunicar eficazmente em língua inglesa; - Enriquecer processos de ensino e aprendizagem, através da diversificação de metodologias e ambientes de interação.

Conteúdos

Módulo 1: Relações pessoais (5 horas) a. Área lexical: família, profissões, países, nacionalidades b. Área gramatical: Pronomes interrogativos, presente simples, presente progressivo, advérbios de frequência Módulo 2: Opiniões (5 horas) a. Área lexical: Passatempos, compras b. Área gramatical: Advérbios de modo, passado simples, passado progressivo, quantifiers Módulo 3: Planos e intenções (5 horas) a. Área lexical: organizações, profissões b. Área gramatical: formas do futuro, adjetivos -ed / -ing; verbos modais: should, would Módulo 4: Lugares e coisas (5 horas) Área lexical: cidades, desportos, serviços Área gramatical: Graus dos adjetivos, Present Perfect Simple Módulo 5: Viajar (5 horas) Área lexical: caraterísticas geográficas, direções, reservas, meios de transporte Área Gramatical: preposições de lugar e direção, orações de tempo, oração condicional tipo 1

Metodologias

A formação segue a metodologia comunicativa, em que o papel da formadora (facilitadora e mediadora da aprendizagem) varia de acordo com as atividades desenvolvidas. A língua é apresentada em contextos reais, refletindo situações do quotidiano nas quais o formando terá de usar a língua inglesa. Deste modo, os formandos tornam-se sujeitos e parte integrante de todo o processo de aprendizagem, sendo solicitados a contribuir com as suas opiniões, experiências e sentimentos, encorajados a trabalhar em grupo e a assumir a responsabilidade pela sua aprendizagem. As sessões serão, pois, eminentemente, práticas e interativas

Avaliação

Os formandos serão avaliados quantitativamente numa escala de 1 a 10 valores, de acordo com os normativos vigentes e em conformidade com os critérios definidos pela Comissão Pedagógica do Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte e pelo Conselho Científico e Pedagógico da Formação Contínua de Professores. - Participação dos formandos nas atividades a desenvolver ao longo das sessões - 40% - Realização de momentos de avaliação oral e escrita ao longo do curso - 60%

Modelo

Inquérito através de formulário on-line.

Bibliografia

Conselho da Europa (2001) Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas – Aprendizagem, Ensino, AvaliaçãoHarmer. J., (2000) How to Teach English. Sixth ed. Harlow: LongmanKeddie. J., (2009) Resource Books for Teachers - Images. Ed. Alan Maley. First ed. OUPAnderson. J., (2006), Role Plays for Today, Delta PublishingGammidge. M., (2004) Speaking extra, Cambridge University Press

Anexo(s)


Observações

Ação de formação no âmbito do Consórcio Erasmus+

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 21-02-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
2 28-02-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
3 06-03-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
4 13-03-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
5 20-03-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
6 10-04-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
7 17-04-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
8 24-04-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
9 08-05-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
10 15-05-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial

Ref. 172B11T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121464/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 08-02-2024

Fim: 18-04-2024

Regime: Presencial

Local: no Agrup. Escolas Abade de Baçal

Formador

Margarida Peixoto Marques

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

Tendo por base a Acreditação Erasmus+ dos agrupamentos e o maior número de projetos internacionais, Erasmus+ e eTwinning, que têm vindo a ser desenvolvidos na área de influência do CFAE Bragança Norte, e verificando-se uma crescente procura por parte dos docentes e dos agrupamentos de formação em língua inglesa, propõe-se esta formação que visa dotar os docentes de competências linguísticas que lhes permitam planificar, desenvolver e participar em projetos de índole internacional que contribuem para a consecução dos objetivos previstos nos Projetos Educativos dos Agrupamentos. As competências adquiridas nesta formação possibilitarão o incremento da capacidade de comunicação em língua inglesa e do trabalho colaborativo, o que favorecerá a implementação de estratégias de autonomia e flexibilização curricular nos agrupamentos, contribuindo desta forma para uma formação mais integral dos alunos e para o seu sucesso escolar e pessoal.

Objetivos

- Promover a participação dos docentes em projetos internacionais; - Otimizar a participação da comunidade educativa nas atividades desenvolvidas pela Escola / Agrupamento/CFAEBN; - Potenciar projetos inovadores na área de influência do CFAEBN; - Melhorar os canais de comunicação existentes; - Participar em projetos conjuntos de agrupamento; - Promover a utilização das tecnologias e do trabalho colaborativo; - Promover/otimizar a articulação vertical e horizontal entre os docentes dos agrupamentos; - Promover a aprendizagem da língua inglesa; - Dotar os participantes de competências linguísticas que lhes permitam comunicar eficazmente em língua inglesa; - Enriquecer processos de ensino e aprendizagem, através da diversificação de metodologias e ambientes de interação.

Conteúdos

Módulo 1: Relações pessoais (5 horas) a. Área lexical: família, profissões, países, nacionalidades b. Área gramatical: Pronomes interrogativos, presente simples, presente progressivo, advérbios de frequência Módulo 2: Opiniões (5 horas) a. Área lexical: Passatempos, compras b. Área gramatical: Advérbios de modo, passado simples, passado progressivo, quantifiers Módulo 3: Planos e intenções (5 horas) a. Área lexical: organizações, profissões b. Área gramatical: formas do futuro, adjetivos -ed / -ing; verbos modais: should, would Módulo 4: Lugares e coisas (5 horas) Área lexical: cidades, desportos, serviços Área gramatical: Graus dos adjetivos, Present Perfect Simple Módulo 5: Viajar (5 horas) Área lexical: caraterísticas geográficas, direções, reservas, meios de transporte Área Gramatical: preposições de lugar e direção, orações de tempo, oração condicional tipo 1

Metodologias

A formação segue a metodologia comunicativa, em que o papel da formadora (facilitadora e mediadora da aprendizagem) varia de acordo com as atividades desenvolvidas. A língua é apresentada em contextos reais, refletindo situações do quotidiano nas quais o formando terá de usar a língua inglesa. Deste modo, os formandos tornam-se sujeitos e parte integrante de todo o processo de aprendizagem, sendo solicitados a contribuir com as suas opiniões, experiências e sentimentos, encorajados a trabalhar em grupo e a assumir a responsabilidade pela sua aprendizagem. As sessões serão, pois, eminentemente, práticas e interativas

Avaliação

Os formandos serão avaliados quantitativamente numa escala de 1 a 10 valores, de acordo com os normativos vigentes e em conformidade com os critérios definidos pela Comissão Pedagógica do Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte e pelo Conselho Científico e Pedagógico da Formação Contínua de Professores. - Participação dos formandos nas atividades a desenvolver ao longo das sessões - 40% - Realização de momentos de avaliação oral e escrita ao longo do curso - 60%

Modelo

Inquérito através de formulário on-line.

Bibliografia

Conselho da Europa (2001) Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas – Aprendizagem, Ensino, AvaliaçãoHarmer. J., (2000) How to Teach English. Sixth ed. Harlow: LongmanKeddie. J., (2009) Resource Books for Teachers - Images. Ed. Alan Maley. First ed. OUPAnderson. J., (2006), Role Plays for Today, Delta PublishingGammidge. M., (2004) Speaking extra, Cambridge University Press

Anexo(s)


Observações

Ação de formação no âmbito do Consórcio Erasmus+

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-02-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 18:30 1:00 Presencial
2 20-02-2024 (Terça-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
3 22-02-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
4 27-02-2024 (Terça-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
5 29-02-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
6 05-03-2024 (Terça-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
7 07-03-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
8 19-03-2024 (Terça-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
9 21-03-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
10 09-04-2024 (Terça-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
11 11-04-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
12 16-04-2024 (Terça-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
13 18-04-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial

Ref. 180B22T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122777/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 06-02-2024

Fim: 11-06-2024

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

António da Palma Ferreira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores do Ensino Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores do Ensino Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

No âmbito do Plano de Transição Digital para a Educação, foi criada no CFAE Bragança Norte a microrrede dos coordenadores das Equipas digitais dos agrupamentos. Esta microrrede tem como objetivo a partilha de problemas e soluções, recursos e atividades no âmbito dos PADDE dos agrupamentos associados. No sentido de aprofundar este trabalho cooperativo e de aprendizagem construída colaborativamente, surgiu a necessidade de trabalhar, em contexto de formação, temas como formas de potenciar os LED (Laboratórios de Educação Digital), que, entretanto, estão a chegar às escolas, os Manuais Digitais e a monitorização e eventual reformulação dos PADDE dos agrupamentos, para a qual será necessário aplicar novamente a Selfie. Pretende-se, pois, com esta ação de formação, acompanhar, apoiar e fornecer competências aos formandos que lhes permitam desenvolver estas tarefas importantes para a melhoria das aprendizagens dos alunos.

Objetivos

- Promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das Competências Digitais dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu. - Capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das Competências Digitais dos alunos. - Estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo - Configurar e aplicar a SELFIE nos 8 agrupamentos da área de influência do CFAE Bragança Norte com vista à elaboração dos novos PADDE ou reformulação dos anteriores. - Conhecer e utilizar o Kit de ferramentas pedagógicas, SELFIE PTK, que auxilia as escolas no processo de elaboração, desenvolvimento e monitorização do Plano de Ação de Desenvolvimento Digital das Escolas (PADDE) - Construir, implementar e monitorizar o PADDE que deve vigorar ao longo de um ou dois anos letivos. - Apoiar as EDD e as escolas na construção, acompanhamento, monitorização, avaliação e reformulação dos PADDE para que estes tenham o impacto esperado nas escolas - Contribuir para que os LED “sejam espaços de suporte à aprendizagem

Conteúdos

Documentos de enquadramento das políticas educativas. – 1 hora Envolvimento profissional: discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. – 1 hora SELFIE e SELFIE PTK: aplicação e análise dos resultados da SELFIE. – 5 horas PADDE: Elaboração do PADDE, de cada Unidade Orgânica, com o suporte da SELFIE e a experiência adquirida com a implementação do PADDE elaborado e executado no triénio 20/21, 22/23. Monitorização dos PADDE durante a sua implementação. – 5 horas Projeto-Piloto Manuais Digitais (PPMD) como fator de melhoria das aprendizagens dos alunos, através da oferta de percursos de aprendizagem diversificados. – 3 horas Laboratórios de Educação Digital (LED) como espaços de suporte à aprendizagem, que proporcionem a professores e a alunos o contacto e a utilização de recursos e equipamentos tecnológicos, em estreita articulação com o desenvolvimento de atividades curriculares e/ou extracurriculares. – 5 horas Inteligência artificial (IA): “A inteligência artificial (IA) é a capacidade que uma máquina para reproduzir competências semelhantes às humanas como é o caso do raciocínio, a aprendizagem, o planeamento e a criatividade.” IA na Educação: desafios, oportunidades e preocupações… - 4 horas Avaliação da ação – 1 hora

Metodologias

A presente ação é dinamizada na modalidade de e-learning, com recurso a diversas ferramentas, nomeadamente um sistema de gestão de aprendizagem (LMS) e ferramentas de comunicação síncrona. A formação decorrerá num espaço virtual organizado com os conteúdos de formação disponibilizados e onde decorrem interações múltiplas (síncronas e assíncronas) entre formador-formando e formando-formando. O contexto de formação visa estimular a criação de momentos de partilha e reflexão no âmbito das práticas de monitorização e avaliação das ações do PADDE e dos seus resultados. A ação de formação tem como quadro geral de referência metodológico o construtivismo e a aprendizagem colaborativa, assentando em princípios como a formação participada e experiencial e a ação refletida.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos desenvolvidos pelos formandos, bem como a elaboração de trabalhos. Participação: 40% Trabalhos/Relatório critico: 60%

Bibliografia

Lucas, M., Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfDigitally-Competent Educational Organisations. Disponível: http://publications.jrc.ec.europa.eu/repository/bitstream/JRC98209/jrc98209_r_digcomporg_final.pdf https://selfieptk.eu/pt/ [novembro 2023]Comissão Europeia (2020). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://ec.europa.eu/education/sites/education/files/document-library-docs/deap-swd-sept2020_en.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 20-02-2024 (Terça-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
2 23-02-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
3 18-03-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
4 22-03-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
5 16-04-2024 (Terça-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
6 19-04-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
7 21-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
8 24-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
9 11-06-2024 (Terça-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
10 14-06-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona

Ref. 141B14T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115607/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 02-02-2024

Fim: 20-03-2024

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Dulcineia Maria Pereira Pires

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha desbravem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar. Esta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade, bem como apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas ajustadas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: o os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; o a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; o a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; o a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 02-02-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:30 3:30 Online síncrona
2 09-02-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 15-02-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 27-02-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 04-03-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 07-03-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 14-03-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 20-03-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:30 3:30 Online síncrona

Ref. 174B15T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122150/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 02-02-2024

Fim: 10-02-2024

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Formador

João Luís Alves Oliveira Basto da Silva

Destinatários

Professores dos Grupos de Recrutamento 260 e 620

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos de Recrutamento 260 e 620. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos de Recrutamento 260 e 620.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAE Bragança Norte / Desporto Escolar - DGE

Enquadramento

O Badminton é considerado como uma modalidade de incerteza constante, onde as decisões durante a competição são inúmeras e têm de ser tomadas num intervalo de tempo muito reduzido e de forma eficaz, com o objetivo de o atleta atingir o sucesso desportivo. A coordenação motora é uma estrutura psicomotora básica, concretizada pela maturação motora e neurológica da criança e desenvolvida através da sua estimulação psicomotora. Quanto mais diversificadas forem as tarefas e as experiências, mais e melhor será consolidado o desenvolvimento psicomotor da criança, e concomitantemente melhor desenvolvimento relacionado com a lateralidade, a noção do corpo, a coordenação óculo-manual, a coordenação espácio-temporal e outras capacidades que são possíveis de se adquirir através da prática do Badminton. O curso de formação “O Badminton na Escola” visa fundamentalmente complementar e atualizar a formação dos professores de Educação Física dos 2.º, 3.º Ciclo e Secundário, no domínio científico-pedagógico da modalidade. Pretende não apenas disponibilizar ferramentas para o ensino, como ainda desenvolver competências relacionadas com o planeamento, orientação técnica e prescrição de exercícios específicos do Badminton, respeitando os princípios biológicos, biomecânicos e pedagógicos do exercício, de acordo com as características das populações alvo em aulas de Educação Física, bem como na abordagem nos Grupos Equipa do Desporto Escolar.

Objetivos

Este curso visa dotar os professores de Ed. Física de condições básicas e específicas em relação às várias componentes da modalidade de Badminton, no sentido de facilitar a conceção, a operacionalização e a avaliação dos procedimentos pedagógicos inerentes à abordagem da modalidade em contexto curricular e também no desenvolvimento do Desporto Escolar. Pretende dotar também os professores de uma perspetiva de desenvolvimento que permita rentabilizar as aulas atuando diretamente com a condição científico-pedagógica em cada âmbito de intervenção, tentando implementar uma maior eficácia, e consequentemente maior eficiência na abordagem do Badminton na escola, visando sempre alguns aspetos fundamentais: (i) o domínio dos fundamentos teóricos e metodológicos da área disciplinar; (ii) e a implementação destes fundamentos numa realidade particular e contextual de ensino e formação técnica inicial.

Conteúdos

1. A História do Badminton(1h) 1.1. O Badminton nas Olimpíadas 2. Regras Simplificadas (30´) 2.1. Terreno de jogo 3. Elementos Educativos a considerar na Aprendizagem (30’) 4. Estrutura Elementar dos Batimentos(30’) 4.1. Principais fases de um batimento 4.2. Os elementos “Chave” 5. Classificação dos Batimentos(30’) 5.1. Relação Trajetória/ colocação da mão 5.2. Trajetória 5.3. Área de impacto 6. Pega da Raquete(8h) 6.1. Pega da direita 6.2 Pega de esquerda 6.3. Pega do volante 6.4. Posição Base no campo 6.5 Manipulação da Raquete 7. Técnica de Batimentos(8h) 7.1. Serviço longo 7.2. Serviço Curto 7.3. Clear Ofensivo/Defensivo 7.4. Amortie 7.5. Lob 7.6. Drive 7.7. Remate 7.8. Encosto à rede 7.9. Dab 7.10. Batimentos à volta da cabeça 8. Elaboração e implementação de um plano de aula de badminton (1h) 9. Organização de um torneio de badminton(5h) 9.1. Participação, arbitragem e fiscalização de linhas.

Metodologias

O curso de formação será constituído, essencialmente por aulas teórico/práticas. As aulas decorrerão em regime presencial e no ginásio, onde estará todo o material necessário à formação, de forma a se poder implementar e vivenciar cada uma das situações de aprendizagem, pela demonstração, experimentação e execução prática das mesmas. Esta formação irá englobar a organização de um minitorneio onde, para além da participação em jogo, incluirá a exercitação no domínio da arbitragem.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A avaliação dos formandos é feita de modo contínuo com base na participação nas sessões. No final, propõe-se a realização de uma reflexão escrita sobre um gesto técnico, abordagem onde seja revelada a consolidação dos conteúdos abordados, evidenciando a aplicação em contexto das temáticas tratadas durante a formação. A classificação final resultará da avaliação que for obtida no conjunto das tarefas. Irá ser atribuída uma classificação qualitativa e quantitativa, através de médias ponderadas e com a seguinte equivalência: Excelente: de 9 a 10 valores Muito Bom: de 8 a 8,9 valores Bom: de 6,5 a 7,9 valores Regular: de 5 a 6,4 valores Insuficiente: de 1 a 4,9 valores No início da Acão serão fornecidos aos formandos os critérios e parâmetros de avaliação.

Bibliografia

Crossley, K. (1970). Progressive Badminton G Bell and sons Ltd.Davies, P. (1982). Badminton the Complete Practical Guide David & Charles.Federação Portuguesa de Badminton (2001). Técnica de Batimentos. (Documento adaptado).Departamento de Formação, Curso de treinadores de nível 1.Osthassel,T.D./Sologub,L. (1992) Le Badminton thechniques, Tactiques

Anexo(s)

Cartaz


Observações

Critérios de seleção Prioridade 1. Professores de Educação Física responsáveis de Grupo/Equipa de Badminton da CLDE Bragança e Côa; Prioridade 2. Professores de Educação Física da CLDE Bragança e Côa; Prioridade 3. Professores de Educação Física.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 02-02-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 22:30 4:30 Presencial
2 03-02-2024 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
3 03-02-2024 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial
4 09-02-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 22:30 4:30 Presencial
5 10-02-2024 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
6 10-02-2024 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 176B17T01 Concluída

Registo de acreditação: CDCP02-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 31-01-2024

Fim: 07-02-2024

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Pierre Marie

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte / Plano Nacional das Artes

Enquadramento

A ação de formação “Ensinar o 25 de Abril a partir de documentos históricos” surge em parceria com a Comissão Consultiva Concelhia de Coimbra do Plano Nacional das Artes, no âmbito das Comemorações dos 50 anos do 25 de Abril. Estas comemorações constituem um momento para pensar o regime do Estado Novo, o processo revolucionário iniciado com o 25 de Abril, mas igualmente as mudanças profundas por ele introduzidas. Mas estas comemorações surgem, de igual modo, como uma oportunidade para introduzir novos materiais e novas metodologias nas salas de aula. A presente ação de formação pretende construir ferramentas para o ensino deste período recorrendo à formidável riqueza de documentos históricos que foram então produzidos.

Objetivos

- Capacitar os docentes à utilização de documentos históricos no contexto da sala de aula; - Reforçar a utilização de metodologias que promovam a interatividade e interesse reforçado por parte dos alunos; - Consolidar competências de análise, interpretação e sentido crítico e a valorização de outras narrativas sobre o período; - Identificar grande diversidade de fontes: documentos escritos, iconográficos, audiovisuais, história oral. - Dotar os formandos de ferramentas históricas facilitadoras do uso de documentos históricos para o ensino de temáticas relacionadas com o 25 de abril e respetivo processo revolucionário; Esta proposta de ação formação procura dotar os formandos de ferramentas para facilitar o uso de documentos históricos para o ensino de conteúdos programáticos relacionados com o 25 de Abril e o processo revolucionário português. Serão abordados temáticas como a análise de documentos históricos, o seu uso em contexto de sala de aula, bem como ferramentas para encontrar documentos históricos.

Conteúdos

Os documentos constituem a base do conhecimento histórico. A História contemporânea tem a vantagem de poder mobilizar uma grande diversidade de fontes: documentos escritos, iconográficos, audiovisuais, história oral. Usados no contexto da sala de aula, estes documentos permitem uma maior interatividade e interesse reforçado por parte dos alunos; a consolidação de competências de análise, interpretação e sentido crítico; a valorização de outras narrativas sobre o período. A ação de formação “Ensinar o 25 de Abril a partir de documentos históricos” pretende capacitar os docentes à utilização de documentos históricos no contexto da sala de aula. Os conteúdos que compõem a formação serão os seguintes: 1. O 25 de Abril e os documentos que a Revolução produziu; 2. O aluno como investigador: como trabalhar os documentos na sala de aula; 3. Exemplos a partir de documentos históricos locais; 4. Onde encontrar documentos históricos: repositórios e arquivos.

Metodologias

A ação de formação será realizada online, em duas sessões, valorizando-se o diálogo reflexivo entre e com os participantes. Um trabalho de grupo será pedido entre as duas sessões de formação, com vista a fortalecer as aprendizagens.

Modelo

Preenchimento pelos formandos de um formulário on-line.

Anexo(s)

Cartaz


Observações

Para obtenção do certificado da Ação de Curta Duração (ACD), os docentes têm de participar nas duas sessões, por forma a completarem as 6 horas de frequência obrigatória que são requeridas. Em cada sessão os docentes terão de assinalar a sua presença através do preenchimento de um formulário que será disponibilizado durante a mesma.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 31-01-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Online síncrona
2 07-02-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Online síncrona

Ref. 178B19T01 Concluída

Registo de acreditação: CDCP04-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 27-01-2024

Fim: 27-01-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Superior de Educação de Bragança (IPB)

Formador

António José Valente Pinto

Destinatários

Docentes do Grupo de Recrutamento 290 - EMRC

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte / Secretariado Diocesano de EMRC de Bragança-Miranda / Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Enquadramento

A sociedade atual é marcada pela presença das tecnologias digitais em todos os âmbitos da vida, incluindo a educação. Os docentes do século XXI enfrentam o desafio de integrar essas tecnologias na sua prática pedagógica, de forma a promover a aprendizagem significativa, ativa e colaborativa dos seus alunos. Neste sentido, esta ação de formação visa capacitar os docentes para a utilização de plataformas digitais e recursos educacionais digitais (RED) que potenciem o trabalho docente, tanto na gestão da sala de aula, como na concepção, desenvolvimento e avaliação de atividades de ensino-aprendizagem. Esta ação de formação está inserida no plano de atividades da entidade proponente, que tem como objetivo geral promover a qualidade da educação e a inovação pedagógica, através do desenvolvimento profissional dos docentes.

Objetivos

No final da ação de formação, os formandos deverão ser capazes de: • Conhecer e explorar diferentes plataformas digitais que possibilitem a criação, edição e partilha de recursos pedagógico-didáticos, tais como Canva, Prezi, Final Cut Pro, CapCut, ClipChamp, Pixelmator, Photopea, entre outras; • Compreender o uso de metodologias ativas de aprendizagem, baseadas na resolução de problemas, na aprendizagem por projetos, na aprendizagem cooperativa e na aprendizagem invertida, e aplicá-las na sua prática pedagógica, com o apoio das tecnologias digitais; • Organizar e gerir o trabalho docente de forma eficiente e eficaz, utilizando aplicações digitais que facilitem a planificação, a avaliação, a comunicação e a documentação, tais como app additio, teacherkit, iDoceo, entre outras; • Conhecer técnicas de captura de vídeo e imagem, utilizando equipamentos e ferramentas adequados, e aplicá-las na produção de recursos pedagógico-didáticos; • Conhecer atalhos no Windows/Mac OS/android/IOS para potenciar o fluxo de trabalho docente, otimizando o tempo e a qualidade das tarefas realizadas.

Conteúdos

A ação de formação abordará os seguintes conteúdos, divididos em quatro módulos: • Módulo 1: Plataformas digitais para a criação, edição e partilha de recursos pedagógico-didáticos. Neste módulo, os formandos irão conhecer (e explorar) diferentes plataformas digitais que permitem criar, editar e partilhar recursos pedagógico-didáticos, tais como apresentações, infográficos, vídeos, imagens, entre outros. Serão apresentadas (e experimentadas) plataformas como Canva, Prezi entre outras, e serão discutidas as suas potencialidades e limitações para o trabalho pedagógico. • Módulo 2: Metodologias ativas de aprendizagem e tecnologias digitais. Neste módulo, os formandos irão conhecer o conceito e os princípios das metodologias ativas de aprendizagem, que colocam o aluno no centro do processo de ensino-aprendizagem. • Módulo 3: Organização e gestão do trabalho docente com aplicações digitais. Neste módulo, os formandos irão conhecer aplicações digitais que facilitam a organização e a gestão do trabalho docente, em diferentes dimensões, tais como a planificação, a avaliação, a comunicação e a documentação. Serão apresentadas aplicações como app additio, teacherkit, iDoceo e serão discutidas as suas vantagens e desafios para a eficiência e a eficácia do trabalho docente. • Módulo 4: Técnicas de captura de vídeo e imagem e atalhos no pc Windows e Mac OS. Neste módulo, os formandos irão conhecer técnicas de captura de vídeo e imagem, utilizando equipamentos e ferramentas adequados (Final Cut Pro, CapCut, ClipChamp, Pixelmator, Photopea). Serão abordados aspetos como a escolha do equipamento, a iluminação, o som, o enquadramento, a composição, a edição, entre outros. Além disso, os formandos irão conhecer atalhos no Windows/Mac OS/android/IOS para potenciar o fluxo de trabalho docente, otimizando o tempo e a qualidade das tarefas realizadas.

Metodologias

A ação de curta duração consiste em 3 horas, estruturadas em sessões teórico-práticas presenciais no decurso das quais serão implementadas as seguintes metodologias: • Plenários de debates e reflexão: exposição e troca de ideias sobre os temas abordados, com base nas experiências e nas expectativas dos formandos; • Partilha de experiências: apresentação e comentário de exemplos de práticas pedagógicas com recurso ao digital; • Análise de casos: estudo e resolução de situações-problema relacionadas com os conteúdos da ação; • Partilha de metodologias: exploração e recomendação de plataformas, ferramentas, aplicações e metodologias úteis para a capacitação digital docente. Implementar-se-á uma metodologia interativa e colaborativa que privilegie a ação, a produção, a reflexão e a assunção crítica de opções pedagógico-didáticas sustentadas. Incentivar-se-á a exploração de recursos digitais, a partilha de reflexões e a discussão orientada sobre temáticas específicas. Prevê-se que os conteúdos abordados e os materiais produzidos prolonguem no tempo os efeitos da ação.

Modelo

Os formandos preencherão um questionário de avaliação da ação.

Bibliografia

Area, M. (2019). Educar na era digital: tecnologias digitais, aprendizagem e inovação. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos. CANVA. (2023). Obtido de https://www.canva.com Carvalho, A. A., Aguiar, C., & Maciel, R. (Eds.). (2019). Recursos educativos digitais: práticas de produção e uso na educação básica. Campinas: NIED/UNICAMP. Costa, F. A., & Viseu, S. (Eds.). (2019). Competências digitais de professores. Lisboa: Universidade Aberta. Ouverney, J. R., & Souza, J. L. (2022). Reflexões sobre modelos educacionais contemporâneos: metodologias ativas da aprendizagem, aplicações, desafios e perspectivas. Artefactum – Revista de Estudos em Linguagem e Tecnologia, N.º 1. Redecker, C. (2017). European Framework for the Digital Competence of Educators: DigCompEdu. Luxembourg: Publications Office of the European Union. UE. (2019). Quadro de Competência Digital para Educadores. Obtido de https://joint-research-centre.ec.europa.eu/digcompedu_pt?etrans=pt UNESCO. (2019). Artificial Intelligence in Education: Challenges and Opportunities for Sustainable Development. Paris: UNESCO


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 27-01-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial

Ref. 175B16T01 Concluída

Registo de acreditação: CDCP01-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 23-01-2024

Fim: 20-03-2024

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Carla Alexandra Jorge Machado Rodrigues Cid Moreno

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Biblioteca Municipal de Mogadouro / Agrupamento de Escolas de Mogadouro / Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

Ação com a duração de três horas, realizada online (plataforma ZOOM), integrada num ciclo de webinars que decorre ao longo do ano letivo. O ciclo de webinars “As bibliotecas (in)formam é promovido pela Biblioteca Municipal Trindade Coelho (Mogadouro) em colaboração com as Bibliotecas Escolares do Agrupamento de Escolas de Mogadouro e a Rede de Bibliotecas Escolares (coordenação interconcelhia).

Objetivos

Afirmar o papel informativo e formativo das bibliotecas. Desenvolver hábitos de frequência das bibliotecas para aceder à informação e à cultura. Informar e formar os docentes sobre temas ligados à sua atividade profissional, nomeadamente ao nível da educação para a cidadania.

Conteúdos

Literacia mediática – desinformação e fake news. Saúde mental. Inteligência emocional.

Metodologias

Para obtenção do certificado da Ação de Curta Duração (ACD), os docentes têm de estar presentes nos 3 webinars realizados no 2.º período, por forma a completarem as 3 horas de frequência obrigatória que são requeridas. Em cada webinar os docentes terão de assinalar a sua presença através do preenchimento de um formulário que será disponibilizado durante o mesmo

Modelo

Formulários online (Google Forms).

Anexo(s)

Cartaz


Observações

Para obtenção do certificado da Ação de Curta Duração (ACD), os docentes têm de estar presentes nos 3 webinars realizados no 2.º período, por forma a completarem as 3 horas de frequência obrigatória que são requeridas. Em cada webinar os docentes terão de assinalar a sua presença através do preenchimento de um formulário que será disponibilizado durante o mesmo.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-01-2024 (Terça-feira) 20:45 - 21:45 1:00 Online síncrona
2 21-02-2024 (Quarta-feira) 20:45 - 21:45 1:00 Online síncrona
3 20-03-2024 (Quarta-feira) 20:45 - 21:45 1:00 Online síncrona

Ref. 177B18T01 Concluída

Registo de acreditação: CDCP03-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 23-01-2024

Fim: 06-02-2024

Regime: b-learning

Local: em regime b-Learning/Agrupamento de Escolas de Mogadouro

Formador

Fernanda Monteiro Vicente

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte / Agrupamento de Escolas de Mogadouro

Enquadramento

O Decreto-Lei n.º 54, de 6 de julho de 2018 e a Lei n.º 116, de 13 de setembro de 2019, consagram, entre as opções metodológicas, o desenho universal para a aprendizagem (DUA) no acesso ao currículo, como modelos flexíveis, garantindo um acompanhamento e monitorização sistemáticos, com vista à implementação de intervenções, ao serviço das aprendizagens efetivas dos alunos. As respostas dos alunos às intervenções, determinarão as medidas de apoio à aprendizagem a implementar em cada momento, para garantir que todos e cada aluno adquire as competências patentes nos referenciais comuns, valorizando os seus interesses e potencialidades.

Objetivos

1. Conhecer os conceitos de Desenho Universal para a Aprendizagem e a Teoria das Inteligências Múltiplas de Gardner; 2. Discutir o contributo da Psicologia e das Neurociências na Educação Inclusiva; 3. Conhecer os princípios do DUA e o modo de o implementar; 4. Integrar os princípios do DUA na planificação; 5. Desenvolver trabalho prático no âmbito da planificação com recurso ao DUA.

Conteúdos

1. Fatores envolvidos no processo de aprendizagem: o contributo das neurociências; 2. Conceito de Desenho Universal para a Aprendizagem (DUA); a. Princípios orientadores do DUA; b. Implementação; c. Planificar com recurso ao DUA – um exemplo; 3. Atividade prática: apresentação do trabalho de planificação e discussão

Metodologias

A sessão on-line terá uma dimensão mais teórica, onde serão tratados conceitos relacionados com o Desenho Universal para as Aprendizagens e Estilos de Aprendizagem. A sessão presencial terá um caráter prático na qual os participantes desenharão um plano de aula em que integrem a abordagem DUA.

Modelo

Os formandos preencherão um formulário on-line.


Observações

Para obtenção do certificado da Ação de Curta Duração (ACD), os docentes têm de participar nas duas sessões, por forma a completarem as 4 horas de frequência obrigatória que são requeridas. Em cada sessão os docentes terão de assinalar a sua presença através do preenchimento de um formulário/folha de presenças que será disponibilizado durante a mesma.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-01-2024 (Terça-feira) 16:50 - 18:20 1:30 Online síncrona
2 06-02-2024 (Terça-feira) 16:50 - 19:20 2:30 Presencial

Ref. 173B12T02 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122286/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 10-01-2024

Fim: 07-02-2024

Regime: b-learning

Local: em regime b-Learning/Agrupamento de Escolas Emídio Garcia

Formador

Luísa Maria Fernandes

Destinatários

Professores do 3.º Ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 3.º Ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAE Bragança Norte

Enquadramento

A presente ação de formação insere-se no âmbito do projeto Erasmus+ Go Green, o qual tem por ambição desenvolver nas escolas uma dinâmica colaborativa numa perspetiva de planificar as atividades letivas, segundo uma metodologia de transdisciplinaridade, subordinadas à temática do Desenvolvimento Sustentável, preparando professores do 3.º ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário para ter em conta questões relacionadas com o ambiente e o desenvolvimento sustentável nas suas aulas. Estas duas vertentes da prática letiva vão ao encontro das metodologias ativas e da abordagem mais holística das aprendizagens essenciais, dando cumprimento ao PASEO.

Objetivos

- Introduzir as quatro dimensões do Desenvolvimento Sustentável. - Desenvolver competências gerais para a educação para o Desenvolvimento Sustentável. - Adquirir/promover conhecimento, sistemas e estratégias, emoções, ética, valores e ação para o Desenvolvimento Sustentável. - Desenvolver o processo de ensino-aprendizagem baseado em metodologias ativas, colaborativas e de resolução de problemas. - Desenvolver competências e facultar conhecimento sobre o trabalho de planos de aula interdisciplinares e transdisciplinares. - Monitorizar os formandos na aplicação dos referidos planos de aula. - Cumprir os objetivos da Agenda 2030, nomeadamente o objetivo 4 – Educação Sustentável.

Conteúdos

Apresentação da ação de formação, objetivos e critérios de avaliação – 1 hora Módulo 1 – Introdução às Quatro Dimensões do Desenvolvimento Sustentável – 4 horas Módulo 2 – Competências Gerais para a Educação para o Desenvolvimento Sustentável – 5 horas Módulo 3 - Conhecimento, Sistemas e Estratégias, Emoções, Ética, Valores e Ação para o Desenvolvimento Sustentável – 5 horas Módulo 4 - Aprendizagem Baseada em Resolução de Problemas, Metodologias Ativas e Colaborativa – 5 horas Módulo 5 – Elaboração de planos de aula interdisciplinares e transdisciplinares – 4 horas Avaliação da ação – 1 hora

Metodologias

Duas sessões presenciais de 3 h cada, uma no início e outra no final da formação. 19 h online assíncronas. Todos os módulos incluem um vídeo com a síntese dos conteúdos abordados. Cada módulo desenvolve três a cinco unidades/sequências de aprendizagem. Sessão 1: Método Expositivo, Ativo com dinâmica de grupo de heteroconhecimento, Brainstorming e Design thinking Recorrer-se-á nas sessões assíncronas a um método Ativo com a elaboração de plano de atividades de implementação de estratégias metodológicas de ensinoaprendizagem de promoção da sustentabilidade e feedback semiestruturado por pares..

Avaliação

A avaliação dos formandos é feita de modo contínuo, com base na participação nas sessões, incidindo sobre o processo de trabalho e sobre os produtos que dele decorrem (relatórios reflexivos, organização e condução de sessões práticas) e que revelam a consolidação dos conteúdos abordados, evidenciando a aplicação em contexto das temáticas e metodologias trabalhadas durante a formação. Participação: 40% Trabalhos/Testes/Relatório: 60% Os/as Formandos/as serão avaliados/as utilizando a escala de 1 a 10 valores, conforme estipulado no Despacho n.º4595/2015, de 6 de maio, recorrendo aos parâmetro de avaliação estabelecidos pelo CFAE e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação dos formandos.

Bibliografia

Rauch, F., Steiner, R. (2013) Competências para a Educação para o Desenvolvimento Sustentável na Formação de Professores, ceps Journal | Vol.3 | Nº 1 https://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ1129472.pdfTilman, D. (2000). Causas, consequências e ética da biodiversidade. Natureza, 405(6783), 208-211. DOI: 10.1038/35012217Alfonso Rodriguez-Dono e Antoni Hernández-Fernández Promovendo a Sustentabilidade e o Pensamento Crítico por meio do Debate – Um Estudo de Caso Sustentabilidade 2021, 13, 6397. https://doi.org/10.3390/su1311639Buil-Fabrega, M., Martínez Casanovas, M., Ruiz-Munzón, N., & Filho, WL (2019). Sala de aula invertida como metodologia ativa de aprendizagem em currículos de desenvolvimento sustentável. Sustentabilidade , 11 (17), 4577.Singh, V. (2021). Rumo a uma pedagogia das mudanças climáticas transdisciplinar e centrada na justiça. Em Currículo e Aprendizagem para Ação Climática (pp. 169-187). Brilhante. https://brill.com/display/book/9789004471818/BP000024.xml?language=en

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-01-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 13-01-2024 (Sábado) 17:00 - 20:30 3:30 Online assíncrona
3 17-01-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online assíncrona
4 20-01-2024 (Sábado) 17:00 - 20:30 3:30 Online assíncrona
5 24-01-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online assíncrona
6 27-01-2024 (Sábado) 17:00 - 20:00 3:00 Online assíncrona
7 31-01-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online assíncrona
8 07-02-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial

Ref. 173B12T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122286/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 09-01-2024

Fim: 01-02-2024

Regime: b-learning

Local: em regime b-Learning/Agrupamento de Escolas Emídio Garcia

Formador

Luísa Maria Fernandes

Destinatários

Professores do 3.º Ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 3.º Ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAE Bragança Norte

Enquadramento

A presente ação de formação insere-se no âmbito do projeto Erasmus+ Go Green, o qual tem por ambição desenvolver nas escolas uma dinâmica colaborativa numa perspetiva de planificar as atividades letivas, segundo uma metodologia de transdisciplinaridade, subordinadas à temática do Desenvolvimento Sustentável, preparando professores do 3.º ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário para ter em conta questões relacionadas com o ambiente e o desenvolvimento sustentável nas suas aulas. Estas duas vertentes da prática letiva vão ao encontro das metodologias ativas e da abordagem mais holística das aprendizagens essenciais, dando cumprimento ao PASEO.

Objetivos

- Introduzir as quatro dimensões do Desenvolvimento Sustentável. - Desenvolver competências gerais para a educação para o Desenvolvimento Sustentável. - Adquirir/promover conhecimento, sistemas e estratégias, emoções, ética, valores e ação para o Desenvolvimento Sustentável. - Desenvolver o processo de ensino-aprendizagem baseado em metodologias ativas, colaborativas e de resolução de problemas. - Desenvolver competências e facultar conhecimento sobre o trabalho de planos de aula interdisciplinares e transdisciplinares. - Monitorizar os formandos na aplicação dos referidos planos de aula. - Cumprir os objetivos da Agenda 2030, nomeadamente o objetivo 4 – Educação Sustentável.

Conteúdos

Apresentação da ação de formação, objetivos e critérios de avaliação – 1 hora Módulo 1 – Introdução às Quatro Dimensões do Desenvolvimento Sustentável – 4 horas Módulo 2 – Competências Gerais para a Educação para o Desenvolvimento Sustentável – 5 horas Módulo 3 - Conhecimento, Sistemas e Estratégias, Emoções, Ética, Valores e Ação para o Desenvolvimento Sustentável – 5 horas Módulo 4 - Aprendizagem Baseada em Resolução de Problemas, Metodologias Ativas e Colaborativa – 5 horas Módulo 5 – Elaboração de planos de aula interdisciplinares e transdisciplinares – 4 horas Avaliação da ação – 1 hora

Metodologias

Duas sessões presenciais de 3 h cada, uma no início e outra no final da formação. 19 h online assíncronas. Todos os módulos incluem um vídeo com a síntese dos conteúdos abordados. Cada módulo desenvolve três a cinco unidades/sequências de aprendizagem. Sessão 1: Método Expositivo, Ativo com dinâmica de grupo de heteroconhecimento, Brainstorming e Design thinking Recorrer-se-á nas sessões assíncronas a um método Ativo com a elaboração de plano de atividades de implementação de estratégias metodológicas de ensinoaprendizagem de promoção da sustentabilidade e feedback semiestruturado por pares..

Avaliação

A avaliação dos formandos é feita de modo contínuo, com base na participação nas sessões, incidindo sobre o processo de trabalho e sobre os produtos que dele decorrem (relatórios reflexivos, organização e condução de sessões práticas) e que revelam a consolidação dos conteúdos abordados, evidenciando a aplicação em contexto das temáticas e metodologias trabalhadas durante a formação. Participação: 40% Trabalhos/Testes/Relatório: 60% Os/as Formandos/as serão avaliados/as utilizando a escala de 1 a 10 valores, conforme estipulado no Despacho n.º4595/2015, de 6 de maio, recorrendo aos parâmetro de avaliação estabelecidos pelo CFAE e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação dos formandos.

Bibliografia

Rauch, F., Steiner, R. (2013) Competências para a Educação para o Desenvolvimento Sustentável na Formação de Professores, ceps Journal | Vol.3 | Nº 1 https://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ1129472.pdfTilman, D. (2000). Causas, consequências e ética da biodiversidade. Natureza, 405(6783), 208-211. DOI: 10.1038/35012217Alfonso Rodriguez-Dono e Antoni Hernández-Fernández Promovendo a Sustentabilidade e o Pensamento Crítico por meio do Debate – Um Estudo de Caso Sustentabilidade 2021, 13, 6397. https://doi.org/10.3390/su1311639Buil-Fabrega, M., Martínez Casanovas, M., Ruiz-Munzón, N., & Filho, WL (2019). Sala de aula invertida como metodologia ativa de aprendizagem em currículos de desenvolvimento sustentável. Sustentabilidade , 11 (17), 4577.Singh, V. (2021). Rumo a uma pedagogia das mudanças climáticas transdisciplinar e centrada na justiça. Em Currículo e Aprendizagem para Ação Climática (pp. 169-187). Brilhante. https://brill.com/display/book/9789004471818/BP000024.xml?language=en

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 09-01-2024 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 12-01-2024 (Sexta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Online assíncrona
3 16-01-2024 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online assíncrona
4 19-01-2024 (Sexta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Online assíncrona
5 23-01-2024 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online assíncrona
6 25-01-2024 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online assíncrona
7 30-01-2024 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online assíncrona
8 01-02-2024 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial

Ref. 162B01T02 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119844/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 30.0 horas

Início: 08-01-2024

Fim: 19-02-2024

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Adelina Moura

Destinatários

Professores dos Grupos 110, 200, 210 e 220

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 110, 200, 210 e 220. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 110, 200, 210 e 220.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

Sabemos da importância da leitura para o sucesso dos alunos, pela sua transversalidade e forma como influencia as aprendizagens em todas as áreas curriculares. No âmbito do Plano 21|23 Escola+, desenhado para a recuperação das aprendizagens dos alunos dos ensinos básico e secundário, foram recentemente apresentados os primeiros dados de monitorização. Uma das ações mais adotadas pelas escolas foi "Escola a Ler", aplicada em 82% das escolas. O sucesso no domínio da leitura está diretamente relacionado com a frequência de contacto com livros e com práticas de leitura que promovam a compreensão leitora e o gosto pela leitura. Consciente deste facto, o PNL2027 propõs a todas as escolas o desenvolvimento da Leitura Orientada em sala de aula, disponibilizando um conjunto de orientações organizadas em diferentes áreas e de propostas de trabalho para os 1º e 2º ciclos. Esta ação de formação integra-se neste propósito e pretende ajudar educadores, professores do 1º e do 2º ciclos e professores bibliotecários na criação de recursos educativos digitais baseados em jogos de evasão literários [Escape Room], que partindo dos livros do catálogo PNL enriqueçam as propostas de Leitura Orientada em sala de aula. A frequência desta formação ajudará a atingir o nível B2 da Competência 2.2. "Criação e modificação", da Área 2. Recursos digitais, no contexto do DigCompEdu.

Objetivos

Compreender os princípios inerente à conceção de um Jogo de Evasão Educativo [Escape Room]; Aumentar a motivação pela leitura e incentivar o trabalho colaborativo; Capacitar e apoiar os professores na utilização de estratégias de aprendizagem ativa baseadas em jogos; Desenhar uma experiência de jogo de evasão para incentivo à leitura; Familiarizar os leitores com os temas e mistérios dos livros; Conceber experiências imersivas através de jogos de evasão com base na leitura interativa; Fomentar a implementação de práticas ativas, reflexivas e sociais. Fomentar a leitura do currículo partindo da lógica da ação e não apenas do conteúdo; Divulgar o trabalho dos participantes e das suas instituições no Portal e nas redes sociais do PNL2027

Conteúdos

Módulo 1: Estratégia didática baseada em jogos de evasão literários (6h síncronas (3h+3h) + 9h assíncronas (2h+7h) para fazer as leituras sugeridas, estruturar o Diário de Aprendizagem num website e planear uma estratégia educativa baseada em jogos de evasão [Escape Room]). Metodologia - Utilização do método expositivo para apresentação dos conteúdos e do interrogativo para avaliação de questões/problemas e troca de experiências e construção de saberes teórico-práticos em grupo Sessão 1 - 3 horas (2 teóricas + 1 prática) Apresentação da ação de formação. Do jogo na educação à gamificação com apresentação de estudos de caso. Exploração de exemplos de jogos de evasão literários. Atividade prática de exploração de ferramentas digitais para estruturar o Diário de Aprendizagem. Elaboração de um plano de construção de recursos digitais baseados em jogos de evasão a partir de livros. Sessão 2 - 3 horas (3 práticas) Modelo Canvas de referência para estruturar um jogo de evasão literário. Criação de narrativa e vídeo promocional. Desenho de jogo de evasão baseado em livro do catálogo PNL2027. Plataformas e ferramentas digitais para criar jogos de evasão literários. Módulo 2: Desenho e modificação de artefactos lúdicos (6h síncronas (3h+3h) + 9h assíncronas (7h+2h) Criação de um jogo de evasão, experimentação na sala de aula e aperfeiçoamento do recurso e melhoria do diário de aprendizagem. Metodologia: Discussão e debate sobre as principais diferenças e desafios das abordagens metodológicas emergentes como o Escape Room Educativo Sessão 3 - 3 horas (3 práticas) Desenho e aperfeiçoamento dos recursos e componentes lúdicos. Avaliação através de rubrica de desempenho Sessão 4 - 3 horas (3 práticas) - Apresentação/discussão e avaliação dos recursos produzidos e partilha de saberes - Avaliação dos formandos e da formação e sugestões para futura formação

Metodologias

A ação tem 12 horas síncronas e 18 horas assíncronas (30 horas). Sessões síncronas: Apresentação dos ambientes de apoio; Exploração dos conteúdos da ação; Análise, discussão e reflexão sobre os recursos criados e das estratégias e metodologias implementadas e avaliação dos resultados. Sessões assíncronas: M1. (9h) Realizar as leituras sugeridas, refletir sobre elas e partilhá-las nos fóruns criados; Planificar atividades e construir conteúdos pedagógico-didáticos em formato jogos de evasão literários; M2. (9h) Experimentar as atividades planificadas e construídas; Avaliar e reformular as atividades e apresentar possível melhoria; A participação nas sessões síncronas será por videoconferência na plataforma Skype, o trabalho assíncrono de reflexão, construção e realização de tarefas na plataforma Padlet e com apoio da formadora à distância. As reflexões serão feitas em grande grupo. A avaliação incide sobre a participação nas sessões, nas discussões, na reflexão crítica e nos trabalhos realizados ao longo da formação.

Avaliação

A avaliação traduz-se numa classificação final quantitativa, na escala de 1 a 10, expressa através do referencial de menções qualitativas previstas na legislação em vigor. A aprovação no curso dependerá da obtenção de classificação igual ou superior a 5 valores e da frequência mínima de 2/3 do total de horas síncronas e assíncronas da ação. Cada formando terá de elaborar um Diário de Aprendizagem com todos os recursos produzidos e um documento escrito individual sobre a ação, com opinião crítica sobre o valor da formação e a aplicação das aprendizagens em sala de aula. A avaliação final será contínua baseada nos seguintes itens gerais: - Participação nas sessões síncronas (atitudes, qualidade das intervenções e contributos) e sessões assíncronas reflexões nos fóruns e conceção de recursos (25%); - Diário de Aprendizagem e recursos pedagógicos produzidos e aplicação dos conteúdos (60%); - Relatório de reflexão crítica sobre a própria dinâmica de participação na formação (15%).

Bibliografia

Burgos Berzosa, J. (2018). Manual de diseño de un Juego de Escape. [Online] https://bityli.com/rZQEqZCsikszentmihalyi, M. (1990). Flow: The Psychology of Optimal Experience. New York: Herper Perennial.Moura, A., Santos, I.L. (2020). Escape Room Educativo: reinventar ambientes de aprendizagem. In Carvalho, A. A. A. (org.) (2020). Aplicações para dispositivos móveis e estratégias inovadoras na educação. Lisboa: Ministério da Educação, Direção-Geral de Educação, pp- 107-115. [Online] http://hdl.handle.net/10316/90484Moura, A. (2018). Escape Room Educativo: os alunos como produtores criativos. In Afonso, Maria Elisete Conde P., Ramos, António Luís, Livro de Atas - 2018, III Encontro de Boas Práticas Educativas, CFAE Bragança Norte, pp-117-123. [Online] https://bit.ly/38vRiTuWalsh, A. (2017). Making Escape Rooms for Educational Purposes: A Workbook. Huddersfield: Innovative Libraries.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-01-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 12-01-2024 (Sexta-feira) 14:00 - 20:00 6:00 Online assíncrona
3 15-01-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 26-01-2024 (Sexta-feira) 14:00 - 20:00 6:00 Online assíncrona
5 29-01-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 16-02-2024 (Sexta-feira) 14:00 - 20:00 6:00 Online assíncrona
7 19-02-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona

Ref. 170B10T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118973/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 12.0 horas

Início: 13-11-2023

Fim: 04-12-2023

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Maria João dos Santos Batalha Caetano Filipe

Maritza Pinto Ferreira Dias

Teodora Saraiva da Costa

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte \ RBE

Enquadramento

Em 2021, a Rede de Bibliotecas Escolares apresentou publicamente o quadro estratégico para o período entre 2021 e 2027, numa sessão pública online em que divulgou igualmente o seu portal reformulado, com novas valências e recursos e ajustado a esta nova estratégia. Desde então, o mesmo tem continuado a ser aperfeiçoado, tem agregado recursos que se encontravam dispersos por outras plataformas, constituindo-se presentemente como um auxiliar bastante relevante para todos os que desempenham as funções de professor bibliotecário, disponibilizando orientações e recursos de apoio. Assim, torna-se fundamental para os que exercem essas funções conhecerem bem esta ferramenta, de modo a poderem rentabilizar todo o seu potencial nas suas práticas diárias nas bibliotecas escolares.

Objetivos

• Conhecer a estratégia da Rede de Bibliotecas Escolares e o seu portal; • Compreender a arquitetura do portal, localizando agilmente os conteúdos disponibilizados; • Conhecer os princípios e organização das secções específicas do portal RBE; • Usar o portal RBE para fundamentar e apoiar a ação da biblioteca escolar.

Conteúdos

Sessão 1 – O Portal da RBE – arquitetura, Pesquisa e Secções - 3 horas online síncronas - O portal RBE – Arquitetura - O Portal RBE – Pesquisa global - O Portal RBE – Secções: - Projetos - Iniciativas - Suporte > Recursos: “Artes e património com a biblioteca escolar”: Enquadramento/ Bibliografia sugerida/ Propostas de trabalho. Colaboração. - Elaboração de recurso educativo sobre artes e património, fundamentado nos recursos disponibilizados. Sessão 2 – O Portal da RBE: Secções I - 3 horas online síncronas - O Portal RBE – Secções: - Suporte > Recursos: “Aprender com a biblioteca escolar: atividades e recursos”: Crescer com a leitura/ Dominar a informação/ Saber usar os media. Organização. Termos e modos de pesquisa. Colaboração. - Seleção de uma proposta de atividade disponíveis no portal RBE em cada uma das áreas (leitura, media e informação), tendo em conta a sua adequação ao PAA da biblioteca e da escola/ agrupamento. Sessão 3 – O Portal RBE: Secções II - 3 horas online síncronas - O Portal RBE – Secções: - Suporte > Recursos: “Cidadania e Biblioteca Escolar: Pensar e intervir”: Dinâmicas educativas/ Notas das escolas/ Recursos/ Racismo/ Discriminação. Organização. Termos e modos de pesquisa. Colaboração. - Elaboração de uma proposta de atividade na área da cidadania, com base nos recursos disponibilizados em “Cidadania e Biblioteca Escolar: Pensar e intervir”. Sessão 4 – O Portal RBE: Secções III - 3 horas online síncronas - O Portal RBE – Secções: - Suporte > Recursos: Secção “Biblioteca Escolar Digital”: Serviços/ Curadoria de conteúdos/ Instrumentos/ Tutoriais informação e Media/ Práticas/ Organização. Termos e modos de pesquisa. - Seleção de recursos disponibilizados na “Biblioteca Escolar Digital“ que possam ser utilizados ou servir de suporte a uma atividade do PAA da biblioteca ou à proposta de atividade elaborada para a sessão anterior. - Avaliação - apresentação de um dos trabalhos realizados ao longo das sessões de formação, à escolha do formando.

Metodologias

O Curso tem 12h online síncronas. Em cada sessão haverá momentos com um caráter sobretudo expositivo, complementados com vários momentos de interação, tendo como base a pesquisa e exploração, individual ou em grupo, do portal RBE. Promover-se-á ainda a reflexão crítica e a discussão.

Avaliação

- Avaliação contínua. Participação dos formandos ao longo das sessões. - Avaliação dos trabalhos produzidos pelos formandos individualmente e em grupo. - Relatórios críticos individuais dos formandos. A avaliação expressa-se de acordo com a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado na Carta Circular CCPFC-3/2007, de 26 de setembro, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua de professores, e pelos critérios da DGE.

Bibliografia

Portugal. Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Programa Rede de Bibliotecas Escolares: Quadro estratégico: 2021-2027. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdfPortugal. Rede de Bibliotecas Escolares (2017) Aprender com a biblioteca escolar. Referencial de aprendizagens associadas ao trabalho das bibliotecas escolares na educação pré-escolar e nos ensinos básico e secundário. https://www.rbe.mec.pt/np4/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=99&fileName=referencial_2017_impres.pdf

Anexo(s)

Cartaz


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 13-11-2023 (Segunda-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Online síncrona
2 20-11-2023 (Segunda-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Online síncrona
3 27-11-2023 (Segunda-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Online síncrona
4 04-12-2023 (Segunda-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Online síncrona

Ref. 171B21T01 Concluída

Registo de acreditação: CDCP05-2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 08-11-2023

Fim: 08-11-2023

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas Miguel Torga

Formador

Silvia Paula Vasco Gonçalves da Costa Fernandes

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Bragança Norte / Agr. Escolas Miguel Torga

Objetivos

A ciência não começou hoje. Nem os nomes que a designam. Nenhuma ciência é uma ilha… Neste sentido, são objetivos específico desta sessão: - Compreender a intemporalidade da cultura e do saber; - Reconhecer o grego no contexto das línguas indo-europeias; - Conhecer o alfabeto grego; - Identificar a presença do grego na linguagem simbólica matemática; - Tomar consciência da transversalidade dos saberes nos curricula escolares.

Conteúdos

- O alfabeto grego - O grego que ainda falamos e usamos

Anexo(s)

Cartaz


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-11-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

Ref. 168B08T01 Concluída

Registo de acreditação: CDCP04-2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 18-10-2023

Fim: 13-12-2023

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Carla Alexandra Jorge Machado Rodrigues Cid Moreno

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Biblioteca Municipal de Mogadouro / Agrup. de Escolas de Mogadouro / CFAE Bragança Norte / Rede de Bibliotecas Escolares

Enquadramento

Ação com a duração de três horas, realizada online (plataforma ZOOM), integrada num ciclo de webinars.

Objetivos

Afirmar o papel informativo e formativo das bibliotecas. Desenvolver hábitos de frequência das bibliotecas para aceder à informação e à cultura. Informar e formar os docentes sobre temas ligados à sua atividade profissional, nomeadamente ao nível da educação para a cidadania e da leitura e escrita.

Conteúdos

Sessão 1. O papel e a importância das bibliotecas. Sessão 2. Os jovens e a leitura. Sessão 3. Plantas medicinais.

Modelo

Formulários online (Google Forms).

Anexo(s)

Cartaz


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-10-2023 (Quarta-feira) 20:45 - 21:45 1:00 Online síncrona
2 15-11-2023 (Quarta-feira) 20:45 - 21:45 1:00 Online síncrona
3 13-12-2023 (Quarta-feira) 20:45 - 21:45 1:00 Online síncrona

Ref. 169B09T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120796/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 17-10-2023

Fim: 17-06-2024

Regime: Presencial

Local: no Centro de Ciência Viva de Bragança

Formador

Maria Alexandra da Costa Vaz

Destinatários

110

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de 110. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de 110.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Ciência Viva Bragança / Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

A Escola Ciência Viva para professores é um curso de formação de 25 horas presenciais, específico do grupo 110, que integra o programa Escola Ciência Viva de Bragança. Ao longo de quatro anos de implementação, de 2018 a 2022, frequentaram este curso 80 professores e os seus 965 alunos. Anualmente o curso integra conteúdos científicos diferentes dentro da área das ciências. A Escola Ciência Viva, é um programa da Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica adaptado e implementado no Centro Ciência Viva de Bragança (CCVB) desde 2018. Os alunos de 3º e 4º ano, do concelho de Bragança, e os seus professores frequentam esta Escola, durante uma semana, realizando várias atividades orientadas segundo a metodologia Inquiry Based Science Education (IBSE). Os alunos realizam as atividades orientadas pelos técnicos e professores do CCVB, os seus professores frequentam, em simultâneo, a formação adquirindo e aperfeiçoando as suas metodologias em sala de aula, nomeadamente na aprendizagem das ciências através da investigação. Um modelo de formação inovador realizado em contexto de trabalho, baseado no trabalho de grupo, observação de aulas e partilha de conhecimentos, e que conta com a participação dos próprios alunos.

Objetivos

- Conhecer e aplicar a metodologia IBSE (Inquiry Based Science Education) com um grupo de alunos do 4ºano do ensino básico; - Promover a partilha de conhecimentos e experiências e o trabalho de grupo entre professores; - Organizar e aplicar atividades no âmbito da metodologia IBSE dirigidas a alunos de 1ºciclo; - Refletir sobre práticas pedagógicas nomeadamente: trabalho de projeto, trabalho prático experimental, atividades cooperativas de aprendizagem, o jogo, saídas de campo, pesquisa digital e documental, aplicações informáticas em sala de aula.

Conteúdos

- Programa Escola Ciência Viva: Escola Ciência Viva para alunos e professores - 2 horas - A metodologia IBL (Inquiry Based Learning) no ensino das Ciências - 5 horas - Idealização e aplicação de uma atividade IBL: “My teacher” conteúdo a definir pelo formando - 5 horas - Atividades IBL da Escola Ciência Viva: rochas e minerais; macroinvertebrados bioindicadores do estado de saúde do rio; líquenes e o ambiente; biodiversidade do rio Fervença; funcionamento do microscópio e observação de células animais e vegetais, algas, protozoários, fungos (… ); pintar com a natureza; atividades IBM - 10 horas - Avaliação de projetos - 3 horas

Metodologias

O Curso de Formação Escola Ciência Viva para Professores é desenvolvido em sessões de observação (SO), sessões de observação participada (SOP) e sessões de trabalho (ST). Nas ST a professora formadora, apresenta e discute com os professores formandos, professores das crianças que frequentam a Escola Ciência Viva, as bases da metodologia orientadora na idealização, preparação e aplicação das atividades desenvolvidas na ECV. Preparam, em conjunto, uma atividade dentro desta metodologia, que os formandos desenvolverão com os seus alunos, no espaço My Teacher (Sexta-feira). Nas SO, os formandos observam algumas atividades aplicadas aos seus alunos por professoras do CCVB que depois analisam, em conjunto com a formadora, nas ST. Nas SOP a dinâmica é idêntica com a exceção de que as atividades são orientadas pela formadora e, ao longo da aplicação dessas atividades, trocam-se ideias com os formandos e com os próprios alunos sobre a forma de aplicação e de desenvolvimento dessas mesmas atividades.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada por níveis de desempenho na escala de 1 a 10, a saber: A) Participação na ação: • Presença obrigatória em, pelo menos, 2/3 das sessões do encontro • Envolvimento na ação- 40% B) Trabalhos/produtos desenvolvidos • Planos de atividade (modelo da Escola Ciência Viva) – 20% C) Aula desenvolvida com os alunos de 4ºano pela metodologia IBSE – 40%

Bibliografia

Ministério da Educação. Aprendizagens Essenciais no Ensino Básico, 2018. Disponível em: http://www.dge.mec.pt/aprendizagens-essenciais-ensino-basicoSaltiel, Edith. Inquiry-Based Science Education: Applying in the Classroom Methodological Guide. Disponível em: http://www.cienciaviva.pt/projectos/pollen/guia.pdf .Worth, Karen; Duque, Mauricio; Saltiel, Edith. Designing and Implementing Inquiry-Based Science Units for Primary Education. Disponível em:https://www.fondation-lamap.org/sites/default/files/upload/media/Guide_Designing-20and-20implementing-20IBSE_final_light.pdfMargus Pedaste, Mario Maeots, Leo A.Siiman, Tonde Jong, Siswa A.N.van Riesen, Ellen T.Kamp, Constantinos C.Manoli, Zacharias C.Zacharia, EleftheriaTsourlidaki. Phases of inquiry-based learning: Definitions and the inquiry cycle. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1747938X15000068?via-3Dihub

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 17-10-2023 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 23-10-2023 (Segunda-feira) 10:00 - 12:30 2:30 Presencial
3 23-10-2023 (Segunda-feira) 14:00 - 15:30 1:30 Presencial
4 24-10-2023 (Terça-feira) 10:00 - 12:30 2:30 Presencial
5 24-10-2023 (Terça-feira) 14:00 - 15:30 1:30 Presencial
6 25-10-2023 (Quarta-feira) 10:00 - 12:30 2:30 Presencial
7 25-10-2023 (Quarta-feira) 14:00 - 15:30 1:30 Presencial
8 26-10-2023 (Quinta-feira) 10:00 - 12:30 2:30 Presencial
9 26-10-2023 (Quinta-feira) 14:00 - 15:30 1:30 Presencial
10 27-10-2023 (Sexta-feira) 10:00 - 12:30 2:30 Presencial
11 27-10-2023 (Sexta-feira) 14:00 - 15:30 1:30 Presencial
12 17-06-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Presencial

Ref. 149PRA16T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116678/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 06-10-2023

Fim: 30-11-2023

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Charlotte Fabienne Veiga Coelho

Destinatários

Professores do Grupo 910

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo 910. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo 910.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

As crianças com Perturbação de Hiperatividade com Défice de Atenção (PHDA) têm dificuldade em concentrar-se e tomar atenção durante muito tempo, distraem-se facilmente, fazem as coisas sem pensar e são demasiado ativas. Também não é fácil para elas seguirem regras ou esperar. Estes comportamentos são mais frequentes e piores do que aqueles que são habituais nas crianças com a mesma idade. O mais frequente é as crianças ou os adolescentes apresentarem uma combinação destes comportamentos. E todas correm o risco de terem baixa autoestima, problemas nas relações entre pares e maior probabilidade de experimentarem álcool, drogas e sintomas depressivos. Por causa destas dificuldades algumas crianças também têm problemas na escola e na realização das tarefas escolares, sentem-se ansiosas e com pouca autoestima, têm dificuldade em manter os seus amigos e podem ter um comportamento desafiante e agressivo. O agente educativo representa um mediador fulcral no processo inclusivo e na promoção do sucesso e bem-estar do aluno. A inclusão está diretamente relacionada com o processo de ensino-aprendizagem, não basta só incluir, a escola deve ofertar um ensino de qualidade e para isso o docente deve desenvolver metodologias diversificadas e flexíveis que visam constituir uma resposta educativa adequada e eficaz.

Objetivos

• Saber identificar as características da PHDA • Reconhecer as diferentes formas de expressão da PHDA • Saber definir objetivos psicopedagógicos e elaborar um Plano Educativo Individual • Ser capaz de implementar metodologias e estratégias de intervenção especializadas para trabalhar aspetos multidmensionais do desenvolvimento

Conteúdos

1.Caracterização clínica da Perturbação de Hiperatividade (2H) ▪ Enquadramento histórico e científico ▪ Aspetos etiológicos ▪ Aspetos neuropsicológicos ▪ A Perturbação de Hiperatividade ao longo da vida 2.Caracterização clínica do Défice de Atenção (2H) ▪ Enquadramento histórico e científico ▪ Aspetos etiológicos ▪ Aspetos neuropsicológicos ▪ A Perturbação de Hiperatividade ao longo da vida 3.Intervenção educativa na Perturbação de Hiperatividade com/sem défice de Atenção (14H) 3.1.Método Desenvolvimental - O Ensino Estruturado em sala de aula regular aplicado à PHDA (4H) ▪ Princípios e objetivos ▪ Conceito de instrução visual – objetivos, tipos e critérios de implementação ▪ Tipos de materiais psicoeducativos e suportes visuais ▪ Estruturação do espaço, do tempo e das atividades ▪ Generalização das aprendizagens 3.2.O Método Comportamental – Análise Aplicada do Comportamento aplicada à PHDA (5H) ▪ Princípios e objetivos A.B.A. ▪ Funções do comportamento ▪ Escolha de objetivos específicos e medíveis ▪ O “Pairing” ▪ Tipos de guias de ensino – gestual, verbal, física e grelhas de monitorização ▪ O reforço - contingência, avaliação e tipos ▪ Técnicas comportamentais de ensino ▪ Generalização das aprendizagens 3.3.Intervenção na regulação sensorial (2H) • Avaliação do Perfil Sensorial • Interferência das alterações sensoriais na atenção e nas aprendizagens • Intervenção na sensorialidade 3.4.Técnicas de Remediação Cognitiva (2H) • Atividades lúdicas de estimulação cognitiva • Utilização de dispositivos digitais • Neurofeedback 3.5.Intervenção farmacológica (1H) 4.Prevenção e gestão dos problemas de comportamento (2H) ▪ Caracterização de um comportamento disruptivo ▪ Fatores predisponentes e fatores “gatilho” ▪ Curva evolutiva ▪ Teoria e Esquema ABC ▪ O campo somático ▪ O campo sensorial ▪ Técnicas de intervenção 5.Intervenção no domínio socioemocional (1H) ▪ Teoria da mente e empatia ▪ Sensibilização e tutoria de pares ▪ Dificuldades sociais e emocionais ▪ Autorregulação e heterorregulação ▪ Materiais psicoeducativos 6.Especificidades escolares (2H) ▪ Problemas nas aprendizagens e na adaptação escolar ▪ Bullying ▪ Inclusão e o DL 54/2008 ▪ Adaptações curriculares ▪ Avaliação cognitiva e do desenvolvimento ▪ Definição de objetivos psicopedagógicos e de transição para a vida ativa ▪ Elaboração de um Plano Educativo Individual ▪ Implementação de estratégias e materiais ▪ O trabalho em colaboração junto das Famílias 7.Conclusões e avaliação final das aprendizagens (1H)

Metodologias

▪ Exposição histórica/científica; ▪ Abordagem teórico-prática e demonstrativa; ▪ Discussão e análise de materiais de intervenção da prática pessoal/profissional; ▪ Trabalho individual e em grupo.

Avaliação

Regime de avaliação dos formandos – Teste com 20 questões de escolha múltipla A Avaliação dos formandos obedece aos seguintes critérios: ▪ Participação (40%); ▪ Teste de conhecimentos (60%). ▪ Quantitativa na Escala de 1 a 10, conforme o previsto no ECD, devendo constar do respetivo Certificado, de acordo com a seguinte escala: o Excelente – de 9 a 10 valores; o Muito Bom – de 8 a 8,9 valores; o Bom – de 6,5 a 7,9 valores; o Regular – de 5 a 6,4 valores; o Insuficiente – de 1 a 4,9 valores

Bibliografia

American Psychiatric Association (2014). Manual de diagnóstico e estatística das perturbações mentais (5.a Ed.). Lisboa: Climepsi Editores.Daley, D., e Birchwood, J. (2010). ADHD and academic performance: Why does ADHD impact on academic performance and what can be done to support ADHD children in the classroom? Child: Care, Health and Development, 36(4), 455-464. doi: 10.1111/j.1365-2214.2009.01046.xMoura, O., Pereira, M., Alfaiate, C., Fernandes, E., Fernandes, B., Nogueira, S., Moreno, J., e Simões, M. R. (2016). Neurocognitive functioning in children with developmental dyslexia and attentiondeficit/hyperactivity disorder: Multiple deficits and diagnostic accuracy. Journal of Clinical and Experimental Neuropsychology, 1-17.Oliveira, L. C. M. (2016). A Perturbação de Hiperatividade/Défice de Atenção (PHDA): do conhecimento dos professores às práticas educativas no 1.o ciclo do ensino básico (Tese de doutoramento, Universidade do Minho). doi: 10.13140/RG.2.2.30359.16801Wåhlstedt, C., Thorell, L., e Bohlin, G. (2009). Heterogeneity in ADHD: Neuropsychological pathways, comorbidity and symptom domains. Journal of Abnormal Child Psychology, 37(4), 551-564. doi:10.1007/s10802-008-9286-9

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 06-10-2023 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
2 13-10-2023 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
3 10-11-2023 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
4 17-11-2023 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
5 24-11-2023 (Sexta-feira) 17:00 - 21:30 4:30 Online síncrona
6 28-11-2023 (Terça-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Online síncrona
7 30-11-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 21:30 4:30 Online síncrona


182

Ref. 163B02T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118525/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 04-10-2023

Fim: 29-11-2023

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

José António da Silva Madalena

Destinatários

Professores dos Grupos 500, 550

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 500, 550. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 500, 550.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

O pensamento computacional e a capacidade de resolver problemas integram as competências dos alunos à saída da escolaridade obrigatória, plasmadas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e nas aprendizagens essenciais de disciplinas das áreas disciplinares de Matemática e Informática. Nesse sentido, é necessário formar docentes destas áreas disciplinares numa linguagem de programação que se tornou muito relevante nos últimos anos e que permite evoluir desde um nível de iniciação até à criação de aplicações em diversos aspetos da computação. Pretende-se adotar uma sequência lógica na análise e resolução dos problemas, com base nos fundamentos associados à lógica da programação e utilizando componentes estruturais da programação. Pretende-se ainda estimular a criatividade dos formandos na criação dos produtos (jogos, animações, etc.), utilizando um ambiente de desenvolvimento integrado (IDE) Python.

Objetivos

No final deste curso, os formandos devem estar aptos a: - Utilizar as estruturas de leitura e escrita no Python; - Utilizar as estruturas de seleção no Python; - Utilizar as estruturas de repetição no Python; - Criar funções no Python; - Manipular listas, tuplas e arrays em Python; - Manipular strings em Python; - Utilizar algumas das bibliotecas padrão do Python (OS, datetime, random, math, etc); - Utilizar algumas das principais bibliotecas adicionais no Python (NumPy, Turtle, Matplotlib); - Verificar a sintaxe e a correção formal de um programa em Python.

Conteúdos

- Instruções de leitura e escrita em Python; - Tipos de dados e de variáveis em Python; - Formatação da leitura e escrita em Python; - Estruturas de seleção em Python; - Estruturas de repetição em Python; - Criação de funções em Python; - Utilização de bibliotecas e módulos padrão do Python; - Manipulação de strings em Python; - Listas, tuplas e arrays em Python; - Utilização do pacote NumPy; - Criação de gráficos com o Matplotlib; - Criação de animações com a biblioteca Turtle.

Metodologias

Nos momentos síncronos: - Método predominantemente afirmativo (variante expositivo aberto) e interrogativo na explicitação dos conteúdos; - Será seguido um método demonstrativo experimental nos exercícios práticos realizados, com execução dos programas explicada passo a passo. Nos momentos assíncronos: - Realização de tarefas propostas para aplicação dos conhecimentos, com disponibilidade constante do formador para apoio individualizado.

Avaliação

Os formandos serão classificados na escala de 1 a 10, conforme indicado no Despacho 4595/2015 de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua, com base na participação e empenho demonstrados, bem como no trabalho produzido, assim distribuídos: - Participação individual/grupo - relacionamento interpessoal e capacidade de partilha de saberes-rigor pertinência e clareza das intervenções - interesse/motivação/iniciativa – 25% - Produção de trabalho/material com intervenção direta no contexto educativo – 50% - Reflexão Crítica, entrega atempada, correção formal, rigor no conteúdo de acordo com as diretrizes estabelecidas pelo formador, em conformidade com o regulamento interno do CFAEBN – 25%

Bibliografia

VASCONCELOS, José Braga (2015), Python Algoritmia e Programação Web, FCA EditoraCOSTA, Ernesto (2015), Programação em Python - Fundamentos e Resolução de Problemas, FCA Editora

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 04-10-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
2 11-10-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 18-10-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 25-10-2023 (Quarta-feira) 19:00 - 22:00 3:00 Online síncrona
5 08-11-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 15-11-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:30 3:30 Online síncrona
7 22-11-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:30 3:30 Online síncrona
8 29-11-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. 133PRA21T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117823/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 30.0 horas

Início: 03-10-2023

Fim: 23-11-2023

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Jorge Humberto Guerreiro Dias

Miguel Garcia Domingos

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

A autonomia das escolas exige o desenvolvimento de práticas organizacionais de avaliação interna, dotando de esquemas de análise crítica, promovendo o aperfeiçoamento, a mudança positiva e o desenho de um projeto educativo que dê uma resposta ética e democrática às necessidades societárias, com especial destaque para a variável individual do propósito (dimensões pessoal e profissional). De acordo com o Modelo da UNESCO Happy Schools, o principal propósito das Escolas é a promoção de resultados académicos em equilíbrio com a felicidade de alunos e de profissionais de educação. Na linha do Programa em Portugal (parceria DGAE/Atlântica), com esta ação intenciona-se promover uma articulação entre o referencial EQAVET e o Modelo UNESCO. Essa articulação será realizada em diálogo com o trabalho de Gibbs: porque é que uma Escola deverá promover a qualidade e a felicidade? Assim, é essencial capacitar toda a comunidade com metodologia e ferramentas promotoras de qualidade e felicidade. Acredita-se que a melhoria efetiva e contínua da Escola poderá ser uma realidade através da criação de um dispositivo de avaliação interna adequado e integrador dos fatores que a atualidade considera como mais relevantes na missão e propósito da Escola. Esta formação permitirá alargar as competências técnicas dos docentes envolvidos, contribuindo para a autonomia da organização escolar nestas temáticas, capacitando os seus docentes de forma individual e coletiva.

Objetivos

- Fomentar a realização de encontros de discussão sobre os aspetos organizacionais da Escola; - Possibilitar o desenvolvimento da capacidade reflexiva dos professores; - Fomentar processos de melhoria contínua na Escola e uma cultura efetiva de qualidade felicidade; - Contribuir para a disseminação, por todos os professores da escola, dos conhecimentos e competências adquiridas pelos participantes no círculo de estudos, pelo efeito “cascata”; - Implementar metodologia e práticas para a autorregulação da Organização escolar, utilizando como suporte o referencial EQAVET e os Modelos UNESCO e Gibbs para Happy School.

Conteúdos

1) Autorregulação nos cursos profissionais (10h) a) O referencial EQAVET (1h) b) A seleção de Indicadores para monitorização de processos (2h) c) O relatório de Progresso Anual (3h) d) O Plano de Ações de Melhoria e identificação de boas práticas (2h) e) O Observatório de Qualidade EQAVET – dimensões e metodologia (Benchmarking) (2h) 2) Comunicação do Projeto de Gestão da Qualidade e da Melhoria à comunidade (7h) a) A negociação da estratégia de melhoria (2h) b) Política de comunicação do projeto de autorregulação da Melhoria da Qualidade – Envolvimento da comunidade (3h) i) Seminários estratégicos (arranque e avaliações intermédias) ii) Sessões de sensibilização (atividades regulares de motivação da comunidade) iii) Suportes comunicacionais (internet, e-mail, flyers, entre outros) iv) Envolvimento da comunidade nas ações de melhoria c) Apresentação das conclusões à comunidade escolar (2h) i) A integração do relatório com o PE da organização escolar e/ou o PI do(a) Diretor(a) ii) Os contornos estratégicos da intervenção 3) Do Modelo UNESCO ao Modelo Gibbs: Desenvolver uma cultura de Felicidade na Escola (10h) a) A infelicidade dos alunos como principal fator do Relatório da UNESCO sobre Happy Schools. b) Modelo UNESCO: 3 categorias de intervenção. c) Modelo Gibbs: bem-estar, felicidade e contentamento. d) Impacto da felicidade na Escola. e) Desafios da medição da felicidade na Escola. f) Programas de Educação para a Felicidade. 4) Produção, análise e debate sobre materiais de trabalho (3h)

Metodologias

30 horas síncronas Nestas sessões serão apresentados os conteúdos programáticos e realizados pequenos exercícios teórico-práticos, através de diferentes plataformas de trabalho e app’s. Através da reflexão em grupo, partindo de problemas identificados e tendo por base os conteúdos discutidos, o grupo produzirá documentos de orientação estratégica, assim como ferramentas (para as áreas abordadas) a implementar na Escola.

Avaliação

A avaliação, individual e contínua, traduz-se numa classificação final quantitativa, na escala de 1 a 10, será expressa através do referencial de menções qualitativas previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD aprovado pelo Decreto-Lei nº 15/2007, e terá em conta os seguintes itens: - Participação (40%) - Relatório critico (60%).

Bibliografia

Comissão europeia. (2022, 7 de julho). EQAVET - Quadro de Referência Europeu de Garantia da Qualidade para o Ensino e a Formação Profissionais.Leandro, Ema Correia Mendes, (2002). Guião para Auto-Avaliação de Escolas. Lisboa: INA, 2º Vols.Venâncio, Isabel Maria e Otero, Agustim Bodás (2002). Eficácia e Qualidade na Escola. Porto: Edições Asa.UNESCO (2016). Happy Schools. Bangkok: UNESCO.Gibbs, P. (2019). Why should Universities seek for Happiness and Contentment? London: Bloomsbury.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 03-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 10-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 12-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
4 17-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
5 19-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
6 24-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 26-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
8 31-10-2023 (Terça-feira) 19:30 - 21:30 2:00 Online síncrona
9 07-11-2023 (Terça-feira) 19:30 - 21:30 2:00 Online síncrona
10 14-11-2023 (Terça-feira) 19:30 - 21:30 2:00 Online síncrona
11 16-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
12 21-11-2023 (Terça-feira) 19:30 - 21:30 2:00 Online síncrona
13 23-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona


169

Ref. 162B01T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119844/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 30.0 horas

Início: 03-10-2023

Fim: 21-11-2023

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Adelina Moura

Destinatários

Professores dos Grupos 110, 200, 210 e 220

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 110, 200, 210 e 220. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 110, 200, 210 e 220.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

Sabemos da importância da leitura para o sucesso dos alunos, pela sua transversalidade e forma como influencia as aprendizagens em todas as áreas curriculares. No âmbito do Plano 21|23 Escola+, desenhado para a recuperação das aprendizagens dos alunos dos ensinos básico e secundário, foram recentemente apresentados os primeiros dados de monitorização. Uma das ações mais adotadas pelas escolas foi "Escola a Ler", aplicada em 82% das escolas. O sucesso no domínio da leitura está diretamente relacionado com a frequência de contacto com livros e com práticas de leitura que promovam a compreensão leitora e o gosto pela leitura. Consciente deste facto, o PNL2027 propõs a todas as escolas o desenvolvimento da Leitura Orientada em sala de aula, disponibilizando um conjunto de orientações organizadas em diferentes áreas e de propostas de trabalho para os 1º e 2º ciclos. Esta ação de formação integra-se neste propósito e pretende ajudar educadores, professores do 1º e do 2º ciclos e professores bibliotecários na criação de recursos educativos digitais baseados em jogos de evasão literários [Escape Room], que partindo dos livros do catálogo PNL enriqueçam as propostas de Leitura Orientada em sala de aula. A frequência desta formação ajudará a atingir o nível B2 da Competência 2.2. "Criação e modificação", da Área 2. Recursos digitais, no contexto do DigCompEdu.

Objetivos

Compreender os princípios inerente à conceção de um Jogo de Evasão Educativo [Escape Room]; Aumentar a motivação pela leitura e incentivar o trabalho colaborativo; Capacitar e apoiar os professores na utilização de estratégias de aprendizagem ativa baseadas em jogos; Desenhar uma experiência de jogo de evasão para incentivo à leitura; Familiarizar os leitores com os temas e mistérios dos livros; Conceber experiências imersivas através de jogos de evasão com base na leitura interativa; Fomentar a implementação de práticas ativas, reflexivas e sociais. Fomentar a leitura do currículo partindo da lógica da ação e não apenas do conteúdo; Divulgar o trabalho dos participantes e das suas instituições no Portal e nas redes sociais do PNL2027

Conteúdos

Módulo 1: Estratégia didática baseada em jogos de evasão literários (6h síncronas (3h+3h) + 9h assíncronas (2h+7h) para fazer as leituras sugeridas, estruturar o Diário de Aprendizagem num website e planear uma estratégia educativa baseada em jogos de evasão [Escape Room]). Metodologia - Utilização do método expositivo para apresentação dos conteúdos e do interrogativo para avaliação de questões/problemas e troca de experiências e construção de saberes teórico-práticos em grupo Sessão 1 - 3 horas (2 teóricas + 1 prática) Apresentação da ação de formação. Do jogo na educação à gamificação com apresentação de estudos de caso. Exploração de exemplos de jogos de evasão literários. Atividade prática de exploração de ferramentas digitais para estruturar o Diário de Aprendizagem. Elaboração de um plano de construção de recursos digitais baseados em jogos de evasão a partir de livros. Sessão 2 - 3 horas (3 práticas) Modelo Canvas de referência para estruturar um jogo de evasão literário. Criação de narrativa e vídeo promocional. Desenho de jogo de evasão baseado em livro do catálogo PNL2027. Plataformas e ferramentas digitais para criar jogos de evasão literários. Módulo 2: Desenho e modificação de artefactos lúdicos (6h síncronas (3h+3h) + 9h assíncronas (7h+2h) Criação de um jogo de evasão, experimentação na sala de aula e aperfeiçoamento do recurso e melhoria do diário de aprendizagem. Metodologia: Discussão e debate sobre as principais diferenças e desafios das abordagens metodológicas emergentes como o Escape Room Educativo Sessão 3 - 3 horas (3 práticas) Desenho e aperfeiçoamento dos recursos e componentes lúdicos. Avaliação através de rubrica de desempenho Sessão 4 - 3 horas (3 práticas) - Apresentação/discussão e avaliação dos recursos produzidos e partilha de saberes - Avaliação dos formandos e da formação e sugestões para futura formação

Metodologias

A ação tem 12 horas síncronas e 18 horas assíncronas (30 horas). Sessões síncronas: Apresentação dos ambientes de apoio; Exploração dos conteúdos da ação; Análise, discussão e reflexão sobre os recursos criados e das estratégias e metodologias implementadas e avaliação dos resultados. Sessões assíncronas: M1. (9h) Realizar as leituras sugeridas, refletir sobre elas e partilhá-las nos fóruns criados; Planificar atividades e construir conteúdos pedagógico-didáticos em formato jogos de evasão literários; M2. (9h) Experimentar as atividades planificadas e construídas; Avaliar e reformular as atividades e apresentar possível melhoria; A participação nas sessões síncronas será por videoconferência na plataforma Skype, o trabalho assíncrono de reflexão, construção e realização de tarefas na plataforma Padlet e com apoio da formadora à distância. As reflexões serão feitas em grande grupo. A avaliação incide sobre a participação nas sessões, nas discussões, na reflexão crítica e nos trabalhos realizados ao longo da formação.

Avaliação

A avaliação traduz-se numa classificação final quantitativa, na escala de 1 a 10, expressa através do referencial de menções qualitativas previstas na legislação em vigor. A aprovação no curso dependerá da obtenção de classificação igual ou superior a 5 valores e da frequência mínima de 2/3 do total de horas síncronas e assíncronas da ação. Cada formando terá de elaborar um Diário de Aprendizagem com todos os recursos produzidos e um documento escrito individual sobre a ação, com opinião crítica sobre o valor da formação e a aplicação das aprendizagens em sala de aula. A avaliação final será contínua baseada nos seguintes itens gerais: - Participação nas sessões síncronas (atitudes, qualidade das intervenções e contributos) e sessões assíncronas reflexões nos fóruns e conceção de recursos (25%); - Diário de Aprendizagem e recursos pedagógicos produzidos e aplicação dos conteúdos (60%); - Relatório de reflexão crítica sobre a própria dinâmica de participação na formação (15%).

Bibliografia

Burgos Berzosa, J. (2018). Manual de diseño de un Juego de Escape. [Online] https://bityli.com/rZQEqZCsikszentmihalyi, M. (1990). Flow: The Psychology of Optimal Experience. New York: Herper Perennial.Moura, A., Santos, I.L. (2020). Escape Room Educativo: reinventar ambientes de aprendizagem. In Carvalho, A. A. A. (org.) (2020). Aplicações para dispositivos móveis e estratégias inovadoras na educação. Lisboa: Ministério da Educação, Direção-Geral de Educação, pp- 107-115. [Online] http://hdl.handle.net/10316/90484Moura, A. (2018). Escape Room Educativo: os alunos como produtores criativos. In Afonso, Maria Elisete Conde P., Ramos, António Luís, Livro de Atas - 2018, III Encontro de Boas Práticas Educativas, CFAE Bragança Norte, pp-117-123. [Online] https://bit.ly/38vRiTuWalsh, A. (2017). Making Escape Rooms for Educational Purposes: A Workbook. Huddersfield: Innovative Libraries.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 03-10-2023 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 09-10-2023 (Segunda-feira) 14:00 - 20:00 6:00 Online assíncrona
3 10-10-2023 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 06-11-2023 (Segunda-feira) 14:00 - 20:00 6:00 Online assíncrona
5 07-11-2023 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 20-11-2023 (Segunda-feira) 14:00 - 20:00 6:00 Online assíncrona
7 21-11-2023 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona

Ref. 150PRA18T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118187/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 26-09-2023

Fim: 25-11-2023

Regime: b-learning

Local: no Agrupamento de Escolas Abade de Baçal / on-line

Formador

Maria Alexandra Oliveira Justiça

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 500

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2024/2025, no que respeita ao 10.º ano de escolaridade; b) 2025/2026, no que respeita ao 11.º ano de escolaridade; c) 2026/2027, no que respeita ao 12.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 500, para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Secundário procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: - Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A), as suas finalidades e as consequências para o ensino da Matemática; - Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A); - Ser capazes de refletir sobre os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A).

Conteúdos

- Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Secundário expressas nas novas AE - Ideias inovadoras do Currículo: o Matemática para a Cidadania; o Pensamento Computacional; o Diversificação de temas no currículo; o Matemática para todos. - Ideias-Chave das Aprendizagens Essenciais: o Resolução de problemas, modelação e conexões o Raciocínio dedutivo e lógica matemática o Recurso sistemático à tecnologia o Tarefas e recursos educativos o Práticas enriquecedoras e criatividade o Organização do trabalho dos alunos o Comunicação matemática o Avaliação para a aprendizagem - Operacionalização das Aprendizagens Essenciais. - Exploração de ideias e conceitos, integrando a tecnologia como alavanca para a compreensão e resolução de problemas: o Abordagem exploratória de ideias e conceitos matemáticos; o Integração da tecnologia na experimentação, visualização, representação, simulação, interatividade, bem como no cálculo numérico e simbólico; o Recurso à folha de cálculo, a ambientes de geometria dinâmica, a aplicativos digitais diversos, a simulações, a smartphones, à calculadora gráfica e aos sensores, bem como a outros equipamentos e materiais; o Desenvolvimento do pensamento computacional com recurso a atividades de programação integradas na resolução de problemas. - Preparação, apresentação e discussão dos trabalhos e avaliação do curso de formação.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões síncronas, a elaboração e reflexão sobre tarefas para os alunos, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Revista dedicada ao Pensamento Computacional: Educação e Matemática, 162Veloso, E. (1998). Geometria: Temas Actuais: materiais para professores. Lisboa: IIE.Graça Martins, M. E. & Cerveira, A. (1998). Introdução às Probabilidades e à Estatística. Universidade Aberta.Amado, N. & Carreira, S. (2019). Trabalho de Projeto. Obtido de: http://hdl.handle.net/10400.1/15482Teixeira, P., Precatado, A., Albuquerque, C., Antunes, C., & Nápoles, S. (1997). Funções - 10º ano. Lisboa: Ministério da Educação

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-09-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
2 03-10-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 10-10-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 17-10-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 19-10-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 31-10-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
7 21-11-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 25-11-2023 (Sábado) 09:30 - 13:30 4:00 Presencial


183

Ref. 151PRA19T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118188/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 21-09-2023

Fim: 25-11-2023

Regime: b-learning

Local: no Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Formador

Maria Manuela Amorim Teixeira

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 500

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2024/2025, no que respeita ao 10.º ano de escolaridade; b) 2025/2026, no que respeita ao 11.º ano de escolaridade; c) 2026/2027, no que respeita ao 12.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 500, para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Secundário procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: - Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional), as suas finalidades e as consequências para o ensino da Matemática; - Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional); - Ser capazes de refletir sobre os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional).

Conteúdos

- Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Secundário expressas nas novas AE - Ideias inovadoras do Currículo: o Matemática para a Cidadania; o Pensamento Computacional; o Diversificação de temas no currículo; o Matemática para todos. - Os novos módulos e o seu racional: o Introdução à Inferência Estatística o Geometria sintética o Matemática e arte o Distâncias inacessíveis o Álgebra de Boole o Modelos de grafos o Matemática financeira e fiscal o Matemática comercial o Matemática laboral o Biomatemática o Criptografia - Operacionalização das Aprendizagens Essenciais. - Exploração de ideias e conceitos, integrando a tecnologia como alavanca para a compreensão e resolução de problemas: o Abordagem exploratória de ideias e conceitos matemáticos; o Integração da tecnologia na experimentação, visualização, representação, simulação, interatividade, bem como no cálculo numérico e simbólico; o Recurso à folha de cálculo, a ambientes de geometria dinâmica, a aplicativos digitais diversos, a simulações, a smartphones, à calculadora gráfica e aos sensores, bem como a outros equipamentos e materiais; o Desenvolvimento do pensamento computacional com recurso a atividades de programação integradas na resolução de problemas. - Preparação, apresentação e discussão dos trabalhos e avaliação do curso de formação.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões síncronas, a elaboração e reflexão sobre tarefas para os alunos, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Revista dedicada ao Pensamento Computacional: Educação e Matemática, 162Veloso, E. (1998). Geometria: Temas Actuais: materiais para professores. Lisboa: IIE.Graça Martins, M. E. & Cerveira, A. (1998). Introdução às Probabilidades e à Estatística. Universidade Aberta.Amado, N. & Carreira, S. (2019). Trabalho de Projeto. Obtido de: http://hdl.handle.net/10400.1/15482Teixeira, P., Precatado, A., Albuquerque, C., Antunes, C., & Nápoles, S. (1997). Funções - 10º ano. Lisboa: Ministério da Educação

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 21-09-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
2 28-09-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
3 03-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
4 12-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
5 19-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
6 26-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
7 02-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
8 09-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
9 25-11-2023 (Sábado) 10:00 - 12:30 2:30 Presencial
10 25-11-2023 (Sábado) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial


184

Ref. 140PRA06T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116015/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 20-09-2023

Fim: 30-11-2023

Regime: b-learning

Local: em regime b-learning

Formador

Dulcineia Maria Pereira Pires

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas/os práticas pedagógicas, interfaces comunicativas, fundamentos humanistas em que todos são parte do sistema e desenvolvem um diálogo igualitário, um pensamento e uma consciência próprios. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha orientem os agentes educativos para a inclusão. Esta formação procura apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas inclusivas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

• Explorar os documentos legislativos (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas mais inclusivas • Aplicar colaborativamente os princípios subjacentes ao desenho universal para a aprendizagem e à abordagem multinível • Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e a diversidade de todos alunos • Conceber instrumentos de suporte à recolha de informação que contribuam para a tomada de decisão. • Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar – Planear – Agir - Rever • Produzir e aplicar em contexto de sala de aula instrumentos de avaliação e planificação das aprendizagens • Partilhar experiências facilitadoras do um processo ensino-aprendizagem inclusivo • Explorar colaborativamente práticas educativas inovadoras

Conteúdos

Módulo 1. Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração integrada dos documentos de política educativa (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) Módulo 2. Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (DUA) Módulo 3. Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico • O que ensinar e porquê, como, quando, com que prioridades, com que meios, com que organização e com que resultados: exercícios práticos Módulo 4. Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N. (2021), Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders • Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education Acesso em 02/02/2022

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 20-09-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 27-09-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 10-10-2023 (Terça-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Presencial
4 30-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 10-11-2023 (Sexta-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Presencial
6 17-11-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 23-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 30-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial


192

Ref. 143PRA09T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116730/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 15-09-2023

Fim: 26-10-2023

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Formador

Dulcineia Maria Pereira Pires

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e do Ensino Secundário e Professores do Ensino Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e do Ensino Secundário e Professores do Ensino Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

Os desafios crescentes que se têm apresentado à escola nas últimas décadas têm posto ênfase na necessidade de responder à diversidade dos seus alunos, o que se constitui como um repto quotidiano para todos os intervenientes no processo educativo. As Dificuldades Específicas de Aprendizagem (DEA), que comprometem e evidenciam as dificuldades na aquisição da leitura, na compreensão leitora, na escrita, nos raciocínios e na aquisição de competências básicas que servem de base a outras de nível superior, são tidas como um dos maiores obstáculos enfrentados pelos alunos, o que tem feito crescer a preocupação de educadores, pais e investigadores. Inquietados com essa questão, os docentes têm, por isso, procurando aplicar diferentes estratégias no sentido de encontrar o melhor caminho para ajudar os alunos a superar tais dificuldades. Decorrente desta preocupação ressalta a importância da intervenção continuada, com o propósito de melhorar o interesse e o envolvimento dos alunos na aquisição de competências de leitura e no desenvolvimento da mesma. (García 2003). È errado pensar ou afirmar que os alunos que têm dificuldades específica de aprendizagem: Dislexia, Disgrafia, Disortografia ou Discalculia, não são inteligentes, ou são preguiçosos. Pelo contrário, é frequente estes alunos fazerem um esforço muito maior do que os seus pares para aprender aquilo que eles aprendem naturalmente. Esta realidade tem de ser compreendida pelos docentes, para que possam pôr em prática estratégias facilitadoras da aprendizagem, da motivação, da autodeterminação e da valorização das aprendizagens feitas.

Objetivos

- Adquirir maior conhecimento sobre as dificuldades específicas de aprendizagem. - Percecionar as dificuldades de leitura como um desafio na prática quotidiana. - Conhecer estratégias que permitam corrigir a disgrafia. - Intervir com alunos que apresentem discalculia. - Aplicar estratégias de diferenciação pedagógica. - Planificar de acordo com a diversidade de estilos de aprendizagem.

Conteúdos

- Apresentação da ação de formação, conteúdos, objetivos e avaliação dos formandos - 1 hora - Pré-requisitos e desenvolvimento da linguagem como base para a aprendizagem da leitura. (4 Horas) - Dificuldades específicas de aprendizagem: Discalculia, Dislexia, disgrafia e disortografia. (5 Horas) - As Dificuldades de leitura e sua implicação na escrita. (5 Horas) - Diferentes formas de intervenção educativa, face às dificuldades específicas de aprendizagem. (5 horas) - Como planificar para a diversidade (5 horas)

Metodologias

- Exposição oral com suporte audiovisual. - Análise de casos - Debates. - Realização de trabalhos de reflexão sobre diferentes ideias abordadas e sua apresentação em grupo. - Realização de trabalhos práticos ao longo da formação

Avaliação

A avaliação dos formandos será feita tendo em conta os fatores: 1- participação nas atividades da ação: 20% 2- trabalho realizado pelos dos formandos ao longo das sessões. 20% 3 - trabalho final - 40% 4 - Relatório de reflexão crítica - 20% O referencial da escala de avaliação é o previsto no n.º 2 do artigo 46º do Estatuto da Carreira Docente, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 15/2007, de 19 de Janeiro: * Excelente – de 9 a 10 valores; * Muito Bom – de 8 a 8,9 valores; * Bom – de 6,5 a 7,9 valores; * Regular – de 5 a 6,4 valores; * Insuficiente – de 1 a 4,9 valores. Não são certificados formandos cuja assiduidade seja inferior a dois terços da duração da ação de formação, conforme o entendimento do Conselho Científico da Formação Contínua, descrito no ponto n.º 2 da Carta Circular CCPFC 1/2007.

Bibliografia

Coelho Diana Tereso (2013) Dificuldades de aprendizagem específicas: dislexia, disgrafia, disortografia e discalculia - Porto : Areal EditoresHulme, C., & Snowling, M. J. (2016). Reading disorders and dyslexiaLopes, J. A. (2014). Ensino da Leitura no 1.º Ciclo do Ensino Básico. Crenças, Conhecimentos e Formação dos Professores. Lisboa, Fundação Francisco Manuel dos Santos.Rodrigues, D. (Org.) (2011). Educação Inclusiva: Dos Conceitos às Práticas de Formação. LisboaCruz, V. (2009). Dificuldades de Aprendizagem Especificas. Lidel – Edições Técnicas: Lisboa

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-09-2023 (Sexta-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Presencial
2 19-09-2023 (Terça-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Presencial
3 21-09-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
4 28-09-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
5 03-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
6 12-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
7 19-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
8 26-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial


190

Ref. 166B06T01 Concluída

Registo de acreditação: CDCP02-2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 14-09-2023

Fim: 14-09-2023

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas de Miranda do Douro

Formador

Fernando Pires Pereira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Bragança Norte / Agr. Escolas de Miranda do Douro

Enquadramento

Contactar com a parte norte do concelho de Miranda para que os docentes conheçam o ambiente em que vivem muitos dos seus alunos. Ao mesmo tempo os professores terão oportunidade de aprofundar conhecimentos dentro das áreas culturais selecionadas, bem como criar um substrato para outras hipóteses de trabalho.

Objetivos

- Apresentar a parte do ambiente rural em que vivem muitos dos alunos do Agrupamento de Escolas de Miranda do Douro;. - Abrir perspetivas para hipóteses de trabalho (inventários, entrevistas, recolhas...); - Refletir sobre as microculturas e os micros habitats; - Conciliar a língua mirandesa com o ambiente em que é falada; - Facultar outras formas aproveitamento dos recursos educativos locais, criando possibilidades de realização de visitas de estudo.

Conteúdos

História e arte - O património artístico da zona norte do concelho de Miranda ( Malhadas, Póvoa Ifanes e Constantim). - O tempo histórico, cultural e artístico em que foram edificados os, supra mencionados, monumentos religiosos. - Os temas dos berracos (em Malhadas, perante um elemento zoomórfico em presença). - A cultura castreja assim como modus vivendi dos vetões, (no castro de S. João das Arriba). - As invasões francesas, (no santuário da Senhora da Luz, capela erguida sob um antigo castro). - A temática do contrabando: memórias de outros tempos de miséria. Biologia e geologia - O concelho de Miranda do Douro apresenta um património natural e paisagístico admirável e autêntico, onde coexistem santuários de flora e fauna e exuberantes formações geológicas e geomorfológicas. Em termos de Flora a região abriga uma variedade de endemismos regionais e ibéricos. As espécies mais representadas são: o zimbro - Juniperus oxycedrus; a azinheira - Quercus rotundifólia; carvalho-negral - Quercus pyrenaica; sobreiro Quercus suber; Freixo -Fraxinus angustifolia giesta - Cytisus striatus e esteva Cistus ladanifer. A fauna presente na região distingue-se pelo número de espécies e pelo seu estatuto de conservação. As espécies mais emblemáticas de mamíferos são: Lobo Ibérico - Canis lupus signatus; Corço - Corsa capreolus capreolus; Javali - Sus scrofa; Burro de Miranda - Equus africanus asinus; Vaca de raça Mirandesa e a Ovelha Churra Galega Mirandesa. A avifauna é o grupo mais representatividade nesta área, pela elevada diversidade e pela ocorrência de várias espécies ameaçadas. Salientamos: o Abutre-do-Egipto - Neophron percnopterus; Águia-real - Aquila chrysaeto; Grifo - Gyps fulvus; Águia-de-bonelli - Aquila fasciatareal; Cegonha-preta - Ciconia nigra. Relativamente ao património geológico, poderemos observar a paisagem magnífica sobre o canhão fluvial do rio Douro. Na região podemos ainda encontrar xistos e grauvaques de baixo grau de metamorfismo e gnaisses e migmatitos de alto grão de metamorfismo. Língua Mirandesa - Evolução da língua Mirandesa a partir do Latim. Exemplos de alguns vocábulos.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 14-09-2023 (Quinta-feira) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 167B07T01 Concluída

Registo de acreditação: CDCP03-2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 14-09-2023

Fim: 14-09-2023

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas D. Afonso III, Vinhais

Formador

Lúcia Jacinta Afonso Pires Guerra

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Bragança Norte / Agr. Escolas D. Afonso III, Vinhais

Enquadramento

O Programa de digitalização para as Escolas, uma das medidas inseridas no âmbito do Plano de Ação para a Transição Digital (Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020, de 21 de abril), prevê, entre outras iniciativas, a utilização de manuais escolares digitais e de recursos educativos digitais. A escola básica e secundária D. Afonso III de Vinhais está no projeto piloto dos manuais digitais desde o seu início.

Objetivos

• Apoiar os docentes na implementação de estratégias de ensino, de aprendizagem e de avaliação, mais centradas no aluno, com recurso a manuais digitais; • Promover abordagens pedagógicas inovadoras e diferenciadoras, com impacto positivo nas aprendizagens dos alunos e no desenvolvimento das suas competências; • Desenvolver competências digitais dos professores, que permitam a criação de ambientes digitais promotores de aprendizagens de qualidade; • Dar a conhecer novas funcionalidades das plataformas envolvidas no projeto; • Refletir sobre a urgência e as vantagens da utilização de recursos educativos digitais para implementar metodologias inovadoras;

Conteúdos

• Aspetos relevantes relacionados com a utilização de manuais escolares digitais; • Metodologias e estratégias de aprendizagem ativa que promovem a aprendizagem, utilizando recursos educativos digitais; • Estratégias de avaliação pedagógica, utilizando manuais digitais; • Estratégias de ensino, de aprendizagem e de avaliação centradas no aluno, com recurso a tecnologias digitais, manuais escolares digitais e outros recursos digitais;


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 14-09-2023 (Quinta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial

Ref. 164B05T01 Concluída

Registo de acreditação: CDCP01-2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 06-09-2023

Fim: 06-09-2023

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Formador

José António Marques Moreira

Mauro Jorge Guerreiro Figueiredo

Sara Marisa da Graça Dias do Carmo Trindade

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

Sinopse Esta ação de formação de curta duração tem uma dupla vertente: uma conferência e workshop. Na primeira parte, os formadores convidados refletirão com os formandos, em formato de mesa redonda, “o ensino/aprendizagem na era digital”. Serão abordados, entre outros, temas como “A linguagem audiovisual em contexto educativo com ambientes digitais” e “Contextos de aprendizagem digitais: aprender fazendo e fazer aprender!”. Sendo esta sessão em formato híbrido (presencial e on-kine) todos os participantes terão oportunidade de colocar as suas questões oralmente ou através de uma aplicação para o efeito. A segunda sessão, totalmente presencial, permitirá aos formandos que participem nos workshops experienciar Softwares e tecnologias audiovisuais para a criação de ambientes educomunicacionais e as potencialidades da plataforma MILAGE APRENDER+" para transformar os alunos em autores. Justificação para ser reconhecida como acreditação de curta duração A existência de uma relação direta, científica ou pedagógica, com o exercício profissional O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos.

Objetivos

- Discutir experiências, possibilidades e estratégias didáticas proporcionadas pelos sistemas e tecnologias digitais para promoverem aprendizagens com qualidade; - Refletir sobre estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das competências digitais dos docentes e alunos; - Promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo - Experienciar recursos digitais que potenciem a criação de ambientes educomunicacionais e a transformação dos alunos em autores.

Conteúdos

Sessão presencial e on-line 10:00 – Sessão de abertura 10:30 – Mesa redonda: O ensino/aprendizagem na era digital — diálogos possíveis . José António Moreira e Sara Dias-Trindade – A linguagem audiovisual em contexto educativo com ambientes digitais . Mauro Figueiredo – Contextos de aprendizagem digitais: aprender fazendo e fazer aprender! Moderador: António da Palma Ferreira (Embaixador Digital do CFAE Bragança Norte) 12:30 – Almoço 14:30 – Workshops - Presencial - José António Moreira e Sara Dias-Trindade – “Softwares e tecnologias audiovisuais para a criação de ambientes educomunicacionais” - Mauro Figueiredo – "Transformar os alunos em autores com a plataforma MILAGE APRENDER+" 17:30 - Encerramento

Metodologias

Conferência e Workshop

Avaliação

Não aplicável

Modelo

Questionário on-line


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 06-09-2023 (Quarta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
2 06-09-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 164B05T02 Concluída

Registo de acreditação: CDCP01-2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 06-09-2023

Fim: 06-09-2023

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Formador

Mauro Jorge Guerreiro Figueiredo

José António Marques Moreira

Sara Marisa da Graça Dias do Carmo Trindade

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

Sinopse Esta ação de formação de curta duração tem uma dupla vertente: uma conferência e workshop. Na primeira parte, os formadores convidados refletirão com os formandos, em formato de mesa redonda, “o ensino/aprendizagem na era digital”. Serão abordados, entre outros, temas como “A linguagem audiovisual em contexto educativo com ambientes digitais” e “Contextos de aprendizagem digitais: aprender fazendo e fazer aprender!”. Sendo esta sessão em formato híbrido (presencial e on-kine) todos os participantes terão oportunidade de colocar as suas questões oralmente ou através de uma aplicação para o efeito. A segunda sessão, totalmente presencial, permitirá aos formandos que participem nos workshops experienciar Softwares e tecnologias audiovisuais para a criação de ambientes educomunicacionais e as potencialidades da plataforma MILAGE APRENDER+" para transformar os alunos em autores. Justificação para ser reconhecida como acreditação de curta duração A existência de uma relação direta, científica ou pedagógica, com o exercício profissional O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos.

Objetivos

- Discutir experiências, possibilidades e estratégias didáticas proporcionadas pelos sistemas e tecnologias digitais para promoverem aprendizagens com qualidade; - Refletir sobre estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das competências digitais dos docentes e alunos; - Promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo - Experienciar recursos digitais que potenciem a criação de ambientes educomunicacionais e a transformação dos alunos em autores.

Conteúdos

Sessão presencial e on-line 10:00 – Sessão de abertura 10:30 – Mesa redonda: O ensino/aprendizagem na era digital — diálogos possíveis . José António Moreira e Sara Dias-Trindade – A linguagem audiovisual em contexto educativo com ambientes digitais . Mauro Figueiredo – Contextos de aprendizagem digitais: aprender fazendo e fazer aprender! Moderador: António da Palma Ferreira (Embaixador Digital do CFAE Bragança Norte) 12:30 – Almoço 14:30 – Workshops - Presencial - José António Moreira e Sara Dias-Trindade – “Softwares e tecnologias audiovisuais para a criação de ambientes educomunicacionais” - Mauro Figueiredo – "Transformar os alunos em autores com a plataforma MILAGE APRENDER+" 17:30 - Encerramento

Metodologias

Conferência e Workshop

Avaliação

Não aplicável

Modelo

Questionário on-line


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 06-09-2023 (Quarta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
2 06-09-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 165A27T01 Concluída

Registo de acreditação: DGAE/1039/2023

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 27-07-2023

Fim: 07-08-2023

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Vasco José da Silva Cavaleiro

Destinatários

Pessoal Não Docente

Acreditado pelo

DGAE - Direção-Geral da Administração Escolar

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

Na sequência da publicação do Lei n.º 30/2021, de 21 de maio e do Dec. Lei n.º 78/2022, de 7 de novembro, que aprova medidas especiais para a contratação pública é introduzida na ordem jurídica nacional um conjunto de alterações na especialidade respeitante ao Código de Compras Públicas. No Curso serão abordadas as principais novidades, numa perspetiva crítica, naquilo que é a articulação da teoria à prática que esta iniciativa legislativa introduz e com reflexos transversais entre a relação das entidades públicas e as relações com as entidades privadas. Esta atividade formativa insere-se no plano de formação do Agrupamento de Escolas de Vimioso, agrupamento associado do CFAE Bragança Norte.

Objetivos

- Dotar os formandos das principais alterações decorrentes da revisão ao Código dos Contratos Públicos e aprovação de medidas especiais de contratação pública. - Reconhecer a importância das Peças do Procedimento; - Identificar os principais aspetos a ter em consideração aquando da elaboração das mesmas em função dos diversos tipos de procedimentos pré-contratuais; - Refletir sobre as várias fases dessa elaboração; - Conhecer alguns princípios jurídico-administrativos aplicáveis à elaboração das peças dos procedimentos no âmbito dos contratos públicos, designadamente os princípios da concorrência, da estabilidade e da publicidade - Analisar as peças dos diversos procedimentos pré-contratuais

Conteúdos

I – Especificidades no novo regime da contratação pública – 3H II – Fase de formação do contrato público- 3H III – Fase de execução do contrato público- 3H IV – Medidas especiais da contratação pública- 3H V - Os princípios jurídico-administrativos aplicáveis à elaboração das peças dos procedimentos no âmbito dos contratos públicos – 2H VI - Os vários deveres de fundamentação e os seus reflexos nas peças do procedimento – 2H VII - Os principais aspetos a incluir no convite/programa de procedimento-3H VIII - As principais cláusulas jurídicas a incluir no Convite/Programa do Concurso e do Caderno de Encargos – 3H IX - O Gestor do Contrato –3H

Avaliação

Avaliação qualitativa e quantitativa. Ponderação: - Participação: 40% - Assiduidade: 10% - Teste escrito/Trabalhos: 50%


Observações

Assistentes Técnicos do Agrupamento de Escolas de Vimioso

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 27-07-2023 (Quinta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona
2 28-07-2023 (Sexta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Online síncrona
3 28-07-2023 (Sexta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona
4 03-08-2023 (Quinta-feira) 14:00 - 17:30 3:30 Online síncrona
5 04-08-2023 (Sexta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Online síncrona
6 04-08-2023 (Sexta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona
7 07-08-2023 (Segunda-feira) 09:00 - 12:30 3:30 Online síncrona
8 07-08-2023 (Segunda-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona

Ref. 142PRA08T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116681/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 12-05-2023

Fim: 30-06-2023

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Charlotte Fabienne Veiga Coelho

Destinatários

Professores do Grupo 910

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo 910. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo 910.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

A Perturbação do Espectro do Autismo (PEA) atinge cerca de 1% da população mundial, correspondendo a uma proporção de cerca de 1 em cada 160 indivíduos no Mundo. Estudos recentes apontam para uma prevalência de 1 em cada 58 indivíduos, o que confere ao autismo o estatuto de diagnóstico altamente presente na sociedade. Na qualidade de diagnóstico do neurodesenvolvimento,a PEA afeta o indivíduo desde o nascimento até ao final da vida, podendo afetar a comunicação, a interação, o comportamento e o processamento sensorial. Toda esta caracterização clínica requer uma intervenção especializada, na qual o contexto escolar assume um papel fundamental, de irrefutável importância para o futuro do indivíduo. O agente educativo representa um mediador capital no processo inclusivo. A inclusão está diretamente relacionada com o processo de ensino-aprendizagem, não basta só incluir, a escola deve promover um ensino de qualidade, e para isso, o agente educativo deve desenvolver metodologias diversificadas e especializadas. Neste sentido, a formação dos profissionais do setor educativo representa uma necessidade fulcral, assumindo um papel preponderante na identificação de manifestações precoces, na intervenção, no apoio à família, na orientação para a vida ativa, entre tantos outros elementos relevantes. Esta formação visa munir os formandos de ferramentas de identificação e intervenção para fornecer as melhores repostas à população com autismo.

Objetivos

• Saber identificar as características do autismo • Reconhecer as diferentes formas de expressão do autismo • Saber definir objetivos psicopedagógicos e elaborar um Plano Educativo Individual • Ser capaz de implementar metodologias e estratégias de intervenção especializadas para trabalhar aspetos multidmensionais do desenvolvimento

Conteúdos

1.Caracterização do Espectro do Autismo (2H) ▪ Enquadramento histórico e científico ▪ Caracterização clínica ▪ Aspetos neuropsicológicos ▪ O autismo ao longo da vida 2.O Programa TEACCH – Ensino Estruturado (3H) ▪ Princípios e objetivos ▪ Conceito de instrução visual – objetivos, tipos e critérios de implementação ▪ Tipos de materiais psicoeducativos e suportes visuais ▪ Estruturação do espaço, do tempo e das atividades ▪ Generalização das aprendizagens 3.O Modelo A.B.A. – Análise Aplicada do Comportamento (4H) ▪ Princípios e objetivos A.B.A. ▪ Funções do comportamento ▪ Escolha de objetivos específicos e medíveis ▪ O “Pairing” ▪ Tipos de guias de ensino – gestual, verbal, física e grelhas de monitorização ▪ O reforço - contingência, avaliação e tipos ▪ Técnicas comportamentais de ensino ▪ Generalização das aprendizagens 4.Intervenção Precoce (1H) ▪ O Modelo de Denver 5.Intervenção na comunicação (3H) ▪ Comunicação e linguagem ▪ Especificidades da linguagem no autismo ▪ Desenvolver os pré-requisitos da comunicação ▪ Sistemas de Comunicação Aumentativos e Alternativos (CAA) ▪ Níveis de intervenção ▪ Linguagem secundária no autismo de alto funcionamento ▪ Elaboração de uma ferramenta individual de CAA 6.Intervenção na sensorialidade (3H) ▪ Os 7 sentidos no autismo ▪ Perfis sensoriais ▪ Intervir nas dificuldades alimentares ▪ Materiais de regulação sensorial 7.Prevenção e gestão dos problemas de comportamento (3H) ▪ Caracterização de um comportamento disruptivo ▪ Fatores predisponentes e fatores “gatilho” ▪ Curva evolutiva ▪ Teoria e Esquema ABC ▪ O campo somático ▪ O campo sensorial ▪ Técnicas de intervenção 8.Intervenção na compreensão socioemocional, na autonomia pessoal e na vida afetiva (3H) ▪ Teoria da mente e empatia ▪ Especificidade do autismo nas raparigas ▪ Sensibilização e tutoria de pares ▪ Sexualidade e vida afetiva ▪ Dificuldades sociais e emocionais ▪ Higiene e cuidados pessoais 9.Especificidades escolares (2H) ▪ Problemas nas aprendizagens e na adaptação escolar ▪ Bullying ▪ Inclusão e o DL 54/2008 ▪ Adaptações curriculares ▪ Avaliação cognitiva e do desenvolvimento ▪ Definição de objetivos psicopedagógicos e de transição para a vida ativa ▪ Elaboração de um Plano Educativo Individual ▪ Implementação de estratégias e materiais ▪ O trabalho em colaboração junto das famílias 10.Conclusões e avaliação final das aprendizagens (1H)

Metodologias

▪ Abordagem teórico-prática e demonstrativa; ▪ Discussão e análise de materiais de intervenção da prática pessoal/profissional; ▪ Trabalho individual e em grupo.

Avaliação

Regime de avaliação dos formandos – Teste de 20 questões de escolha múltipla A Avaliação dos formandos obedece aos seguintes critérios: ▪ Participação (40%); ▪ Teste de conhecimentos (60%). ▪ Quantitativa na Escala de 1 a 10, conforme o previsto no ECD, devendo constar do respetivo Certificado, de acordo com a seguinte escala: o Excelente – de 9 a 10 valores; o Muito Bom – de 8 a 8,9 valores; o Bom – de 6,5 a 7,9 valores; o Regular – de 5 a 6,4 valores; o Insuficiente – de 1 a 4,9 valores

Bibliografia

Adrien, J.-L. e Gattegno, M.P. (2011). L'Autisme de l'enfant : évaluations, interventions et suivis. Bruxelles:Mardaga.American Psychiatric Association. (2013). Diagnostic and statistical manual of mental disorders (5th ed.). Washington, DC.Lansing, M., Marcus, L., Reichler, R. e Eric Schopler (2021). PEP-3 : Profil psycho-éducatif. Évaluation psycho-éducative individualisée de la division TEACCH pour enfants présentant des troubles du spectre de l'autisme. Bruxelles : DeBoeck Supérieur.Leaf, R. B., e McEachin, J. (1999). A work in progress: Behavior management strategies and a curriculum for intensive behavioral treatment of autism. New York: DRL Books.Lobo Antunes, N. (2018). Sentidos. Lisboa : Lua de Papel.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 12-05-2023 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 19-05-2023 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 26-05-2023 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 02-06-2023 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 09-06-2023 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 16-06-2023 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 23-06-2023 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 30-06-2023 (Sexta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona


193

Ref. 160PRA20T01 Concluída

Registo de acreditação: PRA20T01

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 09-05-2023

Fim: 13-05-2023

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Formador

Maria Rosalina Afonso Rodas Veiga

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Bragança Norte / Agr. Escolas Abade de Baçal

Enquadramento

Os normativos legais, nomeadamente o Decreto-Lei n.º 54 e Lei n.º 116/2019, de 6 de julho, em linha com as política UNESCO (2009) e da ONU, estabelecem como prioridade do XXI Governo Constitucional a educação inclusiva, como garante para que todos e cada um dos alunos, independentemente das suas condições pessoais, sociais, económicas, desenvolvam as áreas de competências consagradas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, respondendo, desse modo, às potencialidades, expectativas e necessidades. Assegurar a presença, a participação e o sucesso de todos e cada aluno, em situações de equidade, é outro desiderato deste quadro legal, que contribuirá para a coesão social de Portugal. Neste contexto, as escolas enfrentam hoje o desafio de, face à diversidade de alunos (com necessidades de aprendizagem, percursos educativos e culturais distintos, com preferências e perfis de aprendizagem também eles distintos), providenciarem oportunidades de aprendizagem efetivas e inclusivas para todos. do articulado legal. A psicologia e as neurociências têm dado o seu contributo para ajudar as Escolas a responder a este desafio, nomeadamente através do Desenho Universal para a Aprendizagem e da Abordagem multinível, que constituem contributos fundamentais.

Objetivos

- Construir um quadro teórico e concetual de referência à volta do Desenho Universal para a Aprendizagem (DUA; - Pressupostos do DUA: o reconhecimento da informação a ser aprendida, a aplicação de estratégias para processar essa informação e o envolvimento na tarefa de aprendizagem. - Compreender a necessidade de adequação de estratégias de aprendizagem em sala de aula, fomentando uma abordagem inclusiva do currículo para todos os alunos, com o recurso aos princípios do DUA; - Refletir sobre os cenários de aprendizagem, recorrendo a um conjunto de suportes em prol do sucesso escolar de todos os alunos; - Conhecer e aplicar o DUA enquanto ambiente inovador e inclusivo, articulando uma variedade de estratégias flexíveis e facilitadoras do processo de ensino/aprendizagem; - Promover o debate e a partilha entre os diversos participantes.

Conteúdos

- Enquadramento conceptual do Desenho Universal para a Aprendizagem (DUA); - As estratégias de aprendizagem em sala de aula, numa abordagem inclusiva do currículo para todos os alunos; - Planeamento pedagógico contínuo e colaborativo que respeite as singularidades, valorize os interesses e atenda às necessidades de cada aluno. - Avaliação e Desenho Universal para a Aprendizagem – que relação?


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 09-05-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 13-05-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial


197

Ref. 144PRA10T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116731/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 26-04-2023

Fim: 06-06-2023

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Dulcineia Maria Pereira Pires

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e do Ensino Secundário e Professores do Ensino Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e do Ensino Secundário e Professores do Ensino Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

Os desafios crescentes que se têm apresentado à escola nas últimas décadas têm posto ênfase na necessidade de responder à diversidade dos seus alunos, o que se constitui como um repto quotidiano para todos os intervenientes no processo educativo. As Dificuldades Específicas de Aprendizagem (DEA), que comprometem e evidenciam as dificuldades na aquisição da leitura, na compreensão leitora, na escrita, nos raciocínios e na aquisição de competências básicas que servem de base a outras de nível superior, são tidas como um dos maiores obstáculos enfrentados pelos alunos, o que tem feito crescer a preocupação de educadores, pais e investigadores. Inquietados com essa questão, os docentes têm, por isso, procurando aplicar diferentes estratégias no sentido de encontrar o melhor caminho para ajudar os alunos a superar tais dificuldades. Decorrente desta preocupação ressalta a importância da intervenção continuada, com o propósito de melhorar o interesse e o envolvimento dos alunos na aquisição de competências de leitura e no desenvolvimento da mesma. (García 2003). È errado pensar ou afirmar que os alunos que têm dificuldades específica de aprendizagem: Dislexia, Disgrafia, Disortografia ou Discalculia, não são inteligentes, ou são preguiçosos. Pelo contrário, é frequente estes alunos fazerem um esforço muito maior do que os seus pares para aprender aquilo que eles aprendem naturalmente. Esta realidade tem de ser compreendida pelos docentes, para que possam pôr em prática estratégias facilitadoras da aprendizagem, da motivação, da autodeterminação e da valorização das aprendizagens feitas.

Objetivos

- Adquirir maior conhecimento sobre as dificuldades específicas de aprendizagem. - Percecionar as dificuldades de leitura como um desafio na prática quotidiana. - Conhecer estratégias que permitam corrigir a disgrafia. - Intervir com alunos que apresentem discalculia. - Aplicar estratégias de diferenciação pedagógica. - Planificar de acordo com a diversidade de estilos de aprendizagem.

Conteúdos

- Apresentação da ação de formação, conteúdos, objetivos e avaliação dos formandos - 1 hora - Pré-requisitos e desenvolvimento da linguagem como base para a aprendizagem da leitura. (4 Horas) - Dificuldades específicas de aprendizagem: Discalculia, Dislexia, disgrafia e disortografia. (5 Horas) - As Dificuldades de leitura e sua implicação na escrita. (5 Horas) - Diferentes formas de intervenção educativa, face às dificuldades específicas de aprendizagem. (5 horas) - Como planificar para a diversidade (5 horas)

Metodologias

- Exposição oral com suporte audiovisual. - Análise de casos - Debates. - Realização de trabalhos de reflexão sobre diferentes ideias abordadas e sua apresentação em grupo. - Realização de trabalhos práticos ao longo da formação

Avaliação

A avaliação dos formandos será feita tendo em conta os fatores: 1- participação nas atividades da ação: 20% 2- trabalho realizado pelos dos formandos ao longo das sessões. 20% 3 -trabalho final - 40% 4 - Relatório de reflexão crítica - 20% O referencial da escala de avaliação é o previsto no n.º 2 do artigo 46º do Estatuto da Carreira Docente, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 15/2007, de 19 de Janeiro: * Excelente – de 9 a 10 valores; * Muito Bom – de 8 a 8,9 valores; * Bom – de 6,5 a 7,9 valores; * Regular – de 5 a 6,4 valores; * Insuficiente – de 1 a 4,9 valores. Não são certificados formandos cuja assiduidade seja inferior a dois terços da duração da ação de formação, conforme o entendimento do Conselho Científico da Formação Contínua, descrito no ponto n.º 2 da Carta Circular CCPFC 1/2007.

Bibliografia

Coelho Diana Tereso (2013) Dificuldades de aprendizagem específicas: dislexia, disgrafia, disortografia e discalculia - Porto : Areal EditoresHulme, C., & Snowling, M. J. (2016). Reading disorders and dyslexiaLopes, J. A. (2014). Ensino da Leitura no 1.º Ciclo do Ensino Básico. Crenças, Conhecimentos e Formação dos Professores. Lisboa, Fundação Francisco Manuel dos Santos.Rodrigues, D. (Org.) (2011). Educação Inclusiva: Dos Conceitos às Práticas de Formação. LisboaCruz, V. (2009). Dificuldades de Aprendizagem Especificas. Lidel – Edições Técnicas: Lisboa

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-04-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 28-04-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 04-05-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 11-05-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 18-05-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 25-05-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 30-05-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:30 3:30 Online síncrona
8 06-06-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:30 3:30 Online síncrona


194

Ref. 148PRA15T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116716/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 21-04-2023

Fim: 03-06-2023

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas Emídio Garcia

Formador

Fernando Pires Pereira

Destinatários

Professores dos Grupos 200, 240, 400, 600

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 200, 240, 400, 600. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 200, 240, 400, 600.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

A arte deste período, no país e também nesta região, para além das influências evidenciadas dos artistas e obras flamengas e italianas, inclui muita produção vernacular. É necessário distinguir estes conceitos. Para além dos conceitos, é necessário que os professores compreendam a abrangência do Estilo Chão e ao mesmo tempo que compreendam a grande alteração sofrida na arte desde a construção do Mosteiro dos Jerónimo (reinado de D. Manuel) até à construção das sés joaninas, (reinado do filho, D. João III), assim como compreender as alterações históricas, políticas e culturais que moveram estas opções estéticas. É necessário que os professores reflitam sobre esta problemática e que envolvam os seus alunos no gosto pela investigação e no gosto pela descoberta. As manifestações artísticas do Renascimento e do Maneirismo, no distrito de Bragança, são uma agradável surpresa e com esta oficina de formação pretende-se alargar o conhecimento existente e contribuir para a divulgação do património artístico destes períodos estilísticos. Pretendemos proporcionar aos formandos, algumas atividades fora da sala de aula, e, desta forma, abrir caminhos para que os professores nas sua atividades docentes possam trabalhar com os seus alunos a educação estética, a preservação, a conservação e a valorização do património construído, o sentido de pertença … Esta oficina de formação visa proporcionar o contacto com a realidade envolvente, no que se refere à História, mas mais especificamente com a História da Arte/Património dos períodos artísticos referidos e essencialmente no distrito de Bragança. Como o CFAEBN tem nos seus objetivos, para o próximo biénio, trabalhar os conteúdos disciplinares, esta oficina integra-se no plano de atividades do CFAEBN.

Objetivos

Gerais: - Conhecer os estilos artísticos, de uma forma geral. - Identificar à partida um estilo e referenciar a respetiva época de vigência. - Promover preservação / conservação das manifestações artísticas. Específicos: - Compreender as especificidades próprias em cada obra de arte. - Identificar algumas influências flamengas na arte nacional. - Identificar algumas influências romanas na arte nacional. - Aplicar o conhecimento a vários ramos da arte, como seja a ourivesaria religiosa, tapeçaria... - Conhecer o Estilo Chão (origem do nome, algumas manifestações artísticas, e bibliografia). Conhecer alguns mecenas, influências dos mesmos e também alguma bibliografia sobre os temas.

Conteúdos

Está previsto iniciar esta oficina de formação com uma sessão, em sala de aula, para apresentação da ação, os seus conteúdos e objetivos bem como a avaliação dos formandos. Para as explicações iniciais utilizaremos programas informáticos tais como o PawerPoint ou o Prezi, onde faremos uma apresentação dos vários estilos artísticos, de forma que nos seja possível aprofundar a arte/património da região de Bragança. As artes Grega e Romana vistas como aceitação ou repulsa dos períodos seguintes: Românico, Gótico, Renascimento, Estilo Chão, Maneirismo, Barroco, Rococó, o Neoclássico e o Modernismo. Para esta primeira etapa estão previstas seis horas. Na sessão seguinte faremos uma apresentação de várias manifestações artísticas do tempo do Renascimento e do Maneirismo através da utilização de PowerPoints, com foco na arte dos estilos Renascentista e Maneirista na vila de Mogadouro (Algosinho, Azinhoso e S. Martinho do Peso). Em Miranda do Douro, e elemento principal que nos permitirá abordar a história, a arte e o Património é a Sé. Falaremos da história, da construção, das sés joaninas e dos estilos: renascentista, maneirista e estilo chão. No concelho de Vimioso, para além do património da Vila, concentrado na igreja matriz, merecerão a nossa atenção o património de Algoso, sua igreja e as capelas, interessantes elementos do património artístico, para além de algumas pinturas já maneiristas. Todos os formandos terão hipótese de participar. Para que tal aconteça será elaborada e distribuída, previamente, uma tarefa com os respetivos critérios de avaliação, de forma a que todos os formandos possam preparar uma pequena apresentação do trabalho conseguido. Todos os trabalhos terão necessariamente que ir ao encontro das aprendizagens essenciais e do PASEO. Do concelho de Vinhais aproveitaremos essencialmente convento de Santa Clara. Para a cidade de Bragança, local onde decorrerá a oficina de formação, prevê-se a vista presencial ao mosteiro de Santa Clara, à igreja de S. Vicente, ao mosteiro de S. Bento, e à igreja de Santa Maria.

Avaliação

25%- Participação Indiv./Grupo - relacionamento interpessoal e capacidade de partilha de saberes-rigor pertinência e clareza das intervenções - interesse/motivação/iniciativa. 75% para a produção de trabalhos e materiais com intervenção direta no contexto educativo. - Qualidade e adequação pedagógica dos trabalhos desenvolvidos, conhecimentos científicos e apresentação do trabalho e/ou materiais – 60% - Reflexão Crítica, entrega atempada, correção formal, rigor no conteúdo de acordo com as diretrizes estabelecidas pelo formador, em conformidade com o regulamento interno do CFAEBN nos seus artigos 62.º, 63.º, 64.º, 65.º e 66.º. – 15% Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado nos n.ºs 5 e 6 do artigo 4.ª do Despacho n.º 4595/2015, DR, 2.ª série, N.º 87, de 6 de Maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos pela DGE e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua.

Bibliografia

ALVES, Francisco Manuel (Abade de Baçal), Memórias arqueológico-históricas do Distrito de Bragança, junho de 2000.ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de e BARROCA, Mário Jorge, O Gótico, Editorial Presença, 2002.CHOAY, Françoise, Alegoría del Património, Editorial Gustavo GIL (GG) Barcelona, 2007.GAMBONI, Dario, La destrución del Arte, Iconoclasya y vandalismo desde la Revolución Francesa, Ediciones Cátedra, 2014.GONZÁLEZ, José Ramón Nieto, et alle , El património en l río Duero, Graficas Varana S.A. ,Salamanca, 2001.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 21-04-2023 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
2 29-04-2023 (Sábado) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
3 29-04-2023 (Sábado) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial
4 06-05-2023 (Sábado) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
5 06-05-2023 (Sábado) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial
6 20-05-2023 (Sábado) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
7 20-05-2023 (Sábado) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial
8 03-06-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial


181

Ref. 134A15T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119220/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 29-03-2023

Fim: 31-05-2023

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas de Miranda do Douro

Formador

Marisa Luciana Gomes Alves Teixeira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores do Ensino Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores do Ensino Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

O Inglês é a língua estrangeira que mais relevância tem na maior parte dos países a nível mundial, no âmbito dos negócios, do turismo e da comunicação. Ela é também a língua da tecnologia, da ciência, da informática. Por isso, é uma ferramenta fundamental de trabalho ou de lazer. Este curso de formação, ainda que tendo uma carga horária reduzida, pretende dar resposta à necessidade apresentada por parte dos docentes no âmbito da compreensão e produção oral em língua inglesa, numa altura em que cada vez mais as escolas estão envolvidas em projetos internacionais e recebem alunos estrangeiros, nomeadamente no âmbito do programa Erasmus+. Na conclusão deste curso, os formandos terão adquirido, entre outras, as seguintes competências: - (Níveis 1/2 do QECRL) compreender e usar expressões familiares e quotidianas; apresentar-se e apresentar os outros; fazer perguntas e dar respostas sobre aspetos pessoais; comunicar de modo simples; compreender frases isoladas; descrever o meio circundante.

Objetivos

Com este curso, pretende-se que o formando atinja os seguintes objetivos: • conhecer mais profundamente a língua inglesa; • desenvolver conhecimentos de língua inglesa (vocabulário, gramática, pronúncia, compreensão, produção oral e escrita); • permitir a utilização da língua inglesa em contexto de intercâmbios escolares, como o Projeto Erasmus+, e em contexto de escola, com alunos oriundos de outros países; • promover a aprendizagem/melhoria da língua inglesa; • fornecer, aos formandos, ferramentas linguísticas de comunicação em língua inglesa; • aplicar as principais regras gramaticais e ortográficas da língua inglesa em contexto oral e escrito; • desenvolver competências ao nível da compreensão e expressão oral; • alargar o léxico assimilado; • desenvolver a capacidade de interagir e comunicar com nativos da língua.

Conteúdos

Apresentação (1 hora) Apresentação da estrutura do curso de formação, dos formandos/formadora, dos objetivos do curso e dos critérios de avaliação. Nível A1 (Básico – Iniciação) – 12 horas Módulo 1 – Identificação Pessoal (6 horas) Conteúdos lexicais e gramaticais: o alfabeto (sons, fonética e fonologia); saudações (cumprimentos, despedidas); pronomes pessoais; presente simples do verbo To be /To have; os números (ordinais e cardinais); identificação pessoal (nome, idade, morada, naturalidade, nacionalidade); descrição (física e psicológica do Eu e do Outro); determinantes e pronomes (possessivos e demonstrativos); estados de espírito; artigos definidos e indefinidos; adjetivos (comparativo e superlativo). Módulo 2 – Rotina diária (6 horas) Conteúdos lexicais e gramaticais: dias da semana, estações e meses do ano; horas; estado do tempo; preposições e expressões de tempo; família; animais; singular e plural dos nomes; construção de frases simples e perguntas; pronomes interrogativos; rotinas diárias e atividades de lazer; épocas festivas; presente contínuo; profissões. Nível A2 – (Básico - Elementar) - 12 horas Módulo 1 – Em viagem (6 horas) Conteúdos lexicais e gramaticais: nacionalidades e países; meios de transporte; preposições de lugar e movimento; pedido de informações, dar direções, ordens e instruções; no aeroporto (lugares); locais públicos e serviços; passado simples; advérbios de frequência; passado contínuo; verbos modais. Módulo 2 – Em turismo (6 horas) Conteúdos lexicais e gramaticais: falsos cognatos; tipos de alojamento; conversas telefónicas; e-mails e mensagens telefónicas; no hotel; bens e serviços; no restaurante; tipos de comida e bebida; quantificadores; expressão de gostos e preferências; imperativo; futuro (presente contínuo, will e going to); question tags.

Metodologias

O curso decorrerá em formato presencial. As sessões serão predominantemente práticas, envolvendo a participação ativa dos formandos, assumindo a formadora o papel de facilitadora e de moderadora. Em cada tema, os métodos expositivo e demonstrativo serão utilizados, de modo a proporcionar instrumentos ao nível do léxico e gramática aos formandos. Como estratégias/sugestões metodológicas, será promovida a leitura e interpretação de pequenos textos; a elaboração de diálogos orientados; atividades de conversação em língua inglesa; “roleplaying” orientado de acordo com o nível/objetivo da ação. Quanto aos recursos utlizados, recorrer-se-á à utilização de apresentações em PowerPoint, vídeos, imagens, cartões, páginas de internet e fichas policopiadas, entre outros que pontualmente se tornem pertinentes.

Avaliação

A avaliação dos formandos será quantitativa, numa escala de 1 a 10 valores, de acordo com os normativos vigentes e em conformidade com os critérios definidos pela Comissão Pedagógica do Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte e pelo Conselho Científico e Pedagógico da Formação Contínua de Professores. Numa avaliação contínua, serão tidos em conta os seguintes parâmetros: - assiduidade (em função do regulamento em vigor para a frequência mínima); - participação dos formandos nas atividades propostas (40%); - teste no final de cada nível (60%).

Bibliografia

Baker, Ann (1996). Ship or sheep? - An intermediate pronunciation course, Cambridge, Cambridge University Press.Flower, John, Berman, Michael (1989). Build your vocabulary, Language Teaching Publications.Murphy, Raymond (2003), English Grammar in Use, Cambridge, Cambridge University PressNorman, Jill (2004), Inglês prático – método de conversação, 4.ª ed., Editorial PresençaTrask, R. L. (2000). The Penguin Dictionary of English Grammar, Penguin Books


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 29-03-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Presencial
2 19-04-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
3 26-04-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
4 03-05-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 10-05-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
6 17-05-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
7 24-05-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
8 31-05-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Presencial

Ref. 124PRA12T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118501/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 23-03-2023

Fim: 20-06-2023

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Rita Afonso Pedro

Destinatários

Docentes dos Grupos 100, 110

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Docentes dos Grupos 100, 110. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Docentes dos Grupos 100, 110.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

Esta formação pretende contribuir para fomentar estratégias pedagógicas, ainda pouco utilizadas, recorrendo à prática FcC, articulada com as artes e a cultura, com vista à integração escolar e social das crianças migrantes. Trata-se de contribuir para o sucesso escolar e bem estar das crianças oriundas de vários contextos socioculturais, invertendo a sua situação de vulnerabilidade e tornado a sua presença participativa numa mais valia para todos. Pretende-se que estas crianças se possam afirmar como seres pensantes, e que o façam apoiando-se nas suas culturas de origem, formando destas uma representação positiva, para que consigam ultrapassar os obstáculos relacionados com a exclusão e tomarem parte ativa na sua inclusão escolar.

Objetivos

a) Dar a conhecer o potencial ética da Filosofia com crianças, nomeadamente a nível da erradicação do preconceito, da intolerância, da discriminação; b) Proporcionar a aquisição de atitudes e valores filosóficos que conduzam ao respeito pela diferença; c) Preparar os professores para serem promotores de convivência democrática e consciência cívica, em contexto de sala de aula; d) Sensibilizar os formandos para o sentido de igualdade de todos os participantes enquanto seres pensantes, independentemente da idade, da cor de pele, etc; e) Exercitar o diálogo participativo e colaborativo; f) desenvolver um trabalho a nível da atenção, da empatia, da abertura reflexiva e da escuta do outro; g) Desenvolver competências para o diálogo filosófico e intercultural, inspirado na articulação com diferentes linguagens e expressões artísticas; h) Dar a conhecer, na prática, como se proporcionam experiências de pensamento, a partir da experiência de vida das crianças.

Conteúdos

1 - A prática da Filosofia com crianças (FcC) e a fruição artística como modos de nos abrirmos ao Novo, ao Desconhecido e ao Inesperado, que a Infância traz consigo: 1.a) O Espanto na interrogação filosófica na infância e criação artística. O medo face ao desconhecido e ao diferente. "exercício do viajante" - Exercício prático em torno do espanto e do medo e do tema da viagem. "Exercícios para pensarmos aquilo que não pensamos antes", a partir da leitura de diálogos entre crianças, e com base em manifestações artísticas. 1.b) Do espanto às conceções metafísicas sobre a origem do mundo. Conto Africano sobre o tema da Origem. Questões e teorias sobre a origem do mundo, segundo crianças dos 6 aos 10 anos. 2 - Uma ideia de Infância diferente 2.a) Apreender a Infância diferentemente a partir de três conceções do tempo distintas: Cronos, Kairos e Aion. Revisão crítica da temporalidade, tal ´como é pensada pelo sistema educativo As crianças enquanto seres pensantes e o território dos Porquês na Infância. 2.b) A singularidade das crianças migrantes: narrativas de crianças residentes em Lisboa A criança migrante: um obstáculo ou uma mais-valia para todos? 3. Caminhos para se pensar diferentemente na escola: 3.a) A igualdade das capacidades para se pensar, sem distinção de cor de pele, idade, origem cultural e linguística, etc "Exercício filosófico para se desfazer hábitos reflexivos, resistências e hierarquias", a partir de manifestações artísticas ou culturais. 3.b) "E se tudo fosse amarelo?" - Apresentação de uma conversa filosófica encenada pela artista Sílvia Real. Análise do pensamento das crianças, recorrendo às ferramentas e certas práticas artísticas tais como a composição e atransformação dos erros em potências criadoras. 4. Caminhos para se pensar o racismo na escola:: 4.a) O significado das palavra "Estrangeiro", "Minoria", "Preconceito", "Discriminação", "Raça", "Melanina", "Colonialismo", "Escravatura". O racismo em Portugal. Que perguntas colocam as crianças de Lisboa? Exercício de diálogo participativo e colaborativo a parir das questões das crianças. 4.b) A visão dos indígenas sobre o branco, segundo o antropólogo brasileiro Viveiros de Castro e o penssador Davi Kopenawa Yaninami "Exercícios para desconstruir as nossas visões eurocentradas", a partir destes textos. Exercícios de diálogo colaborativo e participativo a partir da visita Galeria Amazónia - visita on-line 4.c) Atividades com base em recursos artístico-pedagógicos, usadas durante as miniconferências para miúdos curiosos, sobre racismo, designadamente o "mapa ao contrário", o jogo "Adivinha de onde venho: quantas raças existem", etc. 5. Caminhos para se pensar a diferença na escola: Abordagem inclusiva da prática da FcC: "Pensar é fazer parte"? Apresentação da aplicação da metodologia da FcC em contextos comunitários (Bairro ca Cova da Moura e Ilhas de Cabo Verde) Exercício de tomada de consciência acerca das nossas ideias feitas, enraizadas num ponto de vista único ou numa cultura única.

Metodologias

Os conteúdos não serão apresentados de forma linear, mas sim, de forma articulada com a participação dos formandos, através dos métodos demonstrativo e interativo. As sessões serão sempre teórico-práticas, privilegiando-se, contudo, a componente prática: - recorrendo à metodologia da FcC, a estratégias e abordagens consensuais, alinhadas com as recomendações da UNESCO, tais como o diálogo participativo e colaborativo, o espírito crítico e a escuta do outro; - recorrendo à arte e à cultura para se desenvolver e enriquecer os exercícios reflexivos, questionar e dialogar com o mundo e os outros de diferentes maneiras e desenvolver o sentimento de pertença a uma comunidade; - procurando novos caminhos para apoiar as crianças na construção da sua resiliência, designadamente, partindo de narrativas acerca de experiências de vida para uma reflexão sobre o ser humano e a co-construção de novos sentidos para a vida.

Avaliação

A avaliação dos formandos é feita de modo contínuo, com base na participação nas sessões, incidindo sobre o processo de trabalho e sobre os produtos que dele decorrem (relatórios reflexivos, organização e condução de sessões práticas) e que revelam a consolidação dos conteúdos abordados, evidenciando a aplicação em contexto das temáticas e metodologias trabalhadas durante a formação. Os/as Formandos/as serão avaliados/as utilizando a escala de 1 a 10 valores, conforme estipulado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, recorrendo aos parâmetro de avaliação estabelecidos pelo CFAE e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua.

Modelo

Questionário on-line (e relatório crítico, se solicitado) a preencher pelos(as) formandos(as) e relatório a elaborar pelos formadores. Relatório do Centro de Formação

Bibliografia

JELLOUN, Ben Tahar, Le racisme expliqué à ma fille, Éditions du Seuil, 2004KOHAN, Walter, OLARIETA, Beatriz F. (Orgs.), A Escola Pública aposta no pensamento. Belo Horizonte, Autêntica, 20212MORO, Marie Rose, Enfants d'ici venue d' ailleurs. Paris: La Découvert, 2002READ, H., Educação pela arte. Lisboa: Edições 70, 1982TOVE, Skutnabb-Kangas, Language: A Right and a Resource. Approaching Linguistic Human Rights. Linguistic Society of America, vol. 77, number 3, pp. 640-641, 2001

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-03-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
2 20-04-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
3 27-04-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
4 04-05-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
5 18-05-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
6 25-05-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online assíncrona
7 01-06-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online assíncrona
8 07-06-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
9 20-06-2023 (Terça-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Online síncrona


180

Ref. 138PRA04T02 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115608/22

Modalidade: Círculo de Estudos

Duração: 38.0 horas (25.0 horas presenciais)

Início: 15-03-2023

Fim: 28-06-2023

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Formador

Carla Sandra Coelho Azevedo

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

No âmbito do Projeto MAIA, e ao longo dos anos letivos de 2019/2020 e 2020/2021, realizaram-se centenas de Oficinas de Formação (OF), que ocorreram em praticamente todos os CFAE e cujo principal produto foi a conceção e a elaboração de um Projeto de Intervenção (PI) no domínio da avaliação pedagógica. Este PI, definia um conjunto de Princípios de Avaliação Pedagógica que enquadrava quer a definição de uma Política de Avaliação, quer a definição de uma Política de Classificação. A ideia que presidiu à elaboração dos PI era a de o concretizar nos AE/ENA dos formandos que os conceberam e elaboraram, tendo em conta as condições concretas de cada instituição, bem como o respetivo Projeto Educativo Como seria expectável, atendendo às condições existentes em cada AE/ENA, há diferentes graus de apropriação dos propósitos do Projeto MAIA e, consequentemente, o mesmo sucede com a concretização e desenvolvimento dos PI. Assim, há dificuldades que têm sido recorrentemente sinalizadas por diversos intervenientes neste processo. Reconheceu-se, assim, a necessidade de se conceber e desenvolver o presente Círculo de Estudos de modo a contribuir para que dificuldades possam ser ultrapassadas e para que as instituições que estão envolvidas neste processo possam concretizar e desenvolver os seus PI. Através desta modalidade de formação, os formandos terão a oportunidade ultrapassar as dificuldades reportadas de através da reflexão e discussão das experiências das suas unidades orgânicas.

Objetivos

• clarificar os conceitos estruturantes que deverão fundamentar e enquadrar os PI. • aprofundar a conceção e a elaboração dos PI. • analisar materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • produzir materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • delinear estratégias destinadas a promover a concretização e desenvolvimento dos PI atendendo às condições concretas de cada instituição. • contribuir para integrar os PI no desenvolvimento dos Projetos Educativos das instituições. • desenvolver hábitos de trabalho colaborativo e de reflexão em torno de situações vividas nas escolas, visando melhorar a qualidade do ensino, da aprendizagem e da avaliação. • partilhar ideias, experiências, materiais e métodos que contribuam para a concretização e desenvolvimento dos PI em cada instituição. • conceber uma Ação de Curta Duração visando a criação de uma oportunidade para que os professores possam discutir a consecução e o desenvolvimento dos PI.

Conteúdos

O desenvolvimento deste Círculo de Estudos será baseado no estudo, na discussão e na análise dos seguintes conteúdos principais: • Análise e reflexão acerca do Currículo vigente atualmente em Portugal. • Relações entre o Currículo, a Pedagogia e a Avaliação e suas implicações para a concretização e desenvolvimento dos PI. • Conceitos estruturantes da avaliação pedagógica tais como avaliação formativa, avaliação sumativa, feedback, critério, indicador ou descritor, autoavaliação, avaliação entre pares, avaliação holística, avaliação analítica, processos de recolha de informação e processos de classificação. • Conceção de materiais, processos e estratégias que integrem os conceitos e ideias da avaliação pedagógica e que suscitem a sua utilização nas práticas pedagógicas. • Análise e discussão de PI: reformulação, aprofundamento, ajustamento. • Processos de formação ativa de professores: fundamentos, processos e dinâmicas.

Avaliação

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. A avaliação dos formandos decorre ao longo de todas as sessões com base nas interações que se forem estabelecendo a partir das intervenções realizadas nas suas instituições. Os PI reformulados assim como os Planos de Formação serão objeto de apresentação e discussão nas sessões presenciais e constituirão processos e produtos fundamentais.

Bibliografia

Fernandes, D. (2021). Para uma fundamentação e melhoria das práticas de avaliação pedagógica no âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Fernandes, D. (2021). Para a Conceção e Elaboração do Projeto de Intervenção no Âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Fernandes, D. (2021). Para um enquadramento da formação de professores. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Machado, E. A. (2021). Feedback. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Wenger, E. (1998). Communities of practice: Learning, meaning, and identity. Cambridge University Press.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-03-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Presencial
2 30-03-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
3 04-05-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
4 22-05-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 29-05-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
6 05-06-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
7 22-06-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
8 28-06-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial


175

Ref. 138PRA04T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115608/22

Modalidade: Círculo de Estudos

Duração: 38.0 horas (25.0 horas presenciais)

Início: 04-03-2023

Fim: 17-06-2023

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas de Mogadouro

Formador

Fernanda Monteiro Vicente

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

No âmbito do Projeto MAIA, e ao longo dos anos letivos de 2019/2020 e 2020/2021, realizaram-se centenas de Oficinas de Formação (OF), que ocorreram em praticamente todos os CFAE e cujo principal produto foi a conceção e a elaboração de um Projeto de Intervenção (PI) no domínio da avaliação pedagógica. Este PI, definia um conjunto de Princípios de Avaliação Pedagógica que enquadrava quer a definição de uma Política de Avaliação, quer a definição de uma Política de Classificação. A ideia que presidiu à elaboração dos PI era a de o concretizar nos AE/ENA dos formandos que os conceberam e elaboraram, tendo em conta as condições concretas de cada instituição, bem como o respetivo Projeto Educativo Como seria expectável, atendendo às condições existentes em cada AE/ENA, há diferentes graus de apropriação dos propósitos do Projeto MAIA e, consequentemente, o mesmo sucede com a concretização e desenvolvimento dos PI. Assim, há dificuldades que têm sido recorrentemente sinalizadas por diversos intervenientes neste processo. Reconheceu-se, assim, a necessidade de se conceber e desenvolver o presente Círculo de Estudos de modo a contribuir para que dificuldades possam ser ultrapassadas e para que as instituições que estão envolvidas neste processo possam concretizar e desenvolver os seus PI. Através desta modalidade de formação, os formandos terão a oportunidade ultrapassar as dificuldades reportadas de através da reflexão e discussão das experiências das suas unidades orgânicas.

Objetivos

• clarificar os conceitos estruturantes que deverão fundamentar e enquadrar os PI. • aprofundar a conceção e a elaboração dos PI. • analisar materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • produzir materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • delinear estratégias destinadas a promover a concretização e desenvolvimento dos PI atendendo às condições concretas de cada instituição. • contribuir para integrar os PI no desenvolvimento dos Projetos Educativos das instituições. • desenvolver hábitos de trabalho colaborativo e de reflexão em torno de situações vividas nas escolas, visando melhorar a qualidade do ensino, da aprendizagem e da avaliação. • partilhar ideias, experiências, materiais e métodos que contribuam para a concretização e desenvolvimento dos PI em cada instituição. • conceber uma Ação de Curta Duração visando a criação de uma oportunidade para que os professores possam discutir a consecução e o desenvolvimento dos PI.

Conteúdos

O desenvolvimento deste Círculo de Estudos será baseado no estudo, na discussão e na análise dos seguintes conteúdos principais: • Análise e reflexão acerca do Currículo vigente atualmente em Portugal. • Relações entre o Currículo, a Pedagogia e a Avaliação e suas implicações para a concretização e desenvolvimento dos PI. • Conceitos estruturantes da avaliação pedagógica tais como avaliação formativa, avaliação sumativa, feedback, critério, indicador ou descritor, autoavaliação, avaliação entre pares, avaliação holística, avaliação analítica, processos de recolha de informação e processos de classificação. • Conceção de materiais, processos e estratégias que integrem os conceitos e ideias da avaliação pedagógica e que suscitem a sua utilização nas práticas pedagógicas. • Análise e discussão de PI: reformulação, aprofundamento, ajustamento. • Processos de formação ativa de professores: fundamentos, processos e dinâmicas.

Avaliação

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. A avaliação dos formandos decorre ao longo de todas as sessões com base nas interações que se forem estabelecendo a partir das intervenções realizadas nas suas instituições. Os PI reformulados assim como os Planos de Formação serão objeto de apresentação e discussão nas sessões presenciais e constituirão processos e produtos fundamentais.

Bibliografia

Fernandes, D. (2021). Para uma fundamentação e melhoria das práticas de avaliação pedagógica no âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Fernandes, D. (2021). Para a Conceção e Elaboração do Projeto de Intervenção no Âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Fernandes, D. (2021). Para um enquadramento da formação de professores. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Machado, E. A. (2021). Feedback. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.Wenger, E. (1998). Communities of practice: Learning, meaning, and identity. Cambridge University Press.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 04-03-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
2 04-03-2023 (Sábado) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial
3 18-03-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
4 18-03-2023 (Sábado) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial
5 06-05-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
6 06-05-2023 (Sábado) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial
7 20-05-2023 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
8 20-05-2023 (Sábado) 14:00 - 16:00 2:00 Presencial
9 17-06-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
10 17-06-2023 (Sábado) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial


174

Ref. 141PRA07T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115607/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 16-02-2023

Fim: 25-05-2023

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Maria Zulmira Moreno Morais

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha desbravem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar. Esta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade, bem como apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas ajustadas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: o os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; o a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; o a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; o a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 16-02-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
2 02-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
3 09-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
4 16-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
5 23-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
6 30-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
7 20-04-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
8 27-04-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
9 04-05-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
10 18-05-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
11 25-05-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona


179

Ref. 154A03T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119267/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 07-02-2023

Fim: 10-05-2023

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Formador

Margarida Peixoto Marques

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

Tendo por base o incremento do número de projetos internacionais na área de influência do CFAEBN nomeadamente projetos do programa Erasmus+ Ação Chave 1 e 2 e eTwinning, levando a uma crescente procura por parte dos docentes e dos agrupamentos de formação em língua inglesa, propõe-se esta formação que visa dotar os docentes de competências linguísticas que lhes permitam planificar, desenvolver e participar em projetos de índole internacional que contribuem para a consecução dos objetivos previstos nos Projetos Educativos dos Agrupamentos. As competências adquiridas nesta formação possibilitarão o desenvolvimento do trabalho colaborativo que favorecerá a implementação de estratégias de autonomia e flexibilização curricular nos agrupamentos, contribuindo desta forma para o sucesso educativo dos alunos e para uma formação mais integral.

Objetivos

• Promover a participação dos docentes em projetos internacionais • Otimizar a participação da comunidade educativa nas atividades desenvolvidas pela Escola / Agrupamento/CFAEBN • Otimizar projetos inovadores que existem na área de influência do CFAEBN. • Melhorar os canais de comunicação existentes. • Participar em projetos conjuntos de agrupamento. • Promover a utilização das tecnologias e trabalho colaborativo. • Promover/otimizar a articulação vertical e horizontal entre os docentes dos agrupamentos. • Promover a aprendizagem da língua inglesa; • Dotar os participantes de competências linguísticas que lhes permitam comunicar eficazmente em inglês; • Enriquecer processos de ensino e aprendizagem, através da diversificação de metodologias e ambientes de interação.

Conteúdos

Modulo 0 – Apresentação do curso, dos objetivos e dos critérios de avaliação (1 hora) Módulo 1 – Identificação Pessoal (4 horas) a. Área lexical: apresentações, cumprimentos, despedidas, nacionalidades, naturalidade, países, cidades, idade, descrição física e psicológica. b. Área gramatical: Presente Simples (to be, to have), pronomes pessoais, artigo indefinido, pronomes interrogativos, afirmativas, interrogativas, negativas. 2. Módulo 2 – Família e trabalho (5 horas) a. Área lexical: membros da família/relações familiares, dados pessoais, cores, estações do ano, meses do ano, dias da semana, datas, profissões. b. Área gramatical: preposições de lugar, artigo definido, cardinais, ordinais, demonstrativos, preposições de tempo (in, on, at), determinantes possessivos, caso possessivo. 3. Módulo 3 – Rotina diária (5 horas presenciais) a. Área lexical: refeições, atividades diárias, épocas festivas, horas, vestuário, cultura inglesa, cultura americana, atividades de tempos livres. b. Área gramatical: presente simples, advérbios de frequência, pronomes pessoais de complemento, pronomes pessoais reflexos. 4. Módulo 4 – A casa e a escola (5 horas) a. Área lexical: casa, mobília; espaços na escola, disciplinas, objetos, regras, atividades extracurriculares. b. Área gramatical: passado simples, pronomes relativos, verbos auxiliares de modalidade, graus dos adjetivos. 5. Módulo 5 – A cidade e o campo (5 horas) a. Área lexical: espaços na cidade e no campo, meios de transporte, lojas, desportos, serviços. b. Área gramatical: quantificadores, preposições de lugar e direção, question tags.

Metodologias

A formação segue uma metodologia comunicativa estrutural, em que o papel da formadora (transmissora de conhecimentos, monitora, guia e consultora) varia de acordo com o nível da lição. A língua é apresentada em contextos reais, refletindo situações do quotidiano nas quais o formando terá de usar o inglês. Deste modo, os formandos tornam-se sujeitos e parte integrante de todo o processo de aprendizagem, sendo solicitados a contribuir com as suas opiniões, experiências e sentimentos, encorajados a trabalhar em grupo e a assumir a responsabilidade pela sua aprendizagem. As sessões serão, pois, eminentemente, práticas.

Avaliação

Os formandos serão avaliados quantitativamente numa escala de 1 a 10 valores, de acordo com os os normativos vigentes e em conformidade com os critérios definidos pela Comissão Pedagógica do Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte e pelo Conselho Científico e Pedagógico da Formação Contínua de Professores. • Participação dos formandos nas atividades a desenvolver ao longo das sessões 40% • Realização de um teste no final de cada módulo 60%

Bibliografia

Thornbury, Scott. How to Teach Vocabulary. Ed. Jeremy Harmer. Harlow: Pearson Education Limited, 2002. Print.Howard­Williams, Deirdre, and Cynthia Herd. Word Games with English 1. Oxford: Heinemann, 1986. Print.Murphey, Tim. Resource Books for Teacers ­ Music and Song. Ed. Alan Maley. First ed. Oxford: OUP, 1992. Print.Hadfield, Jill; Hadfield, Charles. Simple Writing Activities. Oxford: OUP, 2001. PrintGerngross, Günter, and Herbert Puchta. Creative Grammar Practice. Third ed. Harlow: Longman, 1994. Print.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 07-02-2023 (Terça-feira) 18:00 - 19:00 1:00 Presencial
2 09-02-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
3 15-02-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
4 16-02-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
5 02-03-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
6 09-03-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
7 15-03-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
8 16-03-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
9 23-03-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
10 30-03-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
11 19-04-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
12 03-05-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
13 10-05-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial

Ref. 145PRA11T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116714/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 27-01-2023

Fim: 21-04-2023

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Maria de Lurdes Gomes Neves

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores do Ensino especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores do Ensino especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

A mediação de conflitos, em contexto escolar, proporciona uma intervenção mais participativa e facilitadora de comunicação e diálogo. Permite, igualmente, a regulação das situações de conflito, a manutenção ou a reconstrução da qualidade relacional promovendo uma cultura de mediação de conflitos simultaneamente ao nível da reflexão e intervenção no plano curricular, nas práticas dos órgãos de gestão e nas atitudes pedagógicas dos docentes. O curso surge com o objetivo principal de proporcionar aos formandos a possibilidade de desenvolver competências (saber-saber, saber-ser, saber-fazer) ao nível da gestão e mediação de conflitos em sala de aula e no contexto educativo, tendo em consideração os ritmos de aprendizagem dos formandos e que procura, através de atividades práticas de aplicação, a consolidação das competências visadas.

Objetivos

- Identificar as diferentes tipologias e processos de desenvolvimento de conflitos escolares; - Usar metodologicamente a técnica de mediação de conflitos escolares; - Conceber, implementar e avaliar um programa de mediação de conflitos e indisciplina; - Desenvolver materiais didáticos adaptados a cada turma com vista à mediação de conflitos e indisciplina;

Conteúdos

Apresentação do curso, conteúdos, objetivos e avaliação dos formandos. Módulo I- A Psicologia do Conflito nas Escolas: - A definição do conflito; - A origem do conflito; - As crenças sobre o conflito escolar; - As respostas/posturas face ao conflito; Módulo II – O conceito do Conflito e a sua Resolução na Escola e na Sala de Aula - Noção de negociação; - Estilos de negociação dos conflitos e da indisciplina - Técnicas de mediação de conflitos; III – A Avaliação da Intervenção nos Conflitos relacionados com a Indisciplina e a perturbação do Funcionamento da Sala de Aula - Estratégias de gestão de conflitos em sala de aula - Respostas preventivas relacionadas com a gestão do processo de ensino-aprendizagem - Respostas preventivas relacionadas com a gestão dos comportamentos na sala de aula - Respostas remediativas relacionadas com a gestão dos comportamentos na sala de aula IV – Projetos, Programas e Práticas de Mediação e Gestão de Conflitos V- Projeto de formação-ação e de materiais a aplicar nas escolas pelos formandos VI- Divulgação, avaliação e discussão em público do projeto e dos materiais produzidos e das práticas experienciadas pelos formandos

Metodologias

sessões síncronas 1ª fase: Diagnóstico de necessidades e identificação de conflitos em sala de aula (2h): 2ª fase: Apresentação de conteúdos: Módulo I- A Psicologia do Conflito nas Escolas (4h): • A definição do conflito; • A origem do conflito; • As crenças sobre o conflito escolar; • As respostas/posturas face ao conflito; Módulo II – O conceito do Conflito e a sua Resolução na Escola e na Sala de Aula (6h) • Noção de negociação; • Estilos de negociação dos conflitos e da indisciplina Técnicas de mediação de conflitos; III – A Avaliação da Intervenção nos Conflitos relacionados com a Indisciplina e a perturbação do Funcionamento da Sala de Aula (4h): Estratégias de gestão de conflitos em sala de aula • Respostas preventivas relacionadas com a gestão do processo de ensino-aprendizagem • Respostas preventivas relacionadas com a gestão dos comportamentos na sala de aula • Respostas remediativas relacionadas com a gestão dos comportamentos na sala de aula IV – Projetos, Programas e Práticas de Mediação e Gestão de Conflitos (4h) V fase- Divulgação, avaliação e discussão em público do projeto e dos materiais produzidos e das práticas experienciadas pelos formandos (5h)

Avaliação

A avaliação dos formandos será feita tendo em conta os fatores: 1- participação nas atividades da ação: 40% 2- trabalho realizado pelos dos formandos. 60% O referencial da escala de avaliação é o previsto no n.º 2 do artigo 46º do Estatuto da Carreira Docente, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 15/2007, de 19 de Janeiro: * Excelente – de 9 a 10 valores; * Muito Bom – de 8 a 8,9 valores; * Bom – de 6,5 a 7,9 valores; * Regular – de 5 a 6,4 valores; * Insuficiente – de 1 a 4,9 valores. Não são certificados formandos cuja assiduidade seja inferior a dois terços da duração da ação de formação, conforme o entendimento do Conselho Científico da Formação Contínua, descrito no ponto n.º 2 da Carta Circular CCPFC 1/2007.

Bibliografia

Flores, Mª A. (2019) (org.). O trabalho e a vida dos professores : um olhar nacional e internacional / trad. Liliana Fernandes. - 1ª ed. - [S.l.] : Lisbon Internationl Press, 2019. - 359, [5] p. ; 24 cm. - ISBN 978-989-52-6966-;Flores, M A;, Clara Coutinho (org.) (2015).Formação e trabalho docente : projetos, políticas e práticas / Amador Guarro... [et al.] ; org. - 1ª ed. - Santo Tirso : De Facto, 2015. - 190 p. : il. ; 23 cm. - (Practicum. Ciências da educação ; 3). - Ed. bilingue em português e espanhol. - ISBN 978-989-8557-51-;Flores, M A;, Clara Coutinho (org.) 2014). (Formação e trabalho docente : tendências e desafios atuais / Ana Lúcia Pereira... [et al.] ;. - 1ª ed. - Santo Tirso : De Facto- 234 p. : il. ; 23 cm. - (Practicum. Ciências da educação ; 1). - ISBN 978-989-8557-43-8Flores, Mª A. E VEIGA-SIMÃO, A.M. (2009). Aprendizagem e Desenvolvimento Profissional de Professores : contextos e perspectivas: Mangualde: Ed PedagogoFlores Mª A.; Moreira, M.A. & Oliveira, L. R. (2015). (org) - Desafios curriculares e pedagógicos na formação de professores / - Ramada : Pedago, 2015. - 158 p. ; 23 cm. - ISBN 978-989-8655-53-60

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 27-01-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:30 3:30 Online síncrona
2 10-02-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 17-02-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 03-03-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 10-03-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 17-03-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 24-03-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 21-04-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:30 3:30 Online síncrona


195

Ref. 132A08T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118579/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 26-01-2023

Fim: 09-03-2023

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

José Carlos Matias de Sousa

Dina Isabel Ferreira Paulino

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

O sucesso académico, a inclusão e a cidadania são objetivos a cumprir com a operacionalização da Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania (ENEC), do Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória (PA), e da Autonomia e Flexibilidade Curricular. A Educação para a Cidadania está integrada no currículo, nas atividades letivas e não letivas, nas práticas diárias da vida escolar e articulação com a comunidade, propondo-se, na ENEC que a implementação da componente curricular de Cidadania e Desenvolvimento (CD), abordagem que integre toda a escola. Os domínios de Educação para a Cidadania, devem privilegiar o contributo de cada um para o desenvolvimento dos princípios, dos valores e das áreas de competências do PA. As Aprendizagens Essenciais constituem as orientações curriculares de base na planificação, realização e avaliação do ensino e da aprendizagem. Com o Decreto-Lei n.º 55/2018, de 6 de julho, e da ENEC, a EC adquire centralidade no currículo, na obrigatoriedade de elaboração e concretização de uma EECE em cada AE/ENA. A componente curricular de CD – integrando as matrizes curriculares das ofertas educativas e formativas – e, a indicação dos domínios de EC intercomunicantes e complementares, pretende-se que os alunos realizam aprendizagens através da participação plural e responsável, no quadro da democracia, do respeito pela diversidade e da defesa dos Direitos Humanos. Na oferta de formação aos docentes focada na operacionalização da componente de CD.

Objetivos

1. Refletir sobre o valor da cidadania nas sociedades democráticas e na defesa dos Direitos Humanos, como fundamental para maior coesão social e para a paz; 2. Promover uma abordagem integrada dos conteúdos de EC; 3. Reforçar a articulação entre as disposições dos referenciais curriculares de EC, que constituem referências curriculares, e os documentos e variáveis do contexto das escolas; 4. Incentivar o trabalho colegial de desenvolvimento curricular das equipas educativas; 5. Promover a utilização de metodologias ativas, centradas na aprendizagem vivencial da cidadania democrática e na abordagem integrada da EC e envolvimento ativo dos stakeholders; 6. Contribuir para a reflexão crítica sobre as partes e a componente do currículo de CD.

Conteúdos

1. A componente de Cidadania e Desenvolvimento: enquadramento curricular e articulação com as referências e referencias curriculares (7h) 2. Os conteúdos da Educação para a Cidadania fixados nos referenciais curriculares: níveis de articulação compreendendo o PA, as Aprendizagens Essenciais (AE), os perfis profissionais/referenciais de competência, quando aplicável, e os domínios de Educação para a Cidadania (7h) 3. Avaliação (7h) 4. Apresentação de trabalhos (4h)

Metodologias

As sessões terão uma abordagem teórico-prática, conjugando a exploração de conteúdos teóricos com a realização e experimentação de atividades e de momentos de reflexão e de debate sobre os mesmos. Utilizar-se-ão metodologias ativas de forma a promover a respetiva implementação pelos docentes nas suas práticas pedagógicas.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, Decreto-Lei n.º 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua”. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final elaborado pelos formandos.

Bibliografia

Despacho n.º 6478/2017, de 26 de julhoDecreto-Lei n.º 54/2018 de 6 de julhoDecreto-Lei n.º 55/2018, de 6 de julhoDespacho n.º 6605-A/2021, de 6 de julhoPortaria n.º 194/2021, de 17 de setembro


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-01-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 02-02-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
3 09-02-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 16-02-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
5 23-02-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 02-03-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
7 09-03-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona

Ref. 139PRA05T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115606/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 26-01-2023

Fim: 18-03-2023

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas de Macedo de Cavaleiros

Formador

Maria Rosalina Afonso Rodas Veiga

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial, do grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial, do grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

Inclusão, equidade, cooperação, solidariedade, responsabilidade e interligação, são conceitos-chave que enformam as políticas e as práticas educativas. Assegurar o direito de todos à educação é garantir acesso, presença, participação e sucesso em processos educativos de qualidade. Os atores educativos, nomeadamente lideranças de topo e intermédias, são figuras essenciais na educação e na transformação social. Acolher e apoiar todos os alunos, independentemente das suas capacidades e exigências, são dois compromissos éticos e profissionais indiscutíveis. Uma escola inclusiva exige uma liderança eficaz, capaz de apoiar e promover o envolvimento de toda a comunidade escolar. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Identificar práticas de gestão e organização pedagógica, de topo e intermédias, à luz dos normativos/documentos de referência sobre políticas de inclusão Explorar fatores que se constituem como obstáculo à inclusão na escola e sociedade Consolidar uma perspetiva de abordagem integrada de práticas que concorrem para a inclusão Refletir sobre a relevância das aprendizagens informais, os meios de as incorporar na promoção de ambientes educativos favoráveis à participação de alunos na condução do processo educativo Promover estratégias de otimização da participação dos alunos na vida da escola Elencar mecanismos de promoção do envolvimento das famílias na criação de ambientes inclusivos Refletir sobre o papel das lideranças na criação de ambientes promotores de aprendizagens não-formais e informais consistentes com os objetivos da educação inclusiva Equacionar os termos da cooperação interinstitucional em ordem à inclusão Refletir sobre instrumentos de monitorização das práticas de inclusão

Conteúdos

1. Enquadramento teórico e normativo 1.1. Quadro conceptual Os direitos humanos e as políticas de inclusão. Justiça distributiva e éticas do cuidado. Tradução dos princípios de justiça em direitos e capacidades. O projeto Strength Through Diversity e a diversidade dos públicos na educação escolar: dimensões da diversidade; abordagens multinível da diversidade em educação. 1.2. Quadro normativo de referência Os Decretos-Leis nº 54/2018 de 6 de julho (na sua redação atual) e n.º 55/2018, de 6 de julho (e respetivas Portarias). O Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Autonomia e responsabilidade dos decisores locais: interpretação dos normativos; as margens de autonomia potenciada pela portaria n.º 181/2019, de 11 de junho, na sua redação atual. Documentos curriculares e instrumentos de autonomia dos AE/ENA. 1.3. Dimensões organizacionais das políticas de inclusão – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 1.1. e 1.2.] 2. Concretização das políticas de inclusão 2.1 As escolas e as práticas A inclusão em contexto: modelos educativos e conceções de cidadania e equidade. 2.2. Os agentes sociais das práticas de inclusão Pessoas, instituições, ambientes de aprendizagem. Cooperação interinstitucional em ordem à inclusão. 2.3. Os recursos para a inclusão A identificação e gestão dos recursos (humanos, materiais, institucionais) e a sua potencialização na promoção da escola inclusiva. 2.4. Contextos de interação socioeducativa na perspetiva da inclusão: a sala de aula e ‘o resto’ – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 2.1., 2.2. e 2.3.] 3. Conhecer, partilhar, decidir 3.1. Conhecer e cooperar com as pessoas e as instituições 3.2. Conhecer, estimular e proteger as crianças e jovens: princípios, métodos, instrumentos 3.3. Conhecer para transformar: dos instrumentos de suporte à monitorização às modalidades de participação de professores, pais e alunos nos processos de decisão – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 3.1. e 3.2.] 4. Avaliação Apresentação e discussão dos trabalhos/produtos finais dos formandos

Metodologias

Exploração dos temas propostos, com adequado suporte teórico. Reflexão, análise e discussão em grupo, com recurso a fontes documentais pertinentes. Debate em plenário. Elaboração individual de trabalho/produto final da ação, em função dos interesses dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

Cerna, L. et al. (2021) Promoting inclusive education for diverse societies: A conceptual framework. Disponível em: Promoting inclusive education for diverse societies : A conceptual framework | OECD Education Working Papers | OECD iLibrary (oecd-ilibrary.org)Eurydice (2020). A equidade na educação escolar na Europa (trad. Lisboa: DGEEC/Unidade portuguesa de Eurydice). Disponível em: https://op.europa.eu/en/publication-detail/-/publication/517ee2ef-4404-11eb-b59f-01aa75ed71a1/language-ptEuropean Agency for Special Needs and Inclusive Education (2021). Inclusive School Leadership: A Tool for Self-Reflection on Policy and Practice. (M. Turner-Cmuchal, E. Óskarsdóttir and M. Bilgeri, eds.). Odense, Denmark. Disponível em: https://www.european-agency.org/sites/default/files/SISL_Self-Reflection_Tool.pdfPereira, F. (Coord.). (2018). Para uma Educação Inclusiva. Manual de Apoio à Prática. Lisboa. Ministério da Educação. Direção-Geral da Educação. Disponível em: https://dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdfUNESCO (2022). Reaching out to all learners: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO, IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-01-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
2 04-02-2023 (Sábado) 14:00 - 17:30 3:30 Presencial
3 04-02-2023 (Sábado) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
4 16-02-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
5 02-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
6 10-03-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
7 18-03-2023 (Sábado) 14:00 - 17:30 3:30 Presencial
8 18-03-2023 (Sábado) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial


177

Ref. 129A05T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118734/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 30-11-2022

Fim: 02-03-2023

Regime: Presencial

Local: no Agrupamento de Escolas Emídio Garcia

Formador

Charlotte Fabienne Veiga Coelho

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

O motivo que determina a ação de formação é a existência de um número significativo de alunos com esta problemática e a carência de instrumentos (material estruturado e não estruturado) por parte dos profissionais de educação para intervir com estes alunos, assim como, a necessidade de capacitar/sensibilizar os agentes da comunidade educativa para a PEA. O plano de atividades, do Programa Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar de Carrazeda de Ansiães, pretende assim abrir portas a novas metodologias de intervenção, fomentando novas práticas, adequadas a esta nova realidade escolar.

Objetivos

• Responder às necessidades atuais dos Agrupamentos, face à temática em curso, e aos desafios que se colocam com as novas políticas educativas; • Contribuir para o aperfeiçoamento do desempenho profissional do pessoal docente permitindo o aprofundamento de conhecimentos e competências no que concerne à Perturbação do Espectro Do Autismo (PEA); • Promover o sucesso educativo e a qualidade das experiências de ensino e das aprendizagens em alunos com PEA; • Partilhar experiências, ideias e materiais, potenciadores do desenvolvimento de uma prática de inovação educacional; • Estimular processos de mudança na comunidade educativa, suscetíveis de gerar dinâmicas formativas; • Valorizar a Escola enquanto local de trabalho e de formação/investigação.

Conteúdos

(4h): - Apresentação; - Enquadramento histórico da PEA; - Enquadramento científico da PEA; - Manifestações clinicas da PEA na infância, adolescência e vida adulta; - Diagnóstico de PEA; (4h): - O que é o autismo; - Quais os sinais de alerta; - A importância da Intervenção Precoce; (4h) - As rotinas no autismo; - O ensino estruturado; - O autismo e o Dec. Lei nº 54/2018; (4h) - Entender o conceito da inclusão – o que é incluir? ; - A inclusão no Dec. Lei nº 54/2018; (4h) - Visualizar situações de inclusão e exclusão; - Quais as vantagens da inclusão; - Estratégias a utilizar em salas de aula inclusivas; (4h) - Métodos e estratégias de Intervenção na PEA; - Construção de materiais psicoeducativos de intervenção na PEA; (1H) - Avaliação;

Metodologias

• Exposição histórica/científica do PEA; • Abordagem teórico-prática e demonstrativa; • Discussão e análise de materiais de intervenção da prática pessoal/profissional; • Trabalho individual e em grupo com construção de materiais de intervenção com crianças com PEA;

Avaliação

A Avaliação dos formandos obedece aos seguintes critérios: - Participação (40%); - Produção de trabalhos/materiais (60%).  A Avaliação dos Formandos é uma avaliação individual que contempla uma Classificação Quantitativa na Escala de 1 a 10, conforme o previsto no ECD, devendo constar do respectivo Certificado, de acordo com a seguinte escala: Excelente – de 9 a 10 valores; Muito Bom – de 8 a 8,9 valores; Bom – de 6,5 a 7,9 valores; Regular – de 5 a 6,4 valores; Insuficiente – de 1 a 4,9 valores

Bibliografia

Bandeira de Lima, C. (2012). Perturbações do Espectro do Autismo – Manual prático de intervenção. Lisboa: Lidel.Correia, M. (2014). Autismo e atraso de desenvolvimento – um estudo de caso. Lordelo: Fundação A Lord.Hewitt, S. (2006). Compreender o autismo – estratégias para alunos com autismo nas escolas regulares. Porto: Porto editora.Mineau, S., Duquette, A., Elkouby, K., Jacques, C., Ménard, A., Nérette, P-A., Pelletier, S., & Thermidor, G. (2013). L'enfant autiste – Stratégies d'intervention psychoéducatives. Montréal: Editions du CHU Sainte-Justine.Decreto-Lei nº 54/2018


Observações

A05T01

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-01-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
2 28-01-2023 (Sábado) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
3 04-02-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
4 04-02-2023 (Sábado) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
5 11-02-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
6 11-02-2023 (Sábado) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
7 25-02-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial

Ref. 128A04T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118215/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 30.0 horas

Início: 22-11-2022

Fim: 07-03-2023

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

Maritza Pinto Ferreira Dias

Nelson Manuel dos Santos Barradas

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. De acordo com o artigo 15.º da Portaria n.º 192-A/2015, de 29 de junho, esta ação de formação releva para a progressão da carreira dos professores bibliotecários, incluindo-se na dimensão científica e pedagógica.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

Vive-se atualmente uma transformação digital em todas as áreas da vida humana. Face a toda esta evolução, e para continuarem a responder às necessidades dos utilizadores e a desempenhar o seu papel fundamental no apoio à ação das múltiplas iniciativas das escolas onde se inserem, torna-se imprescindível que as bibliotecas escolares evoluam para formatos híbridos, complementando os serviços que prestam presencialmente com serviços disponibilizados em linha. Por essa razão a presença em linha das bibliotecas escolares é fundamental que as bibliotecas desenvolvam uma presença digital forte e diversificada.

Objetivos

- Proporcionar o conhecimento relativo às orientações do Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares para a presença em linha das bibliotecas, identificando os princípios teóricos e práticos subjacentes à sua implementação; - Dotar os professores bibliotecários e outros intervenientes na gestão da presença em linha das bibliotecas escolares de conhecimentos, metodologias e instrumentos necessários a essa implementação; - Capacitar os professores bibliotecários e outros intervenientes para uma gestão crítica da presença em linha, assente na análise de indicadores e perspetivando sistematicamente a sua melhoria, tendo em vista a qualidade dos serviços prestados; - Desenvolver as bibliotecas escolares de forma sustentada e estratégica, através da construção/ melhoria da sua presença em linha, melhorando o serviço prestado; - Partilhar conhecimentos e experiências entre formandos.

Conteúdos

1.ª e 2ª sessões (3 horas síncronas + 4 horas assíncronas) Razões que justificam a presença em linha da biblioteca escolar: Apresentação dos formandos. Conteúdos, metodologia e avaliação dos formandos. Familiarização com a plataforma digital de suporte curso. • A missão da Biblioteca Escolar no contexto da escola atual. As prioridades de trabalho da Rede de Bibliotecas Escolares. • Transição Digital e o papel das bibliotecas escolares (BE): O papel das BE no contexto do desenvolvimento digital; Biblioteca híbrida do ponto de vista da conceção e dos serviços; Presença em linha e serviços de referência on-line. •A presença em linha das bibliotecas escolares, uma visão global: propósito / públicos / objetivos / condições humanas e materiais / gestão . 3.ª e 4ª sessões (4 + 4 horas assíncronas) Planificação da presença em linha das bibliotecas escolares. Matriz da presença em linha das bibliotecas escolares • Apresentação das reflexões realizadas. • Definição de uma estratégia de comunicação; • Canais de comunicação • Definição de um canal principal • Canais secundários a equacionar • Serviços a desenvolver: Serviço de referência, a curadoria de conteúdos, tipos de recursos a disponibilizar, projetos desenvolvidos, serviço cultural, ... • Ferramentas a utilizar 5ª e 6ª sessões (4 + 4 horas assíncronas) - Planificação da presença em linha das bibliotecas escolares II • Apresentação da reflexão realizada após as leituras propostas. • Definição de uma linha editorial: identidade/ grafismo/ linguagem/ créditos • Serviço de referência a distância: chat, email, fórum, redes sociais, sistema de mensagem instantânea e mensagem áudio, videoconferência. • Normas e princípios • Proteção de dados pessoais / política de privacidade • Direitos de autor e direitos conexos • Acessibilidades 7.ª sessão ( 4 horas assíncronas) Consolidação da presença em linha das bibliotecas escolares • Apresentação das reflexões realizadas através das leituras e das dinâmicas propostas. . • Indicadores de execução e de sucesso; • Reporte; • Evolução e melhoria. 8.ª sessão (3 horas síncronas) Apresentação da Matriz da presença em linha das bibliotecas escolares • Apresentação das propostas sobre a presença em linha a implementar • A necessidade da existência de um plano de conteúdos periódico; • Elaboração de um plano de ação estratégico; • Avaliação da ação.

Metodologias

Sessões de trabalho em linha (síncrono ou assíncrono): As sessões terão um carácter teórico-prático. Para cada tópico será disponibilizada documentação e bibliografia específica. Os formadores deverão ter um papel de promotores e facilitadores de reflexão permanente com formandos sobre o seu papel na implementação e dinamização da presença em linha das bibliotecas de que se ocupam. As propostas de trabalho terão como principal objetivo mobilizar os formandos para a criação bibliotecas híbridas, com uma presença digital estruturada, coerente e eficaz. As sessões de formação serão organizadas com base nos conhecimentos e pressupostos que os participantes detêm e nas suas expetativas, face ao módulo de formação proposto. Serão criadas oportunidades de trabalho individual e de grupo, privilegiando-se propostas integradoras de carácter prático, com a preocupação da ligação com os contextos do agrupamento e as vivências profissionais dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Nunes, M.B. (2018). Bibliotecas escolares: gestão, desenvolvimento e curadoria de coleções na era digital. Lisboa: Rede de Bibliotecas Escolares – Ministério da Educação. Disponível em: https://www.rbe.mec.pt/np4/682.htmlRede de Bibliotecas Escolares. (2020). Presença em linha de bibliotecas escolares: roteiro para a definição de uma política. Disponível em: https://www.rbe.mec.pt/np4/file/602/presenca_emlinha.pdfRede de Bibliotecas escolares. (2020). Serviço de referência nas bibliotecas escolares: orientações. Disponível em https://www.rbe.mec.pt/np4/file/598/servico_referencia.pdfRede de Bibliotecas Escolares. (2021). Programa Rede de Bibliotecas Escolares. Bibliotecas Escolares: Presentes para o futuro. Disponível em https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdfRede de Bibliotecas Escolares. (2021) A Biblioteca Escolar no Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital da Escola. https://www.rbe.mec.pt/np4/file/635/padde_be.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 22-11-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
2 22-11-2022 (Terça-feira) 20:00 - 21:00 1:00 Online assíncrona
3 29-11-2022 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online assíncrona
4 13-12-2022 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online assíncrona
5 10-01-2023 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online assíncrona
6 24-01-2023 (Terça-feira) 18:00 - 19:00 1:00 Online síncrona
7 24-01-2023 (Terça-feira) 19:00 - 22:00 3:00 Online síncrona
8 07-02-2023 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online assíncrona
9 14-02-2023 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online assíncrona
10 07-03-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. 152PTD23T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-114833/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 26-10-2022

Fim: 17-05-2023

Regime: e-learning

Local: em regime on-line

Formador

António da Palma Ferreira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

A proficiência digital das organizações educativas é fundamental para a melhoria do trabalho desenvolvido nas escolas. Neste quadro, considera-se, ainda, da maior importância o desenvolvimento das competências digitais dos docentes, dada a sua relevância para o ensino e a aprendizagem. Neste quadro, os AE/Ena foram convidados a elaborar o seu PADDE, que pretende ser um instrumento orientador e facilitador da adaptação e implementação das tecnologias digitais nos processos de ensino e de aprendizagem, bem como, apoiar as escolas a refletir e definir estratégias que permitam a exploração do potencial do digital integrando-o de forma holística na organização. Para que PADDE tenha o impacto esperado nas escolas, torna-se fundamental criar estratégias e instrumentos eficazes, tendo este curso o propósito de apoiar as EDD e as escolas no acompanhamento, monitorização, avaliação e reformulação dos PADDE.

Objetivos

Pretende-se apoiar as EDD das escolas no desenvolvimento de estratégias de monitorização e avaliação das ações inscritas no PADDE, que permitam melhorar a qualidade do trabalho em curso. Na formação pretende-se que as EDD, com o apoio dos ED, implementem estratégias de monitorização, avaliação, comunicação dos resultados e reformulação do PADDE da sua Escola, num processo em rede e promotor de mudança organizacional e pedagógica. São objetivos específicos da oficina: refletir sobre processos organizativos, pedagógicos e tecnológicos que promovam a qualidade do processo educativo; conceber e implementar estratégias de monitorização, avaliação e comunicação dos PADDE; desenvolver estratégias de diagnóstico e reflexão conducentes à reformulação do PADDE.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem da necessidade de capacitar as EDD para que realizem trabalho de monitorização da implementação das ações inscritas nos PADDE, de modo a aferir a execução dos respetivos objetivos e necessidade de ajustes à sua operacionalização. Surgem, ainda, da importância de os ED afetos aos CFAE acompanharem esse processo, apoiando as EDD nas ações de monitorização, de avaliação, de comunicação e de reformulação dos PADDE. As alterações anuais à constituição das EDD reforça a necessidade de apoiar as escolas em todo o processo, desde a conceção à avaliação dos planos. Contextualização do Plano de Ação para a Transição Digital e da importância dos PADDE na melhoria do trabalho educativo das escolas Exploração do Roteiro de Apoio à Monitorização e Acompanhamento dos PADDE Assistente de apoio à inovação pedagógica através da utilização de ferramentas certificadas Processos de acompanhamento e monitorização da implementação do PADDE Estratégias de comunicação do PADDE e das ações implementadas Avaliação, diagnóstico e reformulação do PADDE

Metodologias

A presente ação é dinamizada na modalidade de e-learning, com recurso a diversas ferramentas, nomeadamente um sistema de gestão de aprendizagem (LMS) e ferramentas de comunicação síncrona. A formação decorrerá num espaço virtual organizado com os conteúdos de formação disponibilizados e onde decorrem interações múltiplas (síncronas e assíncronas) entre formador-formando e formando-formando. O contexto de formação visa estimular a criação de momentos de partilha e reflexão no âmbito das práticas de monitorização e avaliação das ações do PADDE e dos seus resultados. A ação de formação tem como quadro geral de referência metodológico o construtivismo e a aprendizagem colaborativa, assentando em princípios como a formação participada e experiencial e a ação refletida.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos desenvolvidos pelos formandos, bem como a elaboração de trabalhos individuais.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://ec.europa.eu/education/sites/education/files/document-library-docs/deap-swd-sept2020_en.pdfLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfKampylis, P., Punie, Y. & Devine, J. (2015); Promoting Effective Digital-Age Learning - A European Framework for Digitally-Competent Educational Organisations. Disponível: http://publications.jrc.ec.europa.eu/repository/bitstream/JRC98209/jrc98209_r_digcomporg_final.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-10-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
2 26-10-2022 (Quarta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
3 16-11-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
4 16-11-2022 (Quarta-feira) 20:00 - 21:30 1:30 Online assíncrona
5 18-01-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
6 18-01-2023 (Quarta-feira) 20:00 - 21:30 1:30 Online assíncrona
7 15-02-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
8 15-02-2023 (Quarta-feira) 20:00 - 21:30 1:30 Online assíncrona
9 15-03-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
10 15-03-2023 (Quarta-feira) 20:00 - 21:30 1:30 Online assíncrona
11 19-04-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
12 19-04-2023 (Quarta-feira) 20:00 - 21:30 1:30 Online assíncrona
13 17-05-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
14 17-05-2023 (Quarta-feira) 20:00 - 21:30 1:30 Online assíncrona

Ref. 137PRA03T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115621/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 19-10-2022

Fim: 22-03-2023

Regime: b-learning

Local: no Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Formador

Alexandra Carmelita Pascoal Lopes Prada

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 500

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; b) 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; c) 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 500, para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Básico procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico (AE, 2021), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: • Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; • Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; • Realizar experiências de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e capazes de resolução para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 3.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover - Análise de produções de alunos - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas) - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo) - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais e nas sessões síncronas, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Educação e Matemática, 158Educação e Matemática, 162NCTM (2017). Princípios para a ação. Lisboa: APM.Ponte, J. P., Quaresma, M., & Mata Pereira, J. (2020). Como desenvolver o raciocínio matemático na sala de aula? Educação e Matemática, 156, 7-11.Veloso, E. (2012). Simetria e transformações geométricas. Lisboa: APM

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 19-10-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
2 02-11-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
3 16-11-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
4 30-11-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
5 14-12-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
6 18-01-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
7 01-02-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
8 15-02-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
9 08-03-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
10 22-03-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial


173

Ref. 135PRA01T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115623/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 27-09-2022

Fim: 07-03-2023

Regime: b-learning

Local: no Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Formador

Maria Cristina do Espírito Santo Martins

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 110

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 110. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 110.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; b) 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; c) 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 110 para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática no Ensino Básico, procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico (AE, 2021), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: - Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; - Estar dotados do conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; - Realizar práticas de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e capazes de resolução para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 1.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover - Análise de produções de alunos - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas) - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo) - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais e nas sessões síncronas, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Canavarro, A. P. (2009). O pensamento algébrico na aprendizagem da Matemática dos primeiros anos. Quadrante, 16(2), 81-118.Canavarro, A. P., Oliveira, H., & Menezes, L. (2012). Práticas de ensino exploratório da matemática: O caso de Célia. In A. P. Canavarro, L. Santos, A. Boavida, H. Oliveira, L. Menezes, & S. Carreira (Eds.), Investigação em Educação Matemática – Práticas de ensino da Matemática, Livro de Atas do Encontro de Investigação em Educação Matemática EIEM2012 (pp. 255-266). Castelo de Vide: SPIEM.Educação e Matemática, 2022, nº 162 (número temático sobre pensamento computacional)Henriques, A., & Oliveira, H. (2012). Investigações estatísticas. Um caminho a seguir? Educação e Matemática, 120, 3-8.NCTM (2017). Princípios para a Ação. Lisboa: APM.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 27-09-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
2 10-10-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
3 25-10-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
4 08-11-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
5 22-11-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
6 06-12-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
7 10-01-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
8 24-01-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
9 28-02-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
10 07-03-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona


171

Ref. 136PRA02T01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115622/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 27-09-2022

Fim: 28-02-2023

Regime: b-learning

Local: no Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Formador

Maria da Conceição de Castro

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 230

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 230. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 230.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Bragança Norte

Enquadramento

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; b) 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; c) 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 230 para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Básico procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico, destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem ser capazes de: • Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; • Estar capacitados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; • Realizar experiências de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e alertados para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 2.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover - Análise de produções de alunos - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas) - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo) - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais e nas sessões síncronas, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Educação e Matemática, 158Educação e Matemática, 162NCTM (2017). Princípios para a ação. Lisboa: APM.Ponte, J. P., Quaresma, M., & Mata Pereira, J. (2020). Como desenvolver o raciocínio matemático na sala de aula? Educação e Matemática, 156, 7-11.Veloso, E. (2012). Simetria e transformações geométricas. Lisboa: APM.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 27-09-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
2 11-10-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
3 25-10-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
4 08-11-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
5 22-11-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
6 06-12-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
7 10-01-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
8 24-01-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
9 23-02-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
10 28-02-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona


172